A vitória está na obediência

Postado em
1

Por João Roberto

Uma das coisas que atrapalham o nosso avanço e a continuidade do nosso crescimento é achar que já está suficiente o que você estamos fazendo. Podemos fazer as mesmas coisas, mas em níveis diferentes.

Uma planta recebe da mesma água todos os dias. Em cada estágio da planta a água produz um benefício, a água não precisa mudar para trazer um benefício.

O nosso alvo é ser elevado a intensidade que Jesus tinha. Quem determina a intensidade somos nós, afinal, estamos em um processo. O ritmo do nosso crescimento espiritual está conosco. A nossa intensidade determina o nosso aumento e crescimento.

Precisamos nos julgar se é realmente o caminho de Deus que estamos trilhando em nossa vida. Não seja tolo, procure entender a vontade do Senhor. Precisamos entender a vontade de Deus para que venhamos a responder. É possível se inclinar para carne e para o espírito, e quem decide isso é você.

Quando uma pessoa deixa de obedecer o plano e o propósito que Deus tem para a sua vida, ela está se inclinando para a carne.

Muitos de nós não estamos terminando os dias completos, porque não estamos nos inclinando para o Espírito em todo momento. A inclinação para a carne coloca você no ambiente em que as coisas não funcionam, em que não há luz. Mas a inclinação para o espírito coloca você no ambiente de paz.

João  4. 34. Disse-lhes Jesus: A minha comida é fazer a vontade daquele que me enviou, e completar a sua obra.

Quando Jesus fala sobre comida, Jesus estava falando sobre uma satisfação, um apetite.

Onde está o nosso nível de satisfação em fazer a vontade de Deus? Quando não fazemos por obrigação.

Procure alcançar a fome que Jesus tinha como um alvo. Que aquilo que Deus quer, queiramos também.  O inclinar é a tua escolha com ação. Inclinar para as coisas de Deus é escolher com ações correspondentes. E qualquer crente é forte para resolver tomar essa decisão, porque o pecado já não nos domina ,mais.

A inclinação do espírito dá para a vida e paz, é como se fosse uma coroação para uma escolha correta.

Sabemos que um abismo chama outro abismo. Se você inclina para a carne, você vai para outro nível. Mas se você inclina para a glória, você vai para outro nível também. Quando participamos das coisas de Deus, coisas vão saindo de nós. Uma glória chama outra glória.

Santidade é o forte e intenso desejo de fazer o que Deus disse que sim.

Concupiscência é o forte e intenso desejo de fazer o que Deus disse que não.

No momento em que você alinhar a tua consagração com os teus pés, aí sim a sua inclinação será completa.

Deus não escraviza ninguém, mas se Ele tiver a sua consagração, Ele vai ter domínio sobre você. Ele vai exercer uma força sobre você tanto no querer como no realizar. Lembre-se: Uma glória chama outra glória. Comece do ponto onde você está.

Nunca diga não a uma oportunidade. Dê de graça o que de graça você recebeu. Se você não faz nada com o que Deus falou, aquilo pára.

Não deixe permanecer em 2017, o que não prestou em 2016. Mesmo você fazendo o certo com as motivações erradas, pessoas vão ser abençoadas. Mas você corre um grande risco de não ser abençoado.

“Verdade é que alguns pregam a Cristo até por inveja e contenda, mas outros o fazem de boa mente; estes por amor, sabendo que fui posto para defesa do evangelho; mas aqueles por contenda anunciam a Cristo, não sinceramente, julgando suscitar aflição às minhas prisões. Mas que importa? contanto que, de toda maneira, ou por pretexto ou de verdade, Cristo seja anunciado, nisto me regozijo, sim, e me regozijarei;” (Filipenses 15-18)

É possível pregar o evangelho com a motivação errada.

Deus não tem prazer nos que retrocedem. Já que vai fazer, faça com o sentimento certo.
É possível ficar com vangloria com aquilo que a gente faz. Nunca consinta com esse sentimento. Faça, mas não deixe a vangloria se instalar. Cada um é bom no que Deus chamou.

“Pois assim como em um corpo temos muitos membros, e nem todos os membros têm a mesma função, assim nós, embora muitos, somos um só corpo em Cristo, e individualmente uns dos outros.” (Romanos, 12.4-5)

É provável que você seja muito bom no que você faz, mas o seu irmão é muito bom também naquilo que ele faz. Não pense de você mesmo além do que convém. Devemos honrar uns aos outros.

Você não agrada a Deus sendo um juiz. Cada um deve entender o dom que tem, e se esmerar nisso.

Quando alguém coloca todo o coração, toda a força, todo o entendimento em algo que faz para Deus, Ele se agrada.

Não se prejudique julgando os outros. Cada um tem seu próprio dom, e cada um age no grau de idade que possui.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA