No Rio, “Festa das Nações” reuniu três mil pessoas em duas noites de alegria

Postado em
0
738

Há cerca de cinco anos atrás, o pastor Cláudio Chianca, da Igreja Verbo da Vida de Campo Grande, no Rio de janeiro, recebeu uma instrução enquanto orava ao Senhor. Era a direção para os pilares que iriam nortear a Festa das Nações.

A quinta edição do evento, que ocorreu recentemente, foi mais uma confirmação de que essa festa nasceu com um grande propósito, do coração de Deus para o coração do pastor da igreja local.

Cerca de três mil pessoas, crentes e não crentes, passaram pelo Sítio Chianca, no bairro de Campo Grande, em duas noites recheadas de atrações gastronômicas de vários países, além de bazar, recreação infantil e louvor. O evento mobilizou cerca de 400 pessoas que trabalharam, desde a organização e preparação até a realização e desmontagem da festa.

Um dos destaques nos dois dias do evento foi participação do cantor André Leono. Além de entoar canções direcionadas para adoração ao Senhor e conversão de almas, Leono também comentou seu ponto de vista sobre a Festa das Nações, em entrevista exclusiva ao site Verbo da Vida.

Eu consigo enxergar nessa festa uma estratégia poderosa e providencial. No tempo em que estamos vivendo, as pessoas lá fora estão justamente esperando por esse convite, que simboliza, não só um simples momento de entretenimento, mas também uma abertura da igreja para receber as vidas. Muitas pessoas tem uma visão equivocada do crente, acha que somos julgadores, que apontam o que fazem de errado. Quando, na verdade, nós estamos aqui para amar, para levar adiante o amor de Cristo”, ressalta o cantor.

OBJETIVOS DA FESTA

De acordo com o pastor, além de ser uma festa missionária, o evento também cumpre a função de arrecadar fundos para a expansão do templo. Ele detalhou ainda cada um dos pilares que o Senhor o revelou como base para a realização da festa.

“Quando eu e minha esposa, Marcela, chegamos à igreja de Campo Grande, os membros vinham de algumas tentativas de eventos que não tinham saído como o esperado. Então o primeiro pilar que o Senhor me mostrou para realização dessa festa foi reacender a autoestima da igreja local e promover unidade do corpo. O segundo é o evangelismo, que consiste em trazer pessoas que ainda não aceitaram a Jesus, e que apresentam resistência de entrarem numa igreja. A arrecadação de fundos para expansão da obra é o terceiro pilar”, explica.

Esse ano, uma das principais metas com o valor arrecadado, é aumentar o espaço das crianças na igreja local. Com o número de membros crescendo a cada dia, as salinhas das crianças ficaram abarrotadas, dificultando a realização de algumas atividades.

Marcela Chianca, esposa do pastor Caoxande, enfatiza que a festa contribui para quebrar o paradigma de que crentes são pessoas sérias, que só falam em igreja e não se divertem.

“Com esse evento, quem ainda não conhece a igreja chega aqui e se depara com pessoas que servem a Cristo, não de forma religiosa, mas com alegria e leveza de coração. Afinal Cristo veio trazer uma vida de relacionamento com ele, e não uma religião”, disse Marcela.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA