A manhã deste sábado (20), terceiro dia da Conferência Nacional de Homens Verbo da Vida 2018, teve início com um fervoroso momento de oração. Alguns conferencistas se reuniram no templo durante trinta minutos antes do culto para intercederem pelas suas famílias, ministérios, igrejas e pelo Brasil.

Logo em seguida, o cantor Raffael Reis deu início ao período de louvor conduzindo a todos a um momento de adoração onde todos cantavam: “Vem Jesus! Vem Jesus! Maranata ora vem Senhor Jesus!”.

A primeira pregação foi de Thiago Borba, que falou sobre as ferramentas espirituais necessárias para que possamos realizar a obra de Deus. Ele começou dizendo que gosta de consertar as coisas e que algumas vezes, quando não tem a ferramenta necessária, usa uma que facilita o trabalho.

O exemplo dado por ele foi de quando precisou usar a ponta de uma faca para retirar um parafuso. Thiago sabia que não era a ferramenta ideal para aquela ocasião, mas facilitou o trabalho. Só que ele alertou que não é toda vez que isso funciona. Têm momentos que é realmente necessário a ferramenta ideal. “Algumas ferramentas apenas facilitam o trabalho, outras o possibilitam. É assim com a Palavra de Deus. Manuseá-la bem nos possibilita fazer a obra de Deus da maneira correta”, disse Thiago.

E quais seriam as ferramentas espirituais que devemos usar para que possamos ter sucesso em nossa vida? Thiago abordou três pontos que devemos levar em consideração para que a Obra do Espírito seja realizada em nossas vidas. Devemos dar crédito aos dons espirituais, sermos guiados pelo Espírito e confessar a Palavra. “A Obra do Espírito não é para facilitar a nossa vida, mas para possibilitar ela. Não devemos permitir que a operação do Espírito seja algo secundário em nossas vidas”, ressaltou Borba.

Clique Aqui para ler o resumo da mensagem

Após o intervalo, Thiago Garcia pregou uma mensagem com o tema: “Princípio do Caminho”. Ele começou com uma citação de um autor desconhecido: “Na vida tudo é passageiro, menos o cobrador e o motorista”. Após falar, todos riram e acharam muito engraçado, mas Thiago falou que existe uma sabedoria contida nesta frase: “Quando ouvimos essa citação nós pensamos em quê? Num ônibus (risos). Qual seria a sabedoria nesta frase? Que na vida nem todo mundo é igual. Cada um exerce um papel. Se estamos falando de ônibus, quem seria o motorista? Nós. E é justamente por sermos motoristas que temos um caminho para guiar as nossas famílias”.

De maneira bastante didática, Thiago seguiu falando da grande responsabilidade que um motorista tem e que, se o ônibus estiver desgovernado, a culpa não é dos passageiros.

“Deus quer que ocupemos o nosso lugar de motorista para conduzirmos a nossa família por um caminho seguro. Ele falou que pode acontecer de ficarmos perdidos no caminho, mas que se isso acontecer é necessário pararmos e prestarmos atenção ao ponto de partida e ao ponto de chegada. É preciso ligar os pontos do caminho que fazem o trajeto correto. Os erros são por falta de atenção às orientações da rota. Muitos dos erros que existem em nosso caminho são consequências de direções erradas que tomamos. É necessário reconhecer que errou e retomar a rota correta”

Por fim, ele pediu que ficasse em pé os homens que estavam se sentindo perdidos e cansados para que eles recebessem oração e se reencontrassem. Foi um momento de grande quebrantamento e vários irmãos ficaram de pé. Quem estava próximo a esses irmãos orou impondo as mãos e os abraçou com enorme carinho que demonstrou o amor de Deus pela vida deles. Com certeza foi uma manhã onde muitos foram restaurados na Presença de Deus.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA