Minha conversão aconteceu depois que eu me casei. Fui criada na Igreja Católica; desde pequena, eu sempre fui muito envolvida na igreja. Minha mãe nos levava a praticar aquilo que ela nos ensinava. Após fazer a crisma, eu comecei a questionar Deus. Um dia, eu parei no meio da rua e falei: “É só isso que é conhecer Você? Existe um vazio tão grande dentro de mim! Eu acho que existe algo mais! Eu queria tanto Te conhecer de verdade!” Esse era um anseio que eu tinha dentro de mim. Nessa época, eu tinha por volta de 15 anos de idade. Dentro de mim, começou esse questionamento de querer saber mais sobre Deus. Então, eu procurei em alguns lugares. Na escola, havia um grupo de evangélicos da batista e eles louvavam na hora do intervalo. E eu queria saber o que eles tinham. Porém, eu tinha muito medo de me envolver, porque eu já sabia o que minha mãe iria dizer. Ela não gostava de crente de jeito nenhum. Um dia, eles estavam tão empolgados na adoração que eu fui para o meio deles. Depois desse dia, algo mudou dentro de mim e eu passei a desejar o que eles tinham.

 

Todos os domingos, tínhamos missa. Eu tinha que ir para a missa, pois minha mãe me fiscalizava. Porém, por causa desses jovens, eu comecei a desejar não ir para a missa e ir para um culto da igreja evangélica. Um dia, eu não fui para a missa, e minha mãe percebeu. Eu falei para ela: “Não fui para a missa! Fui para o culto de uma igreja batista.” Ela brigou muito comigo. Nesse dia, eu fiquei com muito medo dela. No entanto, aquela semente que havia sido plantada dentro de mim começou a crescer e o desejo começou a aumentar, mas eu não voltei a ir nos cultos daquela igreja.

Nesse intervalo de tempo, eu me casei, e minha sogra sempre me fazia o contive para ir à igreja. Eu sempre recusava. No entanto, em um domingo, eu fui com ela. Acabei indo três vezes seguidas. Na terceira vez, eu não consegui resistir e falei: “Meu Deus! Isso é tudo que eu estava procurando!” Assim, eu conheci Jesus. Depois desse dia, não tinha mais como negar. O processo mais doloroso foi contar para a minha família sobre a minha decisão de me tornar crente. Quando eu contei para a minha mãe, ela me deserdou. Ela disse: “Olha, você não faz mais parte da minha família. Não venha falar do seu Deus para os meus filhos. Para mim, essa foi a maior vergonha que uma mãe podia passar”. Até ela entender que eu não iria desistir, isso gerou, dentro dela, muito conflito, pois eu era a filha caçula de seis filhos. Porém, não tinha mais como negar! Jesus já era o Senhor da minha vida. No dia em que eu O aceitei, Ele me fez lembrar daquele dia em que eu parei no meio da rua e pedi para conhecê-Lo de verdade. A partir disso, todo um processo de mudança começou.

Por causa desse confronto com a minha família, eu me travei no espírito. Quando eu conheci o Rhema, através de uma amiga, o Senhor falou para mim: “Você vai receber das riquezas, daquilo que Eu tenho”. O Rhema foi um marco na minha vida, pois eu estava, realmente, em um momento de grande conflito. A Palavra Revelada foi a resposta para todos os meus questionamentos, desde a minha infância. Deus se moveu por meio de uma clareza e uma simplicidade, trazendo as informações e as respostas que eu busquei durante toda uma vida. Quando eu cheguei no Rhema, eu fiquei surpresa! Eu tenho 24 anos de crente. Eu já tinha 14 anos de crente quando eu conheci a Palavra Revelada. E ela veio trazer todas as respostas para os questionamentos que eu tinha a respeito da Palavra; isso me trouxe uma nova realidade e uma nova perspectiva. Eu comecei a me lançar naquilo que Deus tinha. A minha mãe se rendeu e, hoje, ela me liga, pedindo oração. Hoje, nós temos uma comunicação muito boa. Boa parte da minha família já é evangélica. Então, eu vejo os resultados da Palavra.

O Cláudio foi o meu primeiro e único amor. Eu o conheci aos 12 anos de idade. Quando eu o conheci, eu me apaixonei. Meus pais eram amigos dos pais dele. Nos meus 15 anos, no meu baile de debutante, eu encontrei ele. Quando eu cheguei dentro do carro, ele estava lá. Começamos a ficar amigos e a conversar. A partir daí, começamos a ter uma amizade mais profunda. Com 16 anos, começamos a namorar. Já vamos fazer 25 anos de casamento! Não foi fácil, mas, hoje, eu tenho visto a manifestação do que Deus tem feito na vida dele. O poder do Novo Nascimento é tremendo! Durante um bom tempo, eu orei, confiando no que Deus tinha para a vida dele. Eu sabia que Deus tinha um plano para ele. E Ele contava comigo para isso. Quando eu queria desistir, Deus falava: “Não, filha! Falta pouco!” Quando ele aceitou Jesus, as coisas começaram a se desenvolver em uma velocidade muito rápida. Hoje, ele está fazendo o segundo ano do rhema e já está se preparando para a Escola de Ministros. Ele está pronto para servir ao Senhor. Ele ama ao Senhor de uma forma linda. As coisas, na vida dele, aconteceram de forma muito mais rápida do que na minha, pois ele é bem mais obediente do que eu era! (risos) As instruções que vinham, eu demorava um pouco para corresponder a elas. No entanto, ele é muito rápido! Assim que Deus fala, ele faz! Temos vivido um novo tempo; nossa família tem, realmente, experimentado do resultado da Palavra. A Isabela, minha filha, está concluindo o Rhema. O Gustavo está com expectativa de concluir a faculdade para fazer a Escola de Ministros. Ele falou para mim: “Mãe, eu já entendi que eu não tenho outro lugar para estar!” Ele entendeu o lugar dele.

O Gustavo é muito parecido comigo. Ele é muito comunicativo. É uma pessoa extremamente carismática; onde ele chega, todo mundo quer falar com ele. Ele é muito amado, muito querido. Temos muita coisa em comum! Eu me vejo muito nele nas atitudes e na forma de se portar com as pessoas. Ele não sabe viver só; precisa estar cercado de pessoas. Ele ama pessoas! Isso é algo que eu acho muito lindo nele e eu me identifico muito. Ele fala para mim: “Mãe, eu não sei como as pessoas dão conta de viver isoladas. Eu preciso estar com pessoas!” Eu olho, hoje, e realmente vejo o chamado de pastor na vida dele. Ele ama cuidar. E eu sei que isso é algo próprio do chamado que Deus colocou dentro dele.

A Isabela já é uma pessoa totalmente diferente. Ela é introspectiva e mais calada. Ela não é de muita conversa. Ela é muito desconfiada, tendo algumas dificuldades para se lançar. Ela também é muito determinada; tem um foco e uma meta e corre atrás daquilo custe o que custar. Ela é muito firme com relação ao que está fazendo. Eu vejo ela igual ao pai dela; eles são muito parecidos.
Hoje, o maior desafio que um pai e uma mãe têm é conduzir o filho para o centro da vontade de Deus, pois tem a questão do natural. É necessário que seja feito através da oração, havendo uma condução através do Espírito. Não é algo forçado. Eu tenho aprendido a deixar eles discernir a forma e o tempo, pois sei que eles vão ter suas próprias experiências com Deus.

Hoje, eu entendo a importância e a necessidade das pessoas se moverem em favor dos filhos dos ministros. É um Corpo se movendo em favor uns dos outros. Eu trabalho com mulheres agora. Ocorreu uma situação de uma jovem. Quando eu fui falar com ela, Deus falou para mim: “Cuide como se fosse a sua filha”. São filhos de Deus. Essa menina estava precisando somente de um cuidado. Ela estava agindo errado, por não saber o jeito certo! Ela precisava de ajuda, de alguém que a ajudasse a pegar a visão. É muito sério querer cobrar de uma pessoa um nível de maturidade que ela nem conhece! Devemos ser muito cautelosos com as pessoas, pois, de repente, a minha forma de falar pode tirar uma pessoa da igreja, fazendo com que ela desista. E isso tem chegado sobre os meus filhos, na forma de conduzi-los dentro da vontade de Deus. O líder é aquele que pega a pessoa, pela mão, e a conduz. Se for necessário, você pode carregar no colo. Se ela cair, você pode levantá-la. Isso tudo é muito novo para mim, pois eu não sabia que Deus iria usar todas as experiências que eu vivi para, hoje, eu cuidar dessas mulheres. Quando elas chegam com causas de marido que não tem jeito, eu mostro que tem, sim, um jeito. Então, tem sido um tempo novo para mim.

A minha história, como professora do Rhema, foi algo que eu não esperava. O pastor Joselito via, mas eu não esperava. Porém, o chamado estava dentro. O desejo de fazer estava dentro. Eu sabia que tinha que fazer algo, mas não sabia o que tinha que fazer. Deus foi conduzindo, um passo de cada vez. Hoje, eu ainda me vejo em um treinamento, pois estou em uma nova etapa, mas estou mais madura e mais convicta, com muito mais firmeza dentro do posicionamento do que precisa ser feito. A responsabilidade é muito grande, pois são os filhos de Deus. Tem sido um tempo muito bom.

Meus referenciais são o pastor Joselito e a Ana Helena. O pastor Joselito marcou a minha vida com sua integridade de tal maneira que, durante muito tempo, eu falava: “É possível uma pessoa ser íntegra desse jeito?” Até então, eu não havia conhecido uma referência de homem de Deus com tamanha integridade como ele. Eu ficava esperando ele cometer algum erro! (risos) Depois de 10 anos juntos dele eu vejo que estamos debaixo de uma arvore muito segura. O Ministério Verbo da Vida é sério. Meu esposo sempre foi um homem muito íntegro. Quando ele chegou no Verbo da Vida, ele se surpreendeu. Ele é o maior propagador do Verbo. Para nós, a referência de homem íntegro, de homem de Deus e de caráter é o pastor Joselito.
Ana Helena é uma mulher admirável uma inspiração de mulher de Deus sempre nos animando a cumprir a vontade de Deus, tem sempre conselhos divinos. Eles são realmente modelo de fidelidade e integridade. E como é tranquilo copiá-los! É tão bom ter um modelo pronto, pois é só copiar. Nós somos imitadores deles como eles são de Cristo. E, assim, vamos caminhando e crescendo. É muito bom e tranquilo estar debaixo da cobertura espiritual deles. É muito importante ter uma cobertura espiritual.

A Bíblia fala que há amigos mais chegados que irmãos. E como é precioso ter pessoas com quem você pode contar! Parceiros de ministério, pessoas que sabem entender os seus momentos, sabem te levantar quando você precisa de uma Palavra, sabem reconhecer o tempo e a estação que você está vivendo e ajudar a lançar você para o próximo passo! Como é importante para cada passo, no avanço com Deus, nós termos amigos próximos, pessoas que nos incentivam e que acreditam em nós, nos colocando para nos movermos! Nós já temos a capacidade do Espírito; a unção nos habilita e nos capacita, mas é muito bom você ter um amigo que acredita em você. É muito bom ouvir essa pessoa quando você está enfrentando desafios. Pois, de uma etapa para outra, os desafios são maiores, e os amigos são aqueles que nos animam. Muitas vezes, eles trazem uma Palavra que nem você mesmo estava conseguindo dizer para você. Aquele amigo vem e coloca aquela Palavra no lugar certo e da maneira como ela precisava ser dita.

 

O meu alvo de vida é estar, a cada dia mais, no centro da vontade de Deus. Eu não tenho grandes perspectivas com relação à minha própria vida, pois eu já não tenho mais a minha vida como preciosa. O meu sonho, realmente, é estarmos eu e meus familiares servindo ao Senhor, no centro da vontade dEle. Tenho o desejo de ver os meus filhos crescendo no centro da vontade do Senhor. No entanto, eu também desejo muito colocar os meus pés no continente africano. Eu amo aquele povo! Se eu for lá, eu não sei nem se eu volto! (risos) É algo muito lindo! Tenho muito desejo de ir a Moçambique. É um desejo que arde no meu coração. Não há nenhuma outra região que eu anseie tanto conhecer e pisar como a África. O Cláudio percebeu, no espírito, para irmos para o Canadá. Eu falei: “Você tem certeza? Porque eu não sei, dentro de mim, se é isso”. Ele falou: “Filha, eu vou continuar orando. O Senhor deixou claro para mim que Ele tem algo para nós. Quando saltou isso dentro de mim, eu só disse para o Senhor que eu quero saber os passos”. Então, nós estamos assim! Nossa vida não é mais preciosa para nós. Para onde Ele mandar, nós iremos. Não importa! Para onde Ele nos mandar, nós vamos, pois o nosso prazer, hoje, é fazer a vontade dEle.

A Adriana é uma mulher que está se descobrindo cada dia mais. Parece que ela está ficando cada dia melhor, no sentido de maturidade, crescimento, de ver a vida com outros olhos e de valorizar a vida. Hoje, eu vejo, aos meus 44 anos, que eu gostaria muito de ter 20 anos com a cabeça que eu tenho hoje. Como é bom amadurecer! Como é bom olhar para trás e ver que todos os desafios foram superados! Eu me tornei uma mulher forte no Senhor, uma mulher que conhece mesmo o Senhor. Uma mulher que decidiu viver para Ele e O ama incondicionalmente. Não há dia, hora ou situação que me faça amá-Lo menos. Não existe nenhum desafio que Ele propõe para mim que me faça dizer não para Ele, pois Ele tem sempre o meu sim. Quando chegou a hora de trabalhar com mulheres, eu falei: “Pai, você me pegou de surpresa!” Quando eu cheguei em casa, Deus me falou: “Quem falou que eu não te disse? Eu não falei com palavras, mas eu te dei uma visão”. Eu me vi em um tablado, de frente para uma multidão de mulheres. Porém, eu achei que significava que eu iria ministrar em alguma conferência. Nós estávamos em um grupo de intercessão, orando pelo novo prédio da igreja. No dia em que o púlpito foi feito, eu chorei muito, pois foi naquele púlpito  que eu me vi no sonho.

A Adriana também é impulsiva e muito determinada. Quando eu estou determinada a fazer algo, os obstáculos podem se levantar, mas eu passo por cima deles. Se eu realmente tenho um objetivo para atingir, eu sei que, no meio do caminho, eu não posso ficar. Eu sou muito determinada. Hoje, eu me vejo uma mulher confiante, mais tranquila, mais centrada, equilibrada, no sentido de olhar para as coisas e ver que não tem mais nada que me tire o pé do chão. Deus já tem o controle total da minha vida; então, eu não fico me policiando para querer aquilo que Ele quer. Eu não gostava de imprevistos; no entanto, estou aprendendo a conviver com eles, pois eles sempre estarão lá. O Senhor falou para mim: “Filha, não tente ter o controle sempre!” Então, eu deixei de ser assim e passei a confiar muito mais nEle. Eu tenho desenvolvido uma confiança muito maior no Senhor, pelo fato de estar deixando de ser uma pessoa tão previsível. As coisas com Deus, às vezes, são imprevisíveis. Hoje, eu aprendi que tudo vai ficar bem! É só descansar!

2 COMENTÁRIOS

  1. É um privilégio ser liderada por uma mulher virtuosa como a Adriana. De fato, o seu valor excede ao de finas jóias! Certamente o Pai satisfará os desejos de seu coração, pois ela tem a motivação certa: contribuir para o avanço do Reino!
    Desejo o melhor de Deus pra sua vida e família!
    Que Ele continue guiando os seus caminhos, levando-a a terras sedentas pela palavra, onde as pessoas saciarão sua sede e conhecerão verdadeiramente o nosso Pai!
    Amo sua vida!

DEIXE UMA RESPOSTA