Tenho 18 anos. Nasci no Rio de Janeiro e na minha cidade o que mais gosto são as pessoas. Os cariocas são muito acolhedores. Lá você só precisa de cinco minutos de conversa para se tornar amigo da pessoa. E esse comportamento levamos para qualquer lugar que vamos, quando viajo até sinto falta disso.

Em minha família eu tenho meu pai, minha mãe e uma irmã. Meus pais Marcos e Vanizia são casados há mais de 20 anos e se conheceram na igreja. Ele era muito bonito, mas minha mãe achava que meu pai tinha namorada. Mas ele não tinha e minha mãe ligou para ele (risos) ousada hein?

Eu fui criada na igreja desde que nasci, então, o meio que vivia era o povo evangélico, mesmo assim, sempre tem aquele momento em que escolhemos viver para o Senhor e esse sempre foi um ambiente em que gostei de estar. Os meus pais em especial sempre foram uma influência muito positiva em minha vida.

O clima lá em casa é bem engraçado. Porque meus pais são engraçados, eles são bem diferentes. Meu pai é o melhor exemplo de pai que tenho. Porque tudo o que acontece, para ele, sempre está tudo bem. Ele transmite paz e consegue me acalmar como ninguém.

Minha mãe é uma mulher muito forte, é daquelas pessoas bem persistentes, é o exemplo de força que tenho. Ela é toda fitness (risos) e sempre tenta nos influenciar nisso de ter uma alimentação saudável.

A minha irmã mais velha tem 21 anos,Isabela, e ela sempre foi uma das pessoas que mais me inspirou. É muito engraçada, teve uma época que ela gostava muito de rock e porque ela gostava eu também passei a gostar, mas hoje ela que escuta as musicas que eu gosto (risos). Tenho um bom relacionamento com ela. Sempre foi uma boa relação, mas de um tempo para cá tem se tornado muito mais. Teve um tempo que ficamos mais afastadas, acho que pela idade mesmo, mas hoje somos bem próximas. Ela quer fazer medicina.

Meus amigos são muito importantes, eu vim para o Verbo por causa de uma amiga minha que estudava comigo, eu era de outra denominação. Ela era bem próxima a mim e sempre falava da igreja dela, mas no momento eu estava em outra igreja, mas lá meus pais não estavam muito confortáveis. Ai ela ficou falando para os meus pais que se eles fossem uma vez na igreja dela, eles nunca mais iam querer ir embora. Eles prometeram ir um dia e tiverem que cumprir, e foi exatamente do jeito que ela falou. Hoje, eles já são formados do Rhema e eu estou no segundo ano.

O amigo é o nosso porto seguro. Não que a nossa família não seja, mas acredito que eles possuem uma função diferente. Podemos escolher de quem vamos nos aproximar e criar afinidades, com quem teremos intimidade, as vezes, a pessoa não tem nada a ver com você, mas se encaixa em suas amizades de uma maneira impressionante.

Acho que os amigos influenciam todas as áreas da nossa vida. Por isso, é tão importante tomarmos cuidado de quem a gente se aproxima. Porque os amigos de verdade, vão nos proteger, aconselhar, quando eu não sei muito bem o que fazer e falar, quando estou confusa até mesmo sobre as coisas de Deus eu sei que tenho pessoas a quem recorrer. E é engraçado porque eu sei, tipo, fulano entende mais disso, sicrano vou falar dessa outra coisa, não que o outro não possa também, mas cada um tem uma área que é bom em alguma coisa. Então, cada amigo que tenho me ajuda em algo. Depois de Deus e da família, nossos amigos são os bens mais preciosos.

Se pudesse aconselhar as crianças, fase que já passei eu diria: ouça seus pais. E aprenda a ouvir a Deus, porque as vezes, eu acho que a gente acredita em um Deus muito impessoal. Quantas vezes você apresentou para alguém o Deus que te salvou? Quando Jesus morreu na cruz Ele não pensava no mundo inteiro, mas em cada pessoa, em nós, individualmente. Eu queria ter aprendido isso mais cedo. Deus é tudo para nós, ele é o nosso melhor amigo. Aprender a ter um relacionamento intimo com Ele transformou a minha vida, e é o que eu aconselharia as crianças a ter desde cedo.

Eu gosto muito de escrever. É muito louco porque eu sei que não sou eu quem tem a inspiração, é ela que me tem. Porque pode surgir em qualquer momento. As vezes, vejo alguma coisa e começo a escrever no meu bloco de notas. Eu nem esperava começar a escrever, porque sempre fui fã da leitura, mas nunca me vi com facilidade para me expressar. De uns 2 anos para cá Deus vem me dando textos, alguns até em primeira pessoa e aquilo mexeu muito comigo. O primeiro texto que escrevi nesse ambiente de inspiração foi “Ele Te convida para dançar”.

Esse texto fala em como ser guiado e até hoje sou alcançada pela forma como Deus falou comigo através dele. Todos os textos que sou inspirada a escrever eu primeiro mando para meus amigos e eles sempre me motivam a postar, eles me passam segurança. Toda vez que algo me marca muito, escrevo sobre aquilo. Meus textos saem porque algo forte me marcou em Deus, escrevo sobre algo que vivo. Não é algo que digo:Vou sentar e escrever. Não, sempre surge em momentos de inspiração mesmo.

Faço faculdade de jornalismo, mas eu não não acho que trabalharia escrevendo em uma revista ou jornal, porque tem que escrever sempre, e eu realmente não sei escrever sobre pressão. Porque não dá pra ser algo forçado. Então, quando algo em Deus me marca muito e que sei que pessoas precisam daquilo, escrevo. Porque uma vez Deus tratou comigo que precisamos falar dos lugares que a gente conhece. Então, o que eu conheço Dele preciso falar para as outras pessoas e uso a escrita para isso.

Algo que me alegra é ver as pessoas ao meu redor fluindo, crescendo e avançando. Nada me deixa mais feliz do que ver meus pais, minha irmã e meus amigos avançando.

Faço parte da Igreja Verbo da Vida em Pedra de Guaratiba e quando cheguei lá fui participar dos jovens Invictus e nem tinha esse nome ainda. Me alegro em ver meus amigos ministrando a Palavra, entrando no chamado, conhecendo coisas sobre Deus e eles veem tantas coisas que eu nunca li na Bíblia. Então, ver as pessoas dando certo em Deus.

O que me emociona são os momentos com Deus. Filmes e livros também me fazem chorar, mas não de tristeza, mas de emoção mesmo.

Minha maior referência é o meu pastor Edimilson Nunes. Ele é um ser humano surreal. As vezes, brincamos que queremos colocá-lo em um potinho e ouvi-lo falando o dia inteiro. (risos) O jeito que ele fala e anda me faz ver nele um pouco de Jesus na Terra. É óbvio que ele falha, que não é perfeito, mas ele é uma pessoa incrível. É minha referência em questão de vida, de palavra e de relacionamento com Deus.

Tem também a minha líder de louvor Simone Cavalcante. Nossa! Não tenho palavras para falar de Simone. Pense em uma pessoa que vive adoração e ela foi uma das pessoas que mais me incentivou a ter uma vida de adoração. Quando entrei para o louvor nem queria de fato, mas acabei entrando e pensava que era só sobre musica e tal, mas foi bem mais do que pensava. A gente cresce tanto. Conhecemos tanto a Deus através inclusive da vida das pessoas. Isso mexeu muito comigo. Muitas coisas que eu aprendi foi por ter ficado debaixo da liderança dela.

Outra pessoa é a Ana Luiza Moraes, minha amiga, eu a conheço há 6 anos. E nunca perdi a admiração por ela. Admiro a forma que ela ora, intercede pela vida dos amigos, também o relacionamento dela com Deus, ela entende todas as “viagens” no bom sentido que eu faço e isso é ótimo.

Posso citar também muitas outras pessoas, mas quero citar o Isarel Subirá, filho do Luciano Subirá, admiro a vida que ele leva. Todas as vezes que vejo os vídeos, as ministrações dele.

O Luca Martin depois que comecei a ver vídeos dele, comecei a evangelizar mais as pessoas, ele nos incentiva e acho que precisamos de pessoas assim como ele que nos incentivam a falar de Jesus e entender que isso é para toda a igreja e não só para evangelistas.

Eu não sou quem eu conheci, mas eu sou quem Ele me fez. Porque a vida inteira criei esteriótipos de quem eu era, das coisas que eu poderia fazer, criei uma noção de quem eu era. E eu estava completamente errada, mas quando cresci na minha intimidade com Deus e quando eu O conheci realmente eu comecei a entender que eu nao era nada do que eu pensava.

Entendi que eu sou filha, muito amada, e que preciso do amor de todas as pessoas que encontro, que não sou sempre forte, que posso ser vulnerável diante da presença dEle. Ainda não entendo tudo sobre mim mesma. Mas Deus entende porque o especialista é Ele. Eu sou uma pessoa dependente e é engraçado que sempre quis ser independente. Sempre sonhei em ter o meu emprego, ter as minhas coisas, a minha casa, ter o meu dinheiro, viajar para lugares. Então, Deus veio e descobri que eu não precisava ser independente. As vezes, a sociedade nos impõe algumas coisas, entre elas a independência, mas com Deus não crescemos independente, nos precisamos ser sempre completamente dependentes.

Pretendo me formar em jornalismo (estou indo para o terceiro período) não esperava me apaixonar pela profissão. Sonho ser uma boa jornalista, mas ao mesmo tempo quero viver a plenitude do que Deus tem., quero conhecer muitos países, queria faz pós graduação, casar, ter filhos, quero escrever um livro. Com certeza falaria sobre relacionamentos.

Antigamente eu tinha muitas dificuldades de lidar com fracassos, hoje vejo que estou mais cuidadosa, porque as vezes, olhamos o fracasso como o fim da nossa vida. Hoje, quando falho me tranco no quarto e oro, adoro a Deus e aquilo me transforma e saio de la renovada. Uma das coisas que devemos fazer quando o fracasso vem é nos concentrar naquilo que Deus fala ao nosso respeito e não naquilo que estamos vendo. Nosso passado já foi, nosso presente está acontecendo e nosso futuro ainda irá acontecer, então, é melhor concentrar a nossa mente em Deus e nas instruções Dele. O sucesso me faz agradecer a Deus, mas sempre no quarto, é o lugar para onde sempre vou. Sei que não tenho motivos para me vangloriar, apenas sou sempre grata porque é tudo sobre Ele e essa consciência nos ajuda muito.

Sempre sonhei em fazer direito. Queria me formar aos 21 anos. Eu queria estudar e ser juíza por volta dos 25 anos. Era meu sonho ser uma juíza jovem, quando estava no segundo ano do ensino médio, Deus começou a bagunçar todos os meus planos. Recebi a instrução por dentro de que esse não era o curso que deveria fazer, e que todo esse planejamento não era o melhor para mim. Doeu muito abandonar meus planos, mas quando me encontrei fazendo faculdade de jornalismo eu percebi como realmente Deus sabe de tudo, e agradeci muito a Ele por ter sido insistente comigo nessas direções que Ele me deu. Hoje em dia eu sigo os planos Dele. Sabe, não tenha medo de jogar seus planos no lixo, por uma direção, aprenda sempre a pedir a opinião de Deus em tudo na sua vida! Ele tem a melhor instrução, Ele realmente nos conhece muito melhor do que nós mesmos.

Eu amo Campina Grande. É a terceira vez que eu venho. Vim 3 vezes por causa do JPN. Logo na primeira vez que vim chorei muito quando voltei para casa, na segunda vez não foi diferente. Eu amo esse lugar, acho que tem cheirinho de casa. Amo ter uma casa em cada estado do Brasil. Já fui em outros Verbos da Vida e também senti esse cheirinho de casa, é aquela sensação de que eu tenho um laro aonde quer que eu vá. Campina é o lugar que foge completamente do padrão, porque é interior e ao mesmo tempo é grande. Aqui chegam pessoas de todos os cantos do Brasil para provar da unção que está nesse lugar. Isso é sensacional. E isso mostra um pouco de como Deus faz as coisas, porque Ele pega muitas vezes as coisas que não acreditam para acreditar naquilo completamente. Amo as pessoas aqui, amo o jeito que elas acolhem.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA