“Eu e minha casa”: Supervisor destaca rotina familiar durante quarentena

Postado em
0

Diante das restrições que o Brasil e o mundo estão vivendo pela pandemia do coronavirús, a rotina das famílias mudou quase que radicalmente e, em distanciamento social, cada um cria a sua própria rotina em casa. “Eu e minha casa” é um quadro que mostra um pouco do cotidiano alterado.

Nos próximos dias, você conhecerá um pouco da rotina de algumas pessoas do Ministério Verbo da Vida. Com a necessidade do distanciamento social, é preciso criatividade para passar os dias bem e com tempo de qualidade.

FAMÍLIA DO SUPERVISOR MANASSÉS GUERRA

A quarentena mal começou e férias coletivas para as crianças, opa adolescentes! Nossos adolescentes! Mas, férias sem shopping, sem parque, sem viagens… Estranho, não é?! Com o isolamento social, claro, ficou impossível as aulas continuarem, assim como as demais tarefas e atividades no âmbito do trabalho, lazer e os nossos cultos na igreja. Porém, é claro, por mais que parecesse férias, não tinha nada de férias, não estávamos preparados para isso e nem para o efeito colateral generalizado. Sem falar na estranheza de se fazer, minimamente, o que é normal, como ir ao supermercado, cumprindo regras como usar máscara, lavar as mãos com álcool em gel antes de entrar no recinto e receber uma placa com uma numeração para controle na aglomeração. Ufa! Intenso.

O meu trabalho já é, em grande parte, home office, mas não estou exagerando se lhe disser que o volume do trabalho, de fato, quadruplicou. No âmbito da supervisão, a cada instante, novos decretos estaduais e municipais surgiam (e surgem agora, com as atividades sendo restabelecidas); na igreja, bem, cultos on-line e lives, lives, lives – principalmente sobre Escatologia – e atendimento on-line, ouvindo e aconselhando, inclusive,  quem não estava tão diante disso tudo; no Rhema, experiências também inéditas: aulas on-line e acompanhamento virtual dos alunos.

Nisso tudo, que bom contar com a graça de Deus e com uma equipe excelente e empenhada! A começar de casa, quando minha esposa e filhos tornaram-se parte fundamental de uma importante estrutura de produção de conteúdo! Ao todo, uma incansável equipe em todas as esferas que precisamos atuar, procurando manter qualidade, com amor, nos serviços aos quais nos propusemos. E, claro, não poderia deixar de mencionar todo empenho da nossa liderança e equipes em Campina Grande (PB), para pôr em funcionamento todo um suporte inédito, com uma desenvoltura de quem faz o que faz com excelência.

A rotina em casa, embora intensa, ficou divertida. Cultos domésticos, leitura, muita leitura, prática de piano, cubos mágico, filmes, jogos em família, quitutes da Kalina, cafés especiais do Maná, tudo com muita intensidade e descontração e a “volta às aulas”, on-line, claro. Um ambiente gracioso, graças a Deus, para nos inspirar diante de desafios gigantescos.

Este tem sido um tempo realmente muito estranho, diferente de tudo que já vivemos. Alguns perderam muito dinheiro enquanto outros ficaram ricos (o criador do Zoom, aplicativo para conferência de vídeo, ganhou US$ 4 bilhões com a pandemia). Famílias estreitaram laços – conheço muitas que podem testemunhar assim – enquanto casais procuraram cartórios para pedirem divórcios (o município de Xi’am, região central da China, registrou recorde de pedidos de divórcio após quarentena).

Contudo, que bom poder dizer que esta acabou sendo uma oportunidade para afinar a intimidade com Deus e com a família, acrescentar conhecimento novo, desenvolver novas experiências e reciclar a percepção sobre a vida, terrena e efêmera, e do céu e eterna, na ótica de Cristo. Um tempo que está servindo para pensarmos no valor das amizades, dos relacionamentos, do congregar; de coisas simples que tornaram-se ainda mais valiosas como apertar a mão, abraçar, estar perto. Sim, estou mesmo desejando que a vida volte ao normal, como um peça preciosa que estava empoeira, e ganhou novo brilho ao ser limpa, polida e novamente admirada.

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA