Somos o povo da esperança

Postado em
0

por João Roberto Albuquerque

A Bíblia reconhece na gente o povo da esperança. Ela garante que nós não somos como os demais que não têm esperança (I Tessalonicenses 4.13-17). Segurança, uma expectativa segura acerca do futuro. Cristo em nós é a esperança da glória!

Em todas estas coisas somos mais do que vencedores! Essa circunstância da pandemia, que eu não quero diminuí-la dizendo que é uma “coisinha”, mas quero lhe dizer que em vista ou confrontando o poder de Deus, ela não representa nada, porque da parte de Deus temos várias instruções sobre estar bem em toda e qualquer situação. Jesus deu detalhes de que mesmo se for uma coisa mortífera, não nos causará dano algum (Marcos 16.18). A gente tem da parte de Deus essa provisão, a gente precisa saber recorrer, saber receber.

Porque tudo de Deus é dado. Na Bíblia, lemos que Ele nos deu tudo o que diz respeito à vida e à piedade, mas essas condições estão no Espírito, logo, eu preciso ter este encontro nesse ambiente. Sem fé é impossível agradar a Deus, aquele que duvida não recebe. Mas por que duvidar se a gente pode crer? Então, seja responsável em administrar o seu crer e que seja um crer na condição de receber da parte de Deus.

Quero chamar atenção para o que nós representamos, somos a Igreja, somos o corpo de Cristo, podemos dizer que somos a continuação de Cristo aqui na terra. Deus tem um representante, Deus tem uma embaixada, tem embaixadores. Assim, eu e você temos deveres por estar nessa posição. Talvez muitos de nós só sabíamos receber desta posição, as bênçãos dessa posição, o favor dessa posição. Mas existe responsabilidade em ser embaixador.

Paulo, em suas orações, orava para ser achado idôneo na parte que lhe cabe da herança. E eu tenho falado que a parte que nos cabe da herança não é só desfrutar, mas a responsabilidade também é com os deveres que você recebeu e que a gente tem recebido, deveres para o desempenho como sal da terra e luz do mundo. Isso é uma prova de que Deus quer afetar o mundo através da gente, sendo luz pra iluminar a terra e sal para evitar uma destruição. Então, eu e você estamos nessa posição, talvez ainda como meninos. Na Bíblia, lemos que o que se alimenta de leite é inexperiente na Palavra, mas o alimento sólido é para os adultos, aqueles que na prática têm exercitado.

Vejo que essa situação nos dá a oportunidade de fazer essa leitura, de identificar qual a faixa etária que nos encontramos. E se a meta de Deus é de que a gente seja adultos, então seja rápido, se deixe levar, se exercite. O crescimento espiritual não tem que levar anos não, em um espaço curto de tempo, se houver aplicação e diligência, pode lhe tirar da imaturidade para a maturidade para você desfrutar de coisas maravilhosas da parte de Deus.

Em Apocalipse 5, 9-10 diz: “e entoavam novo cântico, dizendo: Digno és de tomar o livro e de abrir-lhe os selos, porque foste morto e com o teu sangue compraste para Deus os que procedem de toda tribo, língua, povo e nação e para o nosso Deus os constituíste reino e sacerdotes; e reinarão sobre a terra”.

Também, quero chamar sua atenção para o sacerdócio, essa posição de servir a Deus orando, de estar na intercessão, de poder ser esse mecanismo ou essa estrutura legal de intercessão na qual temos acesso a Deus. Como diz a Palavra lá em Hebreus 10.20“pelo novo caminho que nos consagrou”. Então eu e você somos reconhecidos como sacerdotes. Na Bíblia, lá em Pedro, também lemos que nós somos geração eleita, sacerdócio real. 

Tenho dito que a gente aprendeu a reinar. A revelação primeiro impactou chamando a nossa atenção para reinar em vida e a gente tem feito muito bem, tem conseguido acreditar e tomar posse das promessas, se posicionar em autoridade, mas de alguma forma parece que negligenciamos a parte do sacerdócio. Essa parte também foi entregue para nossa responsabilidade de servir a Deus, como esse intercessor, como aquele que sabe que tem a responsabilidade de representar, diante de Deus, e na Bíblia Jesus ainda é nomeado nessa função, o grande Sumo Sacerdote que está junto ao trono da graça. Desempenhamos este papel. Eu fico avaliando que situação favorável para a gente ter desenvoltura, avançar nisso, fazer essa medição e uma vez que você identifique que está fraco, pequeno ou negligente nessa área, por que ficar? Você não deve ficar preso ou estacionado, mas ter ousadia para se deixar levar para o que é perfeito, para a expectativa do coração de Deus que é nos achar idôneos na parte que nos cabe da herança. E essa parte nos cabe, que é servir a Deus orando.

Uma ponto  interessante é que o alcance de Deus nos dá bastante conforto, para nos expressarmos em oração, porque diz que com o seu sangue Ele comprou os que procedem de toda tribo, língua e nação. Eu digo: quem está fora? Todos estão debaixo dessa conquista de Deus. Não está limitado a uma nação, é o mundo todo, temos legalidade para interceder nessa abrangência.

Em I Timóteo 2 diz: “Antes de tudo, exorto”. Não é um pedido, é uma exortação, que se use a prática. Não é ocasional, o sacerdócio vive a prática desses pontos de súplica, oração, intercessão e ações de graças. No quesito oração e ações de graças eu diria que a gente está bem, mas a gente precisa rever como está a questão da súplica e da intercessão, que caracteriza um tipo de oração mais intensa que envolve mais tempo, mais de você mesmo. A súplica e a intercessão que a gente precisar restaurar são tipos de oração mais intensos, que requerem de você uma consagração para aquele motivo, é um servir a Deus orando, é a função sacerdotal a qual Ele espera alcançar em nossas vidas. 

A Bíblia já adverte que se alguma coisa mortífera o pegar, fique em paz, não vai causar dano. Não fique condenado se você estiver em um hospital. Deus ainda é Deus! Deus é o Deus que tudo pode. Você pode estar servindo a Deus em perfeita paz, em confiança e em louvor. Eu queria finalizar apontando aqui que tudo não depende só dessa pandemia. 

Estava ministrando sobre a praga do Egito, a morte dos primogênitos e Deus trouxe uma instrução para o povo. Havia ali uma circunstância, algo pontual, uma mortandade ia acontecer naquela noite. Então, Deus não parou o céu por causa daquela circunstância, ele deu instruções pontuais, mas Ele disse: “Eu vim mesmo aqui foi para advertir a vocês sobre a continuidade. Participem da páscoa, agora cingidos, calçados os pés, porque a vida continua. Vocês vão avançar, tem planos pra frente, tem uma conquista, tem uma libertação”. Deus não estava tomado por aquele momento, Ele estava querendo que aquele povo atravessasse aquele tempo para seguir com o resto da vida.

Quero que você entenda que a gente não deve ficar absorvido por causa dessa pandemia. A vida continua! Talvez a sua área de perturbação seja a questão das finanças. Eu posso lhe dizer que tem uma prosperidade que vai além dos bens. Tem pessoas mais ricas com menos bens, saindo desse tempo de pandemia porque alguns valores foram restaurados, inclusive chamados. Essa parada deu oportunidade para você enlarguecer em sua consagração e vai sair e colocar em prática o dom e a vocação que Deus lhe deu. Isso vale mais do que dinheiro!

Davi, quando estava naquela fuga de Saul, atuou em algumas coisas e, por um tempo, ele estava atuando junto à nações. Disse que vieram contra a cidade que ele estava, ou ele residia, mas não se encontrava lá no momento. Os amalequitas queimaram a cidade e levaram as mulheres e as crianças (I Samuel 30.1 e 2). Quando Davi voltou, encontrou a cidade queimada, nem mulher, nem meninos, nem bens, e além de tudo, os homens que estavam com Davi queriam apedrejá-lo. Disse que choraram até não ter mais forças para chorar. Isso é uma grande circunstância.

Na Bíblia, vemos que Davi recobrou o ânimo e é o que eu quero dizer para você. Nós somos o povo da esperança, precisamos recobrar o ânimo, a continuidade do propósito, do plano. Diz que Davi procurou o sacerdote e falou: “vamos examinar”. Ele estava buscando uma palavra de Deus. E o Senhor deu a ele uma “palavra Rhema” e disse que ele ia alcançar e trazer os outros de volta. Ele perseguiu e alcançou aquele grupo, restaurou tudo que roubaram e ainda trouxe o despojo. Eles ficaram melhores, ficaram com mais e chamaram aquilo de “o despojo de Davi”.

Aquilo que acrescentou o que eles já tinham. Eles fizeram festa, depois que atravessaram. Por que atravessaram? Por que Deus estava naquela causa. Davi recobrou o ânimo porque não era comum. Ele disse que tinha a orientação de Deus. Busque uma palavra de Deus nos seus negócios, busque uma palavra para a continuidade de sua vida, e quando Ele lhe der uma palavra, eu lhe digo: mesmo das cinzas você vai se levantar e vai avançar e o que Ele tem para nós, como Igreja, como filhos, em nada vai ser deficiente.

Fonte: Verbo da Vida Sede

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA