O tempo da visitação

Postado em
0

por João Roberto de Albuquerque

Estamos diante de uma nova oportunidade de culto e este deve ser vivo, santo e agradável ao Senhor. Graça e paz nos são acrescentadas pelo conhecimento que possibilitamos aumentar. Quando consideramos a graça de Deus, ela nos alcança. Que coisa boa é estar em um lugar em que temos a oportunidade de colocar todas as áreas da nossa vida em atuação!

Em Mateus 3.14-15, vemos um diálogo entre Jesus e João Batista. Somos cristãos, Jesus é o nosso modelo e devemos imitar o Seu procedimento. João Batista, por um momento, disse que não era digno de que Jesus o batizasse, mas Jesus falou que era necessário cumprir toda a justiça e o batizou.

Não podemos deixar que instruções da Palavra sejam desprezadas. Não podemos “editar” a Palavra de Deus, ajustando-a às nossas vontades. Não temos o direito de dizer “isso é besteira”, se isso está na Palavra. Devemos dizer: “Se está na Palavra, eu me submeto ao que está escrito”.

É muito ruim pegar um caminho errado. Imagine que você está em uma estrada que não conhece bem e, ao chegar a uma bifurcação, escolhe o caminho mais largo, que é o errado. Assim, você anda por 50 quilômetros e percebe que deveria ter pego a outra entrada. Está no caminho errado e tem que voltar, 50 quilômetros na ida e 50 km na volta. Você gosta quando isso acontece? Não, são 100 quilômetros perdidos. Ninguém gosta de pegar um caminho errado e a mensagem de hoje é para ajustarmos a nossa vida no caminho do certo.

Em Lucas 19.42, Jesus lamentou que as pessoas não tinham a revelação e o conhecimento do que tinham por direito. Shalom, bem estar, saúde, alegria estavam disponíveis, mas por não conhecerem, eles eram apertados por todos os lados e sofriam consequências, eles e suas famílias. Se conhecessem o que é devido e se desfrutassem do tempo da visitação de Deus, teriam sido poupados de muito sofrimento.

Hoje nós estamos dentro de um avivamento, mas é possível estar dentro do avivamento e não ser alcançado. A Bíblia diz que poucas pessoas fizeram festa com o nascimento de Jesus. Somente os pais, os magos e os anjos. Quem deveria ter feito a festa? Os homens ou os anjos? Os homens, mas eles não tinham conhecimento do tempo da visitação do Senhor. Minha pergunta é:

Será que eu e você não estamos sendo negligentes à visitação do Senhor, neste tempo? Será que temos empregado diligência em aproveitar esta oportunidade extraordinária?

Deus não quer que apenas pastores e líderes vivam essa visitação. Todos somos chamados de sacerdócio real e nação santa.

Pessoas de diversas profissões têm desejo de passar em um concurso público federal, porque oferece vantagens que outros tipos de empregos não oferecem. O funcionalismo público federal oferece muitas vantagens e muitas pessoas têm como alvo ter o seu nome publicado no Diário Oficial para tomar posse dos direitos. Apesar de ter alcançado o alvo, é possível alguém abrir mão e não desfrutar dos benefícios que um cargo desses oferece.

Trazendo para o nosso contexto, muitos de nós estamos inscritos no Livro da Vida, fazemos parte do Reino de Deus, mas não desfrutamos das condições que nos servem: paz, saúde, alegria. Encontramos crentes mendigando paz e a razão disso é porque Satanás cega o entendimento para que esta pessoa não saiba dos seus direitos e nem tenha ousadia para reivindicar.

Agora, imagine que você seja um passageiro que teve a sua viagem aérea remarcada para outro dia e horário. Você tem direito de receber da companhia um voucher de hospedagem e comida, até ser realocado em outro vôo. Quem sabe que tem esse direito, procura imediatamente a companhia e desfruta, mas quem não sabe que este voucher existe, vai ficar sofrendo calado ou murmurando no corredor do aeroporto.

Outro exemplo: Imagine que você vê uma pessoa com fome e paga um lanche pra ela. Você se satisfaria se o estabelecimento fornecesse apenas uma parte do lanche, uma vez que você pagou o valor inteiro? Não. Quem paga o preço quer que seja desfrutado completo.

Deus já nos deu tudo o que diz respeito à vida e à piedade. Se você não está desfrutando de tudo, alguém está lhe roubando. Precisamos ter os olhos do entendimento abertos para compreender qual a esperança do nosso chamado.

Nosso relacionamento com Deus não é a gente parado e Deus fazendo tudo, é cada um fazendo a sua parte porque Deus já fez a dEle.

Deus nunca trabalhou com pouco, mas por que o Diabo conseguiu colocar na nossa mente que o Senhor se agrada que tenhamos pouco? Não associe a palavra “humildade” à falta. Humildade é firmeza de caráter. Existem pessoas que são pobres, mas são soberbas. Somos chamados a evangelizar os pobres dizendo que no Evangelho tem suprimento. Satanás associa falta à humildade para a gente se conformar; entretanto, não é justo desejarmos algo lícito e não desfrutarmos.

Pessoas que trabalham muito, mas ganham pouco, não estão desfrutando da vontade de Deus para suas vidas. Falta e escassez não são o que Deus planejou. Quando Ele colocou o homem no jardim, antes do pecado, este tinha tudo em abundância e podia comer do jardim livremente. Ele não disse que Adão deveria comer com cuidado para não acabar, pelo contrário. Hoje, assim como naquela época, Deus quer que o homem tenha com sobra, se vista bem, trabalhe e ganhe o que é digno, o que é justo.

“Esperastes o muito, mas eis que veio a ser pouco; e esse pouco, quando o trouxestes para casa, eu dissipei com um sopro. Por que causa? disse o Senhor dos Exércitos. Por causa da minha casa, que está deserta, enquanto cada um de vós corre a sua própria casa” (Ageu 1.9).

Na Antiga Aliança, Deus era Deus e Senhor. Na nossa dispensação, Ele é Deus Todo poderoso, Senhor e Pai. Por que pessoas não têm desfrutado dos privilégios de serem filhos? Porque abandonaram a causa do Senhor e abraçaram a própria causa.

Alguns dizem que ainda não é tempo de servir ao Senhor e cada um vive correndo em favor dos seus próprios interesses. Não é correto desviarmos os recursos e o tempo que poderíamos estar servindo ao propósito do Senhor e aproveitarmos para nós mesmos. A razão de você trabalhar muito e ganhar pouco pode ser a independência de um relacionamento parcial, só consumindo de Deus: “quero mesada, quero dinheiro, quero carro”. Mas qual o prazer de Deus Pai em um relacionamento desse?

Se a bênção de Deus não estiver manifesta de forma extraordinária, os Seus planos e projetos não vão se manifestar. Quando Deus se manifesta com o extraordinário, chama a atenção de todos ao seu redor.

Digamos que vamos a um supermercado e não encontramos o produto da marca que gostamos de usar. Perguntamos a alguém que trabalha lá, sobre onde está determinado produto e então este diz que o produto está em falta, porque o representante não passou para entregá-lo. Assim como nesse exemplo, o mundo está olhando para nós e perguntando onde estão os frutos que representam os céus aqui na terra.

Se a igreja não se mantiver firme em manifestar o que foi chamada para demonstrar, os produtos do céu vão entrar em falta aqui na terra.

Quem pode demonstrar paz e alegria além daqueles que estão estabelecidos no Reino de Deus? Somente a Igreja do Senhor tem autoridade para isso!

Existem pessoas que negligenciam a vida com Deus por causa de compromissos profissionais, mas não é justo negligenciar a nossa parte na aliança. Não mudamos a proposta da aliança desde que Deus nos deu a visão de construirmos este templo para 5 mil pessoas, há 20 anos, pois, a obra de Deus não pode ser negligenciada em troca dos nossos próprios interesses.

A Bíblia relata que, durante 20 anos, a Arca que guardava a presença de Deus ficou na casa de Abinadabe. Talvez, para eles, aquela caixa apenas ocupava um espaço na casa, até mesmo a deixando num quarto de despejo. Mas quando Davi levou para a casa de Obede-Edom, em três meses, as pessoas podiam ver que a bênção do Senhor estava sobre ele e a sua família.

Obede-Edon viu a oportunidade de guardar a Arca em sua casa como um acesso para honrar a presença de Deus e cumprir os Seus propósitos. Para ele, guardar aquela Arca não era algo comum.

Igreja de Campina Grande, Deus tem a intenção de que cresçamos em todas as áreas e que esta igreja seja excelente. Deus tem em vista que você alcance o que deseja e Ele quer alcançar a sua necessidade. Ele quer nos alcançar no tempo da nossa visitação. Estamos vivendo este tempo que é bem sugestivo para que alcancemos satisfação em todas as áreas e os nossos alvos.

Qual é o seu propósito neste tempo da visitação? Comprar uma casa, trocar os móveis? O tempo da visitação de Deus nos proporciona isso, mas não podemos estar desvinculados do propósito e da Sua visitação nesse tempo. Precisamos abraçar a causa do Senhor e a colocarmos como prioridade para nossas vidas.

*Texto retirado do Site da Igreja Verbo da Vida Sede em Campina Grande-PB 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA