O Rhema é um divisor de águas. O primeiro ano foi maravilhoso, e o segundo foi melhor ainda. Minha maior superação foi, com certeza, entender que doença não vem de Deus e que Ele já me curou. Ele é bom! Se meus pais naturais não me dariam algo ruim, com certeza, Ele não me daria nada ruim. Em 2012, fui diagnosticada com câncer na tireoide; na época, eu não tinha entendimento. Fiz a cirurgia e tirei a tireoide no INCA (Instituto Nacional de Câncer) no Rio de Janeiro. Fiz tratamento; tudo foi muito dolorido. Quando chega um diagnóstico ruim para a pessoa, na verdade, a família toda é afetada. Fazendo o Rhema, eu lembro quando estava naquela matéria “Cristo, Aquele que cura”. Durante uma das aulas, o professor nos mostrou, em Isaías 53, que Jesus já tinha levado sobre si as nossas enfermidades, significando que nós já havíamos sido curados. Nesse momento, eu entendi o que é a Palavra falava! Então, ao mesmo tempo em que eu tomava meus remédios naturais, eu comecei a tomar meus remédios espirituais, que eram os versículos bíblicos. Eu confessava, por mais que eu estivesse sentindo algum sintoma, vendo algo errado com meus olhos naturais ou fazendo os exames.

No ano seguinte, a doença havia voltado, mas eu já tinha a Palavra. Da mesma forma que ela veio, eu a mandei embora. Tinha aparecido outro nódulo, mas, quando eu fui no Rio, para fazer o exame, a médica não conseguia encontrar nada! Ela me disse: “Olha, não tem nada aqui!” Eu comecei a rir e a chorar. Eu falava para a médica: “Doutora, eu sou curada! Eu não tenho nada!” E ela falava: “Natália, eu acho linda a sua fé, mas, como médica, eu tenho que fazer o meu papel!” Eu já possuía o entendimento de que o câncer não era um presente do meu Pai e que, da mesma forma que ele tinha aparecido, ele tinha que sair. Esse entendimento da cura, da saúde divina e de ter uma vida plena e sem dano, foi minha maior superação. Até hoje, quando chega algum diagnóstico, eu respondo com a Palavra. Eu aprendi a descansar em Deus. O Rhema me transformou e me fez forte. As pessoas vinham me consolar, e era eu que acabava as consolando. Eu me olhava com os olhos da fé! Me olhava no espelho e falava: “Eu sou vitoriosa! Eu sou linda!” A Ana Helena, diretora do Rhema em Taguatinga-DF, me ensinou a olhar no espelho e a repetir o que eu sou. Eu tenho um versículo que é muito especial para mim – Atos 10.38: “Como Deus ungiu a Jesus de Nazaré com o Espírito Santo e com poder; o qual andou fazendo bem, e curando a todos os oprimidos do diabo, porque Deus era com ele”.

O Flávio, hoje meu marido, foi uma chave. Ele abriu uma porta que mudou a estação da minha vida. Ele foi a resposta de Deus. Ele é meu presente! O homem que me apresentou o Evangelho e, com a vida dele, me mostrou que Deus era Pai e não era algo distante. O Flávio me mostrou um mundo completamente diferente. Um mundo em que Deus é meu Pai, em que Jesus me salvou e em que o Espírito Santo é meu amigo. Flávio, com sua enorme sabedoria, me mostrou a igreja de uma forma acolhedora. Não foi por força nem por violência; foi pelo Espírito, igual a Bíblia diz. Ele é o amor da minha vida, que me traz felicidade, fazendo meus olhos brilharem.

Eu lembro que, na minha adolescência, eu escrevi uma carta para Deus. Na época, eu escrevi “meu marido é…” e comecei a fazer uma lista. Pensa numa mulher criteriosa! Teve um dia em que eu encontrei essa carta e vi que tinha o Flavio tinha preenchido todos os itens. Eu fiquei impressionada com a exatidão de Deus. Se é isso que você quer, é isso que você vai ter! O Flávio é algo muito abrangente na minha vida, pois mexe com muitos lados; ele é meu parceiro de vida, meu companheiro, meu melhor amigo, o amor da minha vida e meu sonho realizado.

Sobre como nos conhecemos, eu estava em um evento, e uma amiga em comum veio conversar comigo. No meio da conversa, ela disse que tinha uma pessoa para me apresentar. Eu não queria, pois achava esse negócio de apresentar alguém para outra pessoa algo muito clichê. Ela me mostrou a foto dele; na hora em que eu vi a foto, eu me surpreendi. Nunca mais o Flávio saiu da minha cabeça. Toda vez que eu pensava nele, eu ria sozinha. Eu não entendia; mal sabia que Deus guiava por paz e alegria. Ele me adicionou no Facebook. Na época, ele disse que, quando viu a minha foto, foi a mesma coisa. Ele já foi mostrando para os pais, dizendo: “Essa é minha namorada. Eu vou me casar com ela!” Nós não nos conhecíamos pessoalmente ainda.

Aí, começamos a conversar por Facebook. Marcamos o nosso encontro, mas eu no meu carro e ele no dele, pois o achava estranho por ser “bonzinho demais”! (risos) Não acreditava nisso. Infelizmente, eu cresci ouvindo as seguintes frases: “Homem não ama. Homem tem extinto”. Cresci ouvindo que amor não existia e que traição era normal. No entanto, eu sempre pensava que, se existia uma Natália que não bebia, não fumava e que era direita, poderia existir um homem da mesma forma. No primeiro encontro, ele já falou sobre casamento. Eu pensei: “Meu Deus! Ele só pode estar me enganando!” No entanto, Deus me revelou. O Flávio não força; ele deixa Deus falar. Ele só joga a semente, e o Espírito Santo vai… Na época, ele me falou: “Eu quero namorar para casar. Você vai orar e, se for da vontade de Deus, vamos namorar e casar!” Isso foi no primeiro encontro. Toda vez que eu pensava nele, eu sorria e ria. Quando começamos a namorar, foi quando eu encontrei a carta em que ele preenchia todos os 62 itens que eu tinha escrito. Depois, nos casamos! O casamento foi milagre puro, pois tudo foi na base de presentes divinos.

Para mim, casamento é amadurecimento e entrega. Na verdade, casamento, hoje, antes de ser mãe, é uma escola de amor, em que você aprende que é muito melhor fazer para o outro do que receber. É, literalmente, uma escola diária e constante. Casamento é algo sagrado; só pode ser projeto de Deus, pois, quando eu me casei, no dia seguinte, eu já estava falando: “Casar é bom demais!” (risos) Casamento é algo tão maravilhoso e um projeto tão lindo de Deus que nos dispomos a desenvolver, diariamente, esse projeto de uma vida a dois. Casamento é um aprendizado, em que vemos que o amor não é um sentimento, mas uma decisão. As pessoas podem até olhar e dizer: “Mas você só tem sete meses de casada!” É claro que eu e Flávio temos muito a desenvolver, mas estamos crescendo.

Meus sonhos ultrapassam as barreiras de uma menina e são grandes para alguém que sempre escutava que homem não ama. No entanto, podem parecer pequenos para um mundo que diz que um emprego, uma casa e viagens internacionais são sinônimos de uma vida perfeita. Meus sonhos vão muito além de bens materiais! Meu sonho é estar no centro da vontade de Deus. De verdade, meu sonho é viver completamente o que Deus tem para mim, para o Flávio e para a minha família. Eu também tenho o grande sonho de ver a minha família toda servindo a Deus. Não só aceitando, mas servindo à Palavra. Uma vez falaram na igreja uma frase de um homem que me marcou muito “Se roubassem tudo de mim, eu pediria a Bíblia de volta, pois, com ela, eu sei que tudo voltaria para mim”, uau que frase. Eu não tenho limitação de sonho, pois eu sei que tudo que eu quiser, e que for da vontade de Deus, vai acontecer. Então, eu tenho que ser ousada o suficiente para sonhar os sonhos de Deus. Sem sombra de dúvida, tudo que eu sonhei eu consegui muito mais. Não só Deus realiza nossos sonhos, como também Ele nos apresenta Seus sonhos de uma forma que só pode ser Ele.

 

Meus referenciais mais próximos são o pastor Joselito e a Ana Helena. Em algumas situações que eu passo com o Flávio, sempre pensamos o que o pastor Joselito faria no nosso lugar. Eles são referenciais de crescimento e de como uma vida de obediência pode resultar em milhares de vidas. O “sim” da Ana Helena para amar o pastor Joselito alcançou a minha vida, a minha família e os meus amigos. O “sim” da Mama Jan e do apóstolo Bud para vir para o Brasil alcançou tantas vidas que não conseguimos contar. É uma rede! Uma coisa que eu sempre tive sede era ter contato com pessoas que vivessem o que falam, sem fachadas e sem mentiras. Outra frase que me impacta muito é: “Pregue o Evangelho, se necessário, use palavras”. Essas são pessoas que, muitas vezes, nem precisam falar; por meio de suas atitudes, nós aprendemos. Eu sei que tenho muito para crescer e, de todo o meu coração, eu quero esse crescimento. Estamos cercados de pessoas que, quando escutamos elas falarem, ficamos impressionados.

 

Para as meninas solteiras, eu diria que a solução não está em homens. Nossa vida se baseia em um único homem – Jesus Cristo. O homem perfeito pode existir; talvez, ele não chegue exatamente do jeito que você imaginou, mas, se houver, dentro de você, paz e alegria, ele é o seu homem perfeito – o homem que Deus preparou para você. Namore para casar e veja se o rapaz possui condições para se casar. Para o casamento ser sustentado, deve haver provisão; contas não são pagas somente com amor! O rapaz deve proteger a esposa, trazer provisão e mostrar que, de fato, ele é um homem digno. Se você vai sair do conforto da casa dos seus pais, não saia para ter uma vida ruim. Não estou falando sobre bens materiais, mas falo sobre maturidade. Se ele não te tratar melhor do que a forma como você é tratada em casa, não vale a pena, pois acabará resultando em um casamento infeliz.

Jugo desigual é uma aliança de infelicidade. Case-se com um homem que congrega, que ama a Deus acima de todas as coisas, um homem correto. Essas são questões que devem ser vistas antes do casamento. Não se desespere! Não procure! A mulher é encontrada. Queira ser encontrada. Assim como uma pérola é encontrada, espere ser encontrada. Pergunte-se: “Eu quero o que Deus tem para mim?” Se seu namorado quiser que você faça sexo com ele como prova de amor, caia fora! Posicione-se como mulher e se guarde. Posicione-se como alguém que não precisa usar decote, saias curtas, roupas coladas, ou seja, não precisa usar da sensualidade para homem nenhum. A mulher, quando é para ser encontrada, ela simplesmente é. Não namore escondido! Se seus pais não aprovam, não entre nessa, pois os pais querem sempre o bem para seus filhos. Casamento não é apenas casamento entre duas pessoas, mas de duas famílias. É tão bom quando Deus está envolvido, pois tudo acontece de forma natural!

A Natália é uma mulher de 27 anos que tem muito a crescer e que não tem medo de aceitar quando está errada. Ela não tem vergonha de chorar. Natália é uma mulher que quer pregar amor e respeito para as mulheres. Ela era uma menina sonhadora, talvez inocente, que se tornou uma mulher temente a Deus e que, acima de tudo, quer que as pessoas entendam quem Ele é. Natália quer o melhor para as outras pessoas e quer viver o melhor de Deus. Às vezes, ela é insegura, mas logo é apoiada por um Flávio que diz “Vai! Eu acredito em você!” Natália é esposa, dona de casa, profissional, filha, sonhadora, ou seja, uma mulher que quer crescer.

2 COMENTÁRIOS

  1. Adorei seu o seu relato!
    Natalia que historia de vida mais linda!!!
    que menina maravilhosa!!!
    minha nora querida, sou testemunha deste seu relato, hoje sei do sucesso, da vitórias desta menina forte!
    DEUS! maravilhoso! ti peço que continue assim a proteger esta bela menina.

DEIXE UMA RESPOSTA