1

Sou carioca, tenho 19 anos. Cresci na igreja junto com a minha família, acho que ainda com uns 11 anos. Portanto, meu conceito de família foi construído através da igreja, os laços familiares são bem fortalecidos; somos apoio uns dos outros. A igreja nos ajuda a associar valores ainda maiores a nossa família. Gosto muito da história da nossa família, meu pai é seguramente a pessoa que teve uma mudança mais radical, até as pessoas que trabalham com ele viram a mudança radical que o novo nascimento trouxe para ele. Foi sobrenatural a mudança a postura e comportamento. Ele e a minha irmã Bia, mudaram muito. Meu pai fala que antes tinha uma família, mas pensava mais em si mesmo, a Bia se isolava um pouco mais, mas vejo as mudanças deles, tudo quando começamos a nos envolver com Deus.

2

Uma das coisas mais positivas do meu pai é o quanto ele se doa, não apenas pela minha mãe e irmãs, mas pelas pessoas na igreja; não porque é pastor auxiliar, mas, como pessoa, sempre foi assim. Depois do chamado evidente, ele ajuda ainda mais. Isso é um exemplo pra mim.

Semelhantemente, a minha mãe é uma doadora. Uma mulher cuidadosa com as pessoas. Ela possui um zelo, carinho, cuida de detalhes. Meu pai é mais o geral, minha mãe é nos detalhes e, isso desenvolve carinho e afeto das pessoas por ela, muitas a chamam de mãe pela disponibilidade dela.

3

A minha irmã mais velha, Bia, tem uma diferença grande de idade nossa minha e da Aninha e por isso, conviveu menos com a gente, porque casou e mudou de cidade e ela conversa comigo hoje em dia lembrando de coisas do passado e tudo isso serve para nos ajudar a amadurecer.

Mas, nós não lembramos tanto, ela lembra mais, e, hoje, vejo a minha irmã em Florianópolis, com seu esposo, o André, juntos ministrando e cuidando de pessoas. Isso eu não imaginaria, pela Bia que eu conhecia.

A irmã mais nova, Aninha, é uma menina muito extrovertida, eu sou mais ‘na minha’, mas, acho legal isso nela. Ela tem facilidade de se comunicar com as pessoas. É simpática e, vejo o quanto ela tem crescido em Deus e na Palavra.

4

Tive muitos questionamentos em mim, e dentro de mim e a dedicação dela serviu para me ajudar a ver quanto valor existe nas coisas de Deus. Nunca cheguei a me desviar, mas passei por uma idade de querer entender melhor algumas coisas e, graças a Deus, vejo como estar na igreja, hoje, nos jovens, que estão bem estruturados, me ajudou e me fortaleceu.

Estou vivenciando uma fase de mais amadurecimento e, claro, tive minhas desilusões e decepções com amizades, precisei me afastar de alguns e seguir no caminho certo.

5

Sempre existem pessoas que você vê motivadas e com a mesma pegada ao longo do tempo e, isso me ensina muito. Vejo pessoas crescendo e avançando, quero ter associações com pessoas que me façam avançar.

Estava cursando Engenharia de Produção, mas, agora, quero fazer Psicologia. Para depois fazer Neurologia fora do Brasil e, para isso, eu preciso ter outro curso aqui e gosto dessa área.

Na minha relação de aproximação com as pessoas, costumo estar atento a como elas agem e reagem, seus temperamentos, as variações do ser humano e o quanto existe de ligação entre a personalidade. Isso nos ajuda a traçar o perfil de algumas pessoas. Fui procurar entender a minha curiosidade, a psicologia trata disso.

6

Eu sei que o ser humano é criação de Deus, creio nisso e, querendo ou não, desde o momento que ele foi separado de Deus o anseio para estar de volta vai sempre existir. A questão é reconhecer isso. Vejo pessoas buscando a realização, a felicidade plena, muitos não sabem onde achar, mas, só em Deus podemos achar. Infelizmente, decidir por Ele parece desconfortável para eles.

7

Li muitas revistas em quadrinhos, mas, hoje, leio mais artigos. Leio mais na faculdade, gosto de estudar, quando leio algo que não entendo, vou em busca de me aprofundar mais naquilo e até alguns livros que tenho lido paro para pensar se tiver algo que não compreendo e vou pesquisar, hoje, tenho um hábito melhor de leitura.

Gosto de praticar esportes, mais novo não tinha condicionamento, não era muito ativo, não brincava na rua, mas, gosto de basquete e tênis. Joguei durante 5 anos, meu pai e tio gostam e, quando temos oportunidades, jogamos juntos.

8

Lá na igreja temos recebido muitas palavras para essa geração de jovens. Muitos têm uma percepção disso, do nosso papel. A disposição do jovem, a empolgação que ele une ao propósito de Deus, causa um impacto. Vejo mais de dois mil jovens se unindo por um propósito.

Os jovens saem às ruas e tivemos uma oportunidade de fazer algo assim no Rio, nas ruas evangelizei umas senhoras e elas estavam impactadas com a juventude falando de Jesus. Às vezes, não temos a noção do quão grandioso é isso e fora do comum.

9

Já fui de elaborar vários sonhos, mas, de um tempo para cá, estou mais atento ao sonho que Deus tem para mim. Sei que me ajudará a alcançar a plenitude da minha felicidade, quero coisas, mas tudo está abaixo das coisas que Deus tem.10

Já pensei muitas coisas sobre mim, pontos positivos e negativos. Mas, hoje, sem ser demagogo, tenho a compreensão de que não preciso criar conceitos da minha pessoa, mas o que Ele tem para mim. Decidi aceitar como Deus me define e, abraço isso.

Engraçado, porque faz tempo que desejo ir para fora do país, mas de uns 2 anos para cá está mais claro, percebo que preciso fazer algumas coisas, se é algo que Deus colocou em meu coração, vai acontecer. Não vou ficar ansioso. É bom ter a certeza que dependo dEle e não vou me preocupar, já fiquei agoniado, mas sei que preciso viver e seguir até que chegue o momento.

O que me trouxe até aqui, vai me levar até lá!

1 COMENTÁRIO

  1. Depoimento lindo . Gabriel e um menino admirável
    e filho de um casal que amo muito. Parabéns e Deus te abençoe. Tudo que você sonhar realizado será. Abraço

DEIXE UMA RESPOSTA