Ricardo Garrett fala sobre o lançamento do seu livro “Chamados”

Postado em
3

Ricardo Garrett e sua esposa Naara Garrett estão há muitos anos ministrando ao Corpo de Cristo sobre a grandeza de servir ao Rei Jesus. Após servirem como pastores auxiliares, e terem a experiência de implantar uma obra na região metropolitana do Recife (PE), passaram a viajar pelo Brasil, realizando conferências, seminários e treinamentos para as igrejas locais, reunindo líderes e liderados. Além de professor do Rhema, ele é ministro itinerante e agora, escritor.

Ricardo Garrett concedeu entrevista a equipe do Portal e você confere abaixo:

PORTAL: “Como encontrar o seu lugar no Corpo de Cristo” é o foco do seu livro?

RICARDO GARRETT: Desde o início do meu ministério, fui mergulhado na igreja local. De fato, a igreja local é um grande centro de treinamento. É um grande laboratório do crescimento do chamado. No livro “Chamados”, faço um relato dos meus mais de 20 anos treinando líderes e liderados em igrejas locais.

O chamado de Deus é único e singular. É uma vocação dada a cada um de nós de forma específica. O chamado é revelado por Deus. O foco do livro é exatamente isso: Deus no chamou, afinal, o chamado é divino. É Deus quem chama, é Ele quem nos instrui e Jesus nos salvou. No livro eu começo relatando uma experiência, em 1994, enquanto assistia um programa de televisão e um pastor norte-americano ministrava, ali eu fui tocado pelo poder do Espírito Santo. O chamado é uma ação divina ao coração do homem que responde. Deus fala, Ele chama, mas é o homem quem responde. Como descobrimos o chamado? Essa é a grande pergunta quando nos convertemos. Na verdade, o chamado nasce conosco. 

Costumo dizer que a vocação é como uma digital, e assim como a nossa digital, única, quando eu coloco a minha digital no banco aparece Ricardo Garrett. Não aparece seu nome, mas sim o meu, porque existe apenas um Ricardo Garret no mundo com aquela digital. Assim é a singularidade da nossa vocação. Deus vai usar você de uma forma especial. Como se descobre o que Deus tem para você? Buscando o Deus que o chamou, intensamente. Você não pode ter a descoberta do chamado ausente da intimidade. Em um dos capítulos eu falo que Deus é quem incendeia. 

PORTAL: Como nasceu a inspiração para escrever e o que inspirou o título do livro?

RICARDO GARRETT: A construção do livro é uma reunião de todas as ministrações que eu fiz nos últimos anos. Capítulo por capítulo traduz uma trajetória da minha jornada. Esse livro não é uma inspiração momentânea, mas fruto de uma longa jornada. Fui pastor auxiliar de Pr. Rozilon Lourenço, Pr.Walter Sinval, a partir de 1998, no Verbo da Vida. Eu ensinava a diaconia, foi no tempo de ensino no qual Jesus começou a ministrar ao meu coração sobre a grandeza de servir. Então comecei a dar muitos treinamentos na região metropolitana de Recife.

O título “Chamados” veio inspirado de algumas ministrações do reverendo Ronaldo Lidório, que é meu cunhado. Existe uma palavra muito sugestiva que está no livro que é kalel. O sentido é chamar, convocar e o título do livro surgiu daí. O chamado é uma convocação superior, divina.

Em fevereiro, eu tinha recebido várias palavras sobre escrever um livro, mas eu não tinha tomado a iniciativa. Lembro que o pastor Cristiano Arcoverde me deu uma palavra muito forte dizendo: “Pastor, tudo está dentro do senhor, siga essa instrução…” Sou muito grato a ele. Ali eu despertei. Eu e minha esposa voltamos para Belo Horizonte e como não podíamos sair de casa, sentei e comecei a escrever sobre o chamado de Deus. 

PORTAL: Pastor, cite os pontos mais importantes do livro:

RICARDO GARRETT: Eu destaco, no início do livro Lucas 24.32. O texto mostra quando Jesus caminhava com os discípulos em Emaús e eles percebem só depois que era Jesus. Algo significativo é o que eles dizem: “Por acaso não ardia o nosso coração enquanto Ele nos falava e expunha as Escrituras…” Jesus falou muito comigo nesse texto. Eu estava orando pelo chamado. Então, o Senhor falou ao meu coração: “Sou eu quem vou te instruir. Eu vou incendiar teu coração”.

No livro eu foco muito em quem nos incendeia. É importante na jornada cristã ser incendiado pelo Senhor. Cargos, títulos, posições, dinheiro, fama, sucesso em redes sociais não irão incendiar o seu coração. Há ministros sendo corroídos pela estrutura que eles mesmo fizeram em sua vida. Porque eles esqueceram que o chamado é Cristo quem dá. Intimidade com Deus, com o Espírito Santo, é o foco do livro.

Outro foco dado é a questão da caminhada com Cristo. Cito Efésios 5.1 quando Paulo fala: “Sede pois imitadores de Deus”. A palavra imitar tem o significado de mímica, é copiar. O mímico não inventa moda, ele copia, imita. Paulo usa essa palavra e ela é muito forte, ele quer dizer a igreja: imitem, copiem. Nós somos cópias de Jesus. Discípulos de Jesus, um discípulo não inventa nada, ele apenas caminha nos passos do seu mestre.

Portanto, o ser discípulo é algo essencial no livro. A nossa caminhada é de imitadores, Jesus não é moderno, pós-moderno, Ele é o Senhor, ontem, hoje e sempre!

PORTAL: Fale-nos da importância de abordar sobre o serviço no reino de Deus:

RICARDO GARRETT: Esse é o tema que emana do livro desde o início. Do primeiro ao último capítulo. Em um desses capítulos, eu falo que todos nós temos uma singularidade para dar a grande festa da salvação. Uma vez salvos, ungidos por Deus e com uma vocação específica, nós estaremos no corpo interagindo. Paulo falou aos Coríntios que o corpo não pode caminhar sozinho. Existe um fluir da vida de Deus que emana de cada um de nós para o outro. Precisamos da vida que emana do outro. Eu comparo isso aos rins, fígado, coração. Cada órgão do nosso corpo flui vida de um para o outro. Somos interdependentes.

Em outro capítulo, eu falo sobre a preciosidade de cada um e o papel fundamental que cada um exerce para que o corpo caminhe. No último capítulo: “Aos que respondem”, falo do valor que há na nossa resposta.  Deus espera de cada um de nós uma resposta precisa e decisiva daquilo que Ele colocou em nosso coração.

Grande parte de pessoas espetaculares que eu conheci não estava no púlpito, elas estavam fazendo cafezinho, varrendo o chão, lavando banheiros, estavam na mídia da igreja, fazendo as fotos. Lembro de uma experiência de estar ministrando e no meio da pregação eu parei e dei uma palavra para o fotógrafo. Eu disse: “Deus o vê atrás da fotografia”. Existe uma recompensa. 

PORTAL: Deixe uma mensagem para os nossos leitores:

RICARDO GARRETT: Sei que muitos têm desfalecido no caminho em função de imaginarem que aquilo que aparece é mais importante, mas o palco de Deus é o coração do homem, o palanque d’Ele não são os púlpitos, as redes sociais, onde postamos as nossas frases de impacto. O palco de Deus é o nosso coração. É lá onde Deus nos vê, nos corrige, é onde Ele ajusta o nosso caráter. Quando estamos focados n’Ele, o Senhor nos incendiará, nos corrigirá e nos mostrará o caminho certo a seguir. Afinal, Ele mesmo nos preparou. 

O livro Chamados estará disponível em breve no Verboshop.

3 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA