Diário de Bordo: “Fazer o Bem” levou o amor de Deus ao Natal de idosos

Postado em
2

natal_idosos_fazer_bem_2016-4

Enquanto Bob dançava rodeado de jovens e adolescentes arrancando sorrisos, e ele mesmo transbordando de alegria, foi possível entender: ali estava um idoso que foi cativado. Talvez, metade das pessoas ao redor não entendessem o que estava acontecendo. Talvez, nem o próprio Bob percebesse que aquele dia marcara sua vida para sempre. Mas, ele foi cativado. E como bem disse Taisa Santana, a líder da equipe de recreação naquele dia: “O que é a vida se não cativar pessoas? O que deixamos nessa vida são as pessoas que cativamos”. SELÁ*

Bob, é um entre os 84 idosos que participaram do ‘Natal dos Idosos’ realizado neste domingo, 18 de dezembro, em Campina Grande-PB, pelo Fazer o Bem – Projetos Sociais. A ação já vinha sendo planejada a mais de um mês. E reuniu aproximadamente 30 voluntários que levaram um dia cheio de diversão, alegria, ensinamentos, embelezamento e boas ações para os idosos do Centro de Assistência Social e Humanitário – A Casa Irene Modesto Conserva. Entre reuniões, saídas para compras, levantamentos de doações muito planejamento. Finalmente, chegou o dia.

natal_idosos_fazer_bem_2016-25

A manhã tranquila de café da manhã na casa foi interrompida pelos voluntários que chegavam e organizavam tudo para a ação. Hora ou outra, aparecia uma vovó ou um vovô para saber o que estava acontecendo. “Vai ter festa é?”, perguntavam. “Vai ter festa, comida e vai ter presentes”, eram as respostas. Dona Zezita estava toda empolgada com o salão de beleza, disse que iria tingir os brancos para loiros porque quer arrumar um namorado loiro. E não é que ela pintou? No final do dia, estava linda de cabelos tingidos e batom vermelho.

natal_idosos_fazer_bem_2016-40

natal_idosos_fazer_bem_2016-88

A sala se transformou em uma lojinha com roupas doadas, expostas e organizadas para que cada um escolhesse as peças que desejava. A varanda, em um salão de beleza com manicure e pedicure, escovas, tintura e corte de cabelo. E o quintal virou um pátio de recreação. A manhã se iniciou com uma teatro muito especial. Em seguida, Cecilvia Rolim ministrou a Palavra e, após a mensagem, muitos confessaram Jesus como Senhor de suas vidas. A bandinha, formada por adolescentes da Igreja Verbo da Vida sede, puxaram canções antigas e conhecidas em ritmo de festa, e logo, muita gente já estava envolvida dançando em um momento de descontração.

O dia seguiu com atendimentos no salão, recreação e uma equipe exclusiva para dar atenção a cada idoso, inclusive os mais debilitados que não podiam sair das camas. Pastor Regis é um deles. Um homem que deu sua vida para a obra de Deus e pastoreou muitas ovelhas e, hoje, encontra-se acamado. Mas, sem condolências, seu olhar transmite paz e tranquilidade para quem o visita. Uma parte da equipe também passou a manhã cozinhando, com muito amor o almoço do dia, que foi ofertado pelo Fazer o Bem. O lanche da tarde também ficou na responsabilidade do projeto.

A bandinha continuou tocando o dia todo e, Bob dando um show nos mais jovens. Não parou de dançar e contar histórias um momento sequer. Quando se sentava, todos o perguntavam: “cansou Bob?”, em um salto ele se levantava “eu não!”. Não podemos dizer o mesmo dos jovens que tentaram o acompanhar. Hoje, cada voluntário que participou está cheio de história para contar, saíram enriquecidos.

natal_idosos_fazer_bem_2016-56

Esse relato se encerra com um questionamento: “A velhice é um período inútil da vida? Tudo acabou e não há mais nada a se fazer?” A resposta: Na verdade é o período de dar frutos, de desfrutar do melhor da vida. De pegar a bagagem acumulada durante anos, e transmitír. Seja com a leveza do olhar carregado de experiências, com as conversas cheias de histórias. Através da alegria de quem dança, porque já trabalhou muito e, hoje, pode aproveitar o tempo de outras maneiras. E até mesmo pela calmaria e paciência que vemos em muitos idosos que já correram contra o tempo de muitas maneiras e, hoje, alcançaram a sabedoria de ser apenas quem precisam ser.

*SELÁ: Selá é uma palavra do hebraico, que se tornou uma expressão Bíblica usada especialmente nos Salmos para designar uma pausa. Comumente se refere a uma pausa para pensar, refletir.

Assista abaixo uma matéria feita pela TV Paraíba e veja mais fotos: 

2 COMENTÁRIOS

  1. Muito além da ação belíssima que fez a igreja atuar nas boas obras, que Deus criou para que andássemos nelas, gostaria de ressaltar a beleza do texto.
    A riqueza de detalhes e a leveza na linguagem me fizeram viajar através dele e me vi na sala, dançando com o senhor Bob.

    O texto não deixa claro quem o escreveu, mas, para mim, é um dos melhores textos de todos os tempos aqui no portal. E não precisou estar recheado de versículos para exalar o amor de Deus que estava nele.
    Parabéns a quem teve a sensibilidade de escrevê-lo!