Meu nome é Rodrigo Rissi, tenho 46 anos e nasci na Inglaterra. Morei em São Paulo dos dois aos 20 de idade e desde então, moro em Belo Horizonte. Meu pai foi estudar e trabalhar na Inglaterra, na época existia um programa com o governo e, meu pai por ser um funcionário da aeronáutica, foi incentivado a estar lá e morou por 4 anos. Nessa época, acabei nascendo por lá. Com 18 anos fiz a naturalização brasileira, mas, pela lei da Inglaterra, possuo passaporte inglês e ligação com o país. Minha criação foi difícil, por assim dizer. Podemos ver que hoje criar filhos sem um princípio, algo firme, estar fora disso, pode ser um pouco complicado. 

Não tive esse conhecimento que guia a gente como uma bússola. Não tinha princípios internos. Vivia da minha cabeça. Fui tocando a vida sem saber direito para onde eu estava indo, era mais tentativa, erro a acerto. Mas, Deus chegou e veio como lâmpada ao meu caminho e é uma vida completamente diferente.

Fui o primeiro da família a ser cristão. A gente até experimenta um sucesso do mundo, mas tudo isso é falso. Eu já era empresário antes de me converter e era uma vida interessante, mas vivia preso em minha consciência, não dormia à noite, desenvolvi ansiedade, uma vida sem significado. Hoje, “durmo igual criança” (risos). Graças a Deus, no meu ambiente de trabalho, tinha muitas pessoas cristãs e eu sempre gostava de ouvir o que eles tinham a dizer a respeito da Palavra, e isso aquecia o meu coração. Fui me interessando a respeito de tudo até o dia em que decidi aceitar um convite para conhecer um culto. O dia que pisei lá nunca mais sai de uma igreja. Tive esse privilegio de me apresentarem o Evangelho com naturalidade e simplicidade.

Tinha uma amiga que me apresentou ao Verbo da Vida, ela insistia em dizer que essa igreja era a “minha cara” e que eu me encaixaria muito bem. A principio, comecei pelo VerboApp, aplicativo do Ministério Verbo da Vida, ouvindo as mensagens e fiquei completamente apaixonado. Em 6 meses, creio que ouvi mais de 150 ministrações e tomei a decisão de cursar o Centro de Treinamento Bíblico Rhema. Estou no Verbo tem quase 3 anos e sou apaixonado pela Palavra da Fé. Esse ano (2019) me graduo na Escola de Ministros Rhema. Amo essa visão, a forma como é conduzido o Ministério. Quando recebemos a liderança na EMR, eles nos transmitem essa visão, essa seriedade, e passa muita segurança para a gente.

O Rhema no Sistema Prisional chegou para mim como um sonho antigo. Há 5 anos, eu liderava um grupo familiar na periferia de Belo Horizonte, e o contexto ali quase que direcionava o jovem ao crime, e eu queria estar ajudando nisso. Um certo dia, meu pastor me chamou e disse que estava orando a respeito de alguém para auxiliar no Rhema no Sistema Prisional e seu coração se voltou a mim. Na hora, resisti e usei a “falta de tempo” como argumento para não auxiliar. Passando duas semanas, o chamei, após ser incomodado fortemente pelo Espírito Santo, e aceitei a ideia. Comecei e me apaixonei. Ali já funciona há 3 anos, estou em torno de 7 meses na diretoria dessa Escola.

A experiência que tenho com o Rhema no Sistema Prisional é quase a mesma da convencional, no sentido de ver a revelação chegando na vida das pessoas e isso é muito gratificante. Pessoalmente, minha experiência baseia-se em conectar o meu coração com os alunos que estão ali, com o objetivo de compartilhar a visão. A Palavra da Fé traz esperança ao que um dia já pensou estar tudo perdido. O que me impacta muito são pessoas que passaram anos nas drogas, em crimes, em rebelião e hoje estão cheias do Espírito e convictas acerca do seu chamado em Deus. Isso não tem preço! Me marca e me dá forças para continuar cada vez mais.

O modelo do Rhema Prisional de BH é uma parceria PPP, “Parceria Público-Privada”, o Estado faz uma parceria, uma concessão, para uma empresa privada cuidar dos apenados. É feito uma concessão pública, na qual uma empresa de investidores se reúne para discutir a respeito da construção do complexo e cuidar por 30 anos. É um modelo que atende praticamente de forma perfeita a lei de execução penal e nossos irmãos são tratados com estudo, ensino religioso, cuidados com a saúde, e possui o objetivo de ressocializar com uma eficácia maior. Neste modelo, o Rhema lá possui privilégios com uma sala própria, um cuidado especial, um incentivo grande. O Rhema é visto como um pilar de ressocialização eficaz para o detento.

Essa Escola é vista como um sonho para os presídios. O que eu sonho para os alunos do Prisional é que possamos, paralelamente em levar a Palavra da Fé, iniciarmos uma campanha para sensibilização da sociedade e do Estado para que possamos mudar o modelo prisional atual que pode ser um pouco prejudicial ao nosso país. O avivamento não pode iniciar sem que resgatemos as pessoas que estão “esquecidas” nos presídios, eles também fazem parte da família. Somos um Corpo e precisamos olhar para todos. Deus não quer que varramos a sujeira para debaixo do tapete e fingir que não existe, pois ela existe! A Palavra da Fé tem ajudado e faz toda a diferença no Sistema Prisional. Estatisticamente, há 1 milhão de apenados e o nosso objetivo é que eles voltem à sociedade totalmente reestruturados fazendo a diferença em sua área de influência. Eu creio que os homens mais fervorosos sairão dos presídios do Brasil! Já começou a revolução no Brasil. Chegaremos em todos os presídios do Brasil e do mundo. Essa é a visão. Eu creio nesta visão. E eu amo fazer parte disso tudo!

Me defino como um empreendedor social. Sou formado em Engenharia Civil, mas hoje sou administrador de empresas. Pense em uma pessoa que é apaixonada por empreendedorismo e administração de empresas, este sou eu! Hoje, tenho uma empresa de tecnologia. Rodrigo é apaixonado por Jesus e por vidas, principalmente “pelos esquecidos”, aqueles que estão nos cantinhos. Sou o cara que vai atrás destes.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA