Meu nome é Gilmar Pereira, tenho 42 anos e sou natural de Cabo de Santo Agostinho-PE, mas grande parte da minha vida me criei em Caruaru-PE.

Minha infância foi uma infância em que convivi com muitas pessoas, pelo fato da separação dos meus pais quando eu tinha 7 meses, então morei com minha avó, com alguns tios e também com minha mãe. Irmãos por parte de pai e mãe só tenho um que é meu irmão que mora em Caruaru, o nome dele é José Carlos, mas eu tenho mais 4 irmãos por parte de pai e nos conseguimos manter um bom relacionamento ao longo dos anos, eles são cristãos apenas um que ainda não é. Como nos morávamos com tios e avós eles nunca pegavam nós dois juntos, então grande parte da minha vida não morei com meus irmãos. Carlinhos morava com um tio eu morava com outro ate que a gente pode morar um tempo junto com nossa mãe. Como irmãos tínhamos uma briga ou outra de vez em quando, mas nada que minha mãe não pudesse resolver.

Em termos de nota sempre fui um aluno muito bom, porem sempre fui muito arengueiro como se diz no Nordeste. Brigava muito na escola, por tudo. Eu só fui melhorar nisso quando fui morar com uma tia e ela me colocou para praticar artes marciais, por 5 anos eu treinei isso quando morei em recife com minha tia Rosa. Competitividade é uma questão da minha natureza mesmo, eu não gosto de perder. Eu só perco algo quando o Senhor me manda abrir mão, se Ele pedir eu largo.

Ao longo dos anos, a minha personalidade foi moldada para que eu pudesse viver o que estou vivendo hoje. Agora minhas emoções estão centradas, mas eu não me deixo ser guiado por elas. Eu não mudaria essa trajetória de aperfeiçoamento que algumas vezes foi difícil, mas me possibilitou estar onde estou hoje.

Pela forma como fui criado, com avós, com tios, pessoas diferentes isso me fez estar em vários ambientes e saber como vários tipos de pessoas pensam. Quando você vive em apenas um ambiente na sua vida, você só sabe como aquelas pessoas pesam. Quando você vive com avós paternos, maternos, tios por parte de mãe, tios por parte de pai e mora sozinho tudo isso leva você a entender mais as pessoas.  Esse me ajudou muito, e quando você soma isso ao chamado é algo muito forte.

Quando fui morar sozinho aos 16 anos, era a época que morava com minha mãe, ela decidiu morar em outra cidade e eu resolvi ficar em caruaru. Em Caruaru eu conheci Celia minha esposa, nos conhecemos em 96 e nos casamos em 97, e em 98 nasceu nosso primeiro filho o Guilherme e em 2000 nasceu a Hélem. Em 99 eu conheci esta palavra e aceitei Jesus como Senhor e Salvador da minha vida. Guilherme tinha 8 meses quando eu aceitei Jesus. Começamos nossa família lá em Caruaru, conheci Celia no trabalho.

Nossos filhos sempre foram filhos abençoados, eu tive uma criação extrema em disciplina e minha esposa não foi tanto, então quando começos a criar nossos filhos ela me podou onde eu era extremo na disciplina e eu a ajudava na ausência de disciplina. Claro que como qualquer criança nos tivemos que lidar com as emoções deles em alguns aspectos. Eles nos acompanham no ministério desde então, quando entrei para o ministério meu filho tinha 5 anos. E nos tivemos que sempre aprender a lidar com eles, mas eles sempre foram filhos obedientes.

O meu tempo de pastoreio começou em 2003, e quando fui para ponta por já estava pastoreando a 7 anos. Para nossos filhos foi um pouco difícil pois eles tiveram que deixar amizades e tudo mais, mas as redes sócias desde aquela época ajudavam na comunicação então eles foram acostumando. Não foi muito complicado. Nos passamos cinco anos pastoreando em ponta porá e então no ano de 2015 viemos para Sinop-MT. Nossos filhos já eram jovens e aqui em Sinop eles se adaptaram muito bem, muito mais fácil do que em outras ocasiões.

Tive algumas experiências marcantes em minha vida, uma delas foi em caruaru no ano de 2007, onde eu também estava cursando a escola de ministros em Campina Grande. E tive de lidar com muitos conflitos emocionais na área ministerial. Foi um ano muito marcante e quando ele terminou eu pedi a Deus para ter de novo essas experiências e então quando aconteceu eu tomei decisões totalmente diferentes, e melhores. Em Sinop vive algo que foi uma grande experiência, assumir uma igreja que estava com dificuldades. Não só na questão financeira, mas também emocional e para mim isso foi algo novo. Eu vi que Deus pode agir de uma forma poderosa, fazendo uma igreja se unir, ter o mesmo proposito e falar as mesmas coisas, aquilo que o apóstolo Bud sempre ministrou para as nossas vidas em I Coríntios 1.10 eu vi isso se realizar.

Daqui a dez anos, provavelmente, só estaremos eu e Celia em casa, os meus filhos já terão idade de casar. Na verdade, meu filho já se casa esse ano e a minha filha eu creio que não vai demorar 10 anos para casar senão vou ter uma conversa muito sério com o noivo. Acredito que eu e minha esposa estaremos lidando com as coisas do ministério, hoje nossos filhos nos ajudam em tudo que fazemos. Provavelmente estaremos em outro nível, correndo muito mais velozmente a nossa carreira. Não que não estamos velozes, mas será um novo tempo e outro nível do que Deus tem para as nossas vidas.

Uma das minhas primeiras referencias foi um tio meu, que já faleceu, o nome dele era Isaque. Ele era jornalista, um homem muito inteligente e ele foi o primeiro que me deu um jornal e me mandou ler. Ele estava sempre me fazendo perguntas sobre a historia e cultura, foi uma pessoa que me marcou muito. Duas mulheres também foram extraordinárias, minha mãe Edileusa e minha tia Rosa que morei com ela. Minha mãe me ensinou a me posicionar, decidir uma coisa e não mudar. E minha tia me ajudou na questão do meu comportamento, que as coisas não se resolviam brigando. Ela sempre dizia se um não quer, dois não brigam. E na vida ministerial, meu primeiro líder que foi o pastor Isaac, toda a família almeida (Sayonara, Rebeca e Sara) foram pessoas que tiveram extraordinárias com nossa família. E ao longo disso deus tem me agraciado com grandes lideres, por um tempo foi o pastor Isaac e hoje é o pastor Rozilon, supervisor da minha região. Deus foi generoso comigo em relação a pessoas. Também não posso deixar de citar o apóstolo Bud e Guto, que nos ajudaram muito.

Ir para a praia com minha sogra é uma coisa que me faz rir. Ela é muito divertida e eu brinco muito com ela, pessoal que me conhece de perto sabe disso, então uma das coisas que me fazem rir é quando saímos de férias junto com ela. Algo que eu não trocaria, que é bom demais. Algo que me entristece é ver pessoas que tem chamado morrendo. Isso é algo que me deixa muito triste, e muitas vezes me leva a chorar. Tem a ver com meu chamado, ver pessoas que não correm a carreira que Deus as propôs por causa de sentimentos e outras coisas me deixa triste, ver pessoas que tem uma chamada não entrar nela.

Meu hobby é pescar, eu já gostava de pescar e desenvolvi muito com pastor Isaac lá em caruaru. Sempre que posso eu gosto de estar pescando. Se eu pudesse um dia pastorear em uma chalana na beira do rio para pescar todo dia eu faria isso. Gosto muito de filmes de ação e históricos, e gosto muito de assistir UFC, sou apaixonado por artes marciais. Tenho uma coleção de facas, gosto muito disso também.

Gilmar é um homem que ama sua esposa e filhos, e que se dedica a eles. Um homem que ama pessoas e obra do Senhor. Gilmar é um homem feliz.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA