Discernindo o corpo

Postado em
0

por João Roberto 

Deus promoveu esse novo nascimento através de Cristo, Ele é o cabeça, nós os membros. Jesus disse que não fomos nós quem o escolhemos, mas Ele nos escolheu. Deus quer te levar uma plenitude e Ele tem em vista te levar à perfeita varonilidade. Tem sido essa a nossa experiência? Temos vivido essa paz e essa alegria. Temos exercido esse poder, vivendo de forma gloriosa?

O relacionamento dos Homens com Deus tem ligação com as instruções que a Palavra nos dá para colocarmos em prática. A ajuda de Deus, a salvação, essa condição gloriosa que a Bíblia apresenta tem a ver com o que vivemos da Palavra. O que precisamos para corresponder a verdade dessa Palavra é aprender a manusear a salvação que recebemos da parte de Deus. Há coisas a serem feitas para que a vontade de Deus se manifeste.

O evangelho é o poder de Deus para a salvação, ele funciona todo dia e é capaz de nos sustentar em alegria permanente diariamente. Esse poder não enfraquece. Quero que Deus nos ajude a não seguir a vida de forma religiosa, mas que possamos viver como quem quer de fato agradar a Ele. A Bíblia diz que quem participa do corpo de Cristo sem discernir o corpo, come e bebe para si (I Coríntios 11.29).

A ausência de discernimento quanto ao corpo gera fraqueza. A salvação que de Deus recebemos nos capacita a estarmos saudáveis e quando negligenciamos a salvação podemos nos achar nessa situação de fraqueza.

Se entendermos, discernirmos e respondermos aos planos de Deus para a nossa vida, o resultado será paz. A ausência de discernimento traz juízo. Traz fraquezas como a falta de ânimo e a incapacidade de compreender, ambos agregados à religiosidade.

É certo alguém precisar ser encorajado a dizer obrigado a Deus? A gratidão deve ser um ato espontâneo, do reconhecimento ao que Deus faz em nossa vida. A fraqueza gera essa insensibilidade, essa ingratidão. Isso acontece, não pela falta do amor de Deus, mas pela falta de discernimento de seus filhos.

Na Bíblia lemos que no fim dos tempos as pessoas seriam egoístas e isso vai de encontro à ideia de corpo de Cristo. Ser Corpo exige comunhão. Devemos entender que o próximo precisa ter um lugar honrado em nossa vida, não só em nossa casa, mas no convívio continuo.

Às vezes temos um cuidado tão grande, uma reverência com o pão da Santa Ceia ao considerarmos como o corpo de Cristo. No entanto, quando a Bíblia fala sobre isto, não está limitando o corpo ao pão literalmente, mas se refere também ao irmão que está ao seu lado. Se vivêssemos essa responsabilidade de sermos o Corpo de Cristo, o resultado da salvação brilharia mais.

O departamento Igreja nas Casas é uma oportunidade para que você possa fazer parte de um círculo menor de pessoas. É uma porta para desenvolver relacionamentos e deixar o seu dom fluir. Se permita estar nesses ambientes, pois é dando que se recebe.

Têm pessoas que estão como o mar morto, nada tem entrado porque não tem saído. É dando que se recebe. Você precisa se esforçar, pois isto é discernir o corpo e nos faz participantes da realidade da salvação.

No livro de Atos 2.42 vemos milagres, sinais, prodígios e maravilhas que aconteciam naquela igreja porque eles seguiam o propósito, discerniam o corpo. Não devemos agir como consumidores que vêm à igreja somente para receber. Ao discernir o corpo vamos provar da maturidade da igreja, ou seja, dons em operação e precisamos corresponder a isto. A justa cooperação de cada parte precisa trabalhar para funcionar em unidade, assim como era no início da igreja. Em Atos, lemos que Barnabé chegou a dar uma propriedade para ver seus irmãos supridos. Todos compartilhavam as necessidades uns dos outros.

Se o seu próximo não faz parte das suas lembranças, você está sendo defraudado e está na qualidade de fraco. O amor de Deus é derramado em nosso coração pelo Espírito Santo para darmos. Não vamos viver de forma egoísta.

Nem todos os membros têm a mesma função. Somos um só corpo em Cristo e membros uns dos outros, tendo diferentes dons (Romanos 12.4). É muito comum a inexperiência fazer com que pessoas admirem o chamado. A admiração é boa até que ela não te torne um admirador improdutivo: quando você se diminui por não ter o dom que você admira.

A Bíblia fala do dom de contribuir (Romanos 12.8). Isso é ser um distribuidor do céu por onde estiver. Os dons são diversos. Há pessoas na igreja que precisam de um abraço. Nesses abraços, Deus pode promover uma palavra, prodígios e maravilhas. Isso é o amor sendo exercitado.

Estamos no lugar certo, só precisamos reconhecer o nosso papel para que os dons estejam em operação. Não precisamos de cargos ou títulos para que o dom que Deus colocou em nossas vidas flua. Todos os membros são necessários, até aqueles que aparentemente são mais fracos. Deus quer que haja igualdade. Todos os dons são preciosos aos olhos de Deus (I Coríntios 12.14-25). As coisas espirituais ocorrem conforme uma convicção, não importa como você está se sentindo. A Bíblia nos ensina a considerar uns aos outros e dessa forma o amor é estimulado (Hebreus 10.24).

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA