Héllen Cachone: de Belo Horizonte (MG) para Campina Grande (PB)

Postado em
0

Héllen Cachone é natural de Londrina (PR). Em 2009, ela se mudou para Belo Horizonte (MG) para fazer o Centro de Treinamento Bíblico Rhema. Em 2012, chegou a vez de dar passos mais largos e Héllen se mudou para Campina Grande (PB) para cursar a Escola de Ministros Rhema

Campina Grande foi sua segunda parada e conforme ela, foi uma experiência ímpar, porque era tudo novo. Inicialmente, ela morou com uma amiga, mas viveu os processos comuns a mudanças. Precisou deixar a capital mineira, deixar também as pessoas que ela já convivia, por isso, precisou passar pelo processo de adaptação novamente.

“Eu me recordo que eu tinha muito entusiasmo. Eu queria muito viver esta estação. Tinha isso muito definido dentro de mim. Eu fui literalmente para viver Campina Grande na minha vida. Determinei dentro de mim que eu iria aproveitar tudo o que estava disponível para eu viver durante esse ano na cidade. Sempre fui muito intensa, então, entrei de cabeça mesmo. Não vou dizer que tudo foi fácil e simples, mas estava decidida a viver tudo e foi isso que eu fiz.” disse ela. 

DESAFIOS

“Os maiores desafios foram financeiros. Eu tinha projetado algo, mas em cima da hora não saiu conforme o planejado. Mas esse desafio se tornou algo no qual eu pude ver a mão de Deus, os milagres acontecendo na minha vida. Lembro que o amanhecer em Campina Grande acontecia muito cedo, então, tinha a questão da água e do coentro (risos) que eu tive um pouquinho de dificuldades. Lembro que logo no começo eu passei mal, mas Deus sempre levanta pessoas para nos socorrer.

Uma vez Deus colocou em meu coração que eu precisava abrir mão das pessoas que eu amava, para eu poder aprender a amar outras pessoas.

Os desafios me esticaram, mas me fortaleceram em áreas específicas. Eu dizia para o meu corpo: ‘você vai se adaptar, vai ser leve e fácil e nada vai impedi-lo’, porque eu não ia passar uma semana e nem um mês, mas um ano. Eu sabia que era um ano muito precioso na minha vida. Sabia que coisas iriam ser determinantes naquele ano.” 

Deus sempre vai levantar uma família Aonde  quer que a gente vá.

INÚMEROS TESTEMUNHOS PODEROSOS!

Nos relatos tem testemunhos e um deles é o do aluguel. Ela falou sobre ele: “Lembro que nos primeiros meses, o aluguel estava pra vencer e eu não tinha dinheiro da minha parte para pagá-lo.

Sâmia Rocha, minha amiga, tinha chegado após dar aulas fora da cidade, ela chegou num dia e no outro era o dia de pagar o aluguel. Não tinha comentado com ninguém, estava bem quieta, mas conversando com Deus sobre isso. Ela me deu uma oferta e era exatamente o valor do meu aluguel.”

O RELÓGIO

Cada pessoa tem a sua maneira de Deus comunicar as coisas. É engraçado como as estações na vida de Héllen são marcadas por relógios, literalmente. Ela lembra que desejava muito um relógio e acabou ganhando exatamente o relógio que queria: “Esse relógio não era algo tão barato e em alguns momentos eu pensava, preciso pagar o aluguel, olhava para o relógio e pensava, com o dinheiro dele daria pra pagar, mas Deus me ensinou algo: a provisão sempre chega!”.

AS PEQUENAS COISAS

Em seu relato, ela lembra de detalhes, de pequenas coisas, que a ensinaram muito “Teve dias que eu desejava comer uma coisa específica e me convidavam para almoçar na suas casas e era exatamente aquela comida que estava na mesa. Eu vivi coisas que só podiam ser Deus mesmo. Tudo se transformou em experiências e ninguém pode arrancá-las da gente”.

EXPERIÊNCIAS MARCANTES NA ESCOLA DE MINISTROS

Claro que, ao longo do ano, ela vivenciou experiências bem marcantes, mas vamos citar uma aqui com a narração dela:

“A gente teve uma matéria chamada ‘A saúde do ministro’. E o galão de água em casa havia acabado, (tomávamos apenas água filtrada). Lembro daquele dia, na aula, recebemos uma maçã e um copo com água. Eu fiquei torcendo para não tomar aquele copo de água ali para eu levar para casa. Eu tinha um grupo de pessoas que sempre andavam comigo e naquele dia um dos meninos disse: ‘Eu não quero essa água não, toma pra você’. Eu peguei, ninguém do grupo entendeu, mas eu sabia que era provisão para a minha vida, era uma coisa simples, mas que eu precisava e Deus sabia e Ele ministrou na minha vida com aquela experiência. Ele queria me ensinar sobre seu cuidado na minha vida”.

Outro momento foi na aula de campo: “Meu Deus, lembro que no dia dessa aula eu passei muito mal, e quando você está doente fora da sua cidade, sem a sua família é diferente. Mas, lembro que logo Sylvia Lima percebeu e veio cuidar de mim, vendo o que podia fazer, e aquele cuidado também vi nas monitoras, e poderia ter sido só uma aula de campo, mas aquilo foi a expressão do amor de Deus por mim. Existem tantos momentos que a gente vive dentro da Escola de Ministros. A gente ri, chora, somos extremamente ministrados por Deus dentro das aulas”.  

CONSELHOS PARA OS NOVOS ALUNOS

Podemos ser abençoados com conselhos de quem já viveu suas experiências na escola. Héllen prontamente falou: “O meu conselho é VÁ, VÁ E FAÇA AQUILO QUE DEUS COLOCOU EM SEU CORAÇÃO. Independente daquilo que, naturalmente, você está vendo ou sentindo.

Você precisa considerar aquilo que Deus diz. Em uma reunião recente ouvi o Apóstolo Guto Emery dizer: ‘Comprometa-se a ouvir Deus”. Quando eu decidi que iria fazer a escola eu não tinha nada, mas tinha o desejo de ir e me lembro quando eu fui falar com o meu pastor e ele disse que, se era isso que eu queria e que estava no seu coração, eu fosse.

Circunstâncias e pessoas irão se levantar. Mas tem coisas que as pessoas não precisam entender, porque Deus compartilhou com você. A visão está contigo e você precisa ser guardião daquilo. Talvez, você vai precisar renunciar coisas, mas vale a pena!”.

MARCO – CHAMADO MINISTERIAL

A EMR é marcante e ela pode falar disso bem:

“A escola foi um marco na minha vida em todos os aspectos, eu fiz amizades, cresci, amadureci, eu conheci Deus de uma maneira que eu não conhecia. Nesse ano eu entendi a paternidade e o cuidado de Deus, cresci em fé, vivi experiências que me fortaleceram e me fizeram.

Durante um ano, eu fui aluna e quando terminei a escola de ministros eu retornei a Belo Horizonte, em 2013, a convite do meu pastor para que pudesse compor a equipe da EMR Itinerante na cidade. Fiz parte da equipe pioneira. Tivemos um ano extraordinário lá. Eu pude receber em Campina Grande e doar para as pessoas logo em seguida”.

MINISTÉRIO EM TEMPO INTEGRAL (A DIRETORA) 

Hoje, Héllen mora em Belo Horizonte e trabalha no Rhema. Ela falou como está sendo a vida hoje:

“Para mim é uma grande honra. Ainda no meio de 2013, eu recebi o convite para ser diretora do Rhema em Barreiro e foi uma experiência maravilhosa.

Ser diretora faz você ser esticada ainda mais,  faz amar mais as pessoas. Fiquei como diretora de 2014 a 2017. Comecei a escola com ela sendo reformada e na aula inaugural não tinha mais vaga, ela não tinha mais capacidade para tanta gente, me recordo que tinha aluno sentado no chão, outros querendo estudar mas não tínhamos espaço.

Tive uma equipe maravilhosa que pegou junto comigo. Exigiu muito de mim, mas foi recompensador. Valeu a pena! Em 2018, fui chamada para fazer parte da diretoria do Rhema em (Prado) hoje, Carlos Prates, Belo Horizonte, eu era a vice-diretora do pastor Anderson e foi maravilhoso, pude inclusive, ajudar na supervisão dos Rhemas locais.

Foi desafiador ser diretora, eu morava sozinha, era jovem demais, mulher, solteira. Às vezes, as pessoas olhavam para mim e me achavam tão novinha (risos) e no Rhema temos tantos alunos já líderes e ministros experientes e eu pensava: nossa, como vou sinalizar isso para essa pessoa..quando ela quem deveria sinalizar as coisas para mim. Até o dia em que eu entendi que eu estava ali porque Deus tinha me colocado.

Como diretora, tem dias que você se alegra, outros você chora bastante, mas acima de tudo você desfruta da graça e vê o amor e cuidado de Deus todo tempo.”

2021, PRÓXIMOS PASSOS

Héllen é visionária, já está de olho em 2021 e nos conta mais sobre isso, por sinal, contou bem emocionada sobre a nova estação que está começando:

O ano de 2021 é  da minha mudança. Já são quase 12 anos em Belo Horizonte. Estou encerrando uma estação na minha vida e começando outra. Sei que vou sentir saudades, mas estou feliz, estou pronta pra viver esse novo tempo.

Consegui me organizar, financeiramente, e fui à Portugal, era um lugar que eu queria muito conhecer, fui para Paris e quando retornei recebi uma palavra de que estava chegando o tempo de ir embora. Eu de fato, não queria a mudança, pois estava confortável onde estava. Mas, eu sabia que não iria ficar para sempre em Belo Horizonte e, no final de 2019, recebi outra palavra de que a mudança na minha vida estava muito perto. Ali Kátia, esposa do pastor e minha mãe, em Belo Horizonte, me perguntou se eu estava preparando alguém para o meu lugar, e eu vi que o meu tempo em Belo Horizonte estava acabando”.

DE VOLTA A CAMPINA GRANDE (PB)

E, enfim, chegou a direção e o lugar “Esse ano, fui visitar meus pais e conversei com eles sobre essa mudança. Eu sabia que iria recomeçar tudo de novo, mas por dentro estava convicta que tinha que obedecer. Chegou o tempo de ir embora de BH, em 2021, estou me mudando para Campina Grande. Quando eu saí de Campina, eu tinha muita vontade de voltar (na verdade, eu queria ter ficado), mas obedeci aquilo que Deus tinha colocado em meu coração sobre voltar. 

Este ano, aconteceu a pandemia, em março, conversei com meus pastores Marcelo e Kátia e foi muito difícil tomar esta decisão. Deixar a cidade, o Rhema, lembro que quando fui falar com pastor Anderson, choramos muito, mas ele me disse uma coisa que ficou marcado: ‘Filha, está na hora de você voar! Eu não posso ir contra o que Deus falou com você’. Eu sei que o Rhema, a Escola de Ministros, construíram uma estrutura e a Palavra revelada me ensinou muito: É tempo de voar…”

De fato, podemos encerrar dizendo: Héllen Cachone: de Belo Horizonte (MG) para Campina Grande (PB).

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA