A importância do estímulo

Postado em
0
Ouvi certa vez que, quando nos tornamos mães, nós entendemos mais sobre o caráter de Deus. Bem, a maternidade tem me ensinado muito. Então, aproveito para contar alguns desses aprendizados que o Senhor falou ao meu coração sobre isso.
Outro dia recebi a visita de uma amiga que teve uma filha, Rebeca, no mesmo dia em que o Pedro, meu filho, nasceu. Amamos contar uma a outra as novidades dos nossos filhos, porque sempre tem coisas semelhantes, então, fica aquela conversa tipo: “ah, ela fez isso”, “ele também!”, etc. Mas, no ultimo encontro, nós já notamos diferenças. Mas, por que bebês nascidos no mesmo dia já demonstrariam diferenças no seu desenvolvimento em tão pouco tempo?
Revendo cada comportamento, comecei a perceber que a divergência estava no estímulo. Há uns dias atrás o Pedro, ao contrário da Rebeca, ainda não conseguia ficar tão firme. Entretanto, ele ama tomar banho e faz esse momento uma grande diversão, parecendo que veio uma “tsunami” no banheiro, enquanto Rebeca gosta de observar quietinha tudo que acontece enquanto sua mãe lhe dá o banho.
Pode ser que você pense: “cada bebê é de um jeito, se desenvolve de uma forma”, bem isso é uma verdade, mas estimular fará toda a diferença!
Refleti como tenho feito durante o banho do meu filho. Desde o início desejei que ele fizesse a maior farra e mesmo antes dele ter força nos braços e pernas eu dizia para ele se mexer , pois seria divertido, pegava eu mesma as perninhas dele e batia na água. Assim que ele adquiriu força, começou a fazer sozinho e hoje me divirto tanto quanto ele.
Existem estudos na psicologia sobre “Estímulo – Resposta” que trata sobre aqueles comportamentos que, quando são estimulados e premiados, tendem a se repetir. E não pára por aí! Se for uma experiência agradável e depois vivermos uma semelhante, nós generalizamos para um contexto mais amplo, entendendo que as outras do tipo também serão prazerosas.
Se você deseja que alguém faça algo, estimule-o a fazer: a cada etapa vencida para atingir o alvo, você o premia de alguma forma. Ele terá esse crescimento como algo prazeroso. Vamos pensar num contexto prático. Sua vontade é ver o seu filho estudando e praticando a Palavra de Deus. Então você precisa estimulá-lo a fazer isso, podendo isto ser ele lhe vendo ler e sentindo alegria nisso, bem como compartilhando com ele as coisas maravilhosas que encontrou nos seus estudos, ou ainda sentando juntos para estudarem um determinado texto e compartilhar de suas experiências com o Senhor nessa área.
Depois, quando o ver lendo a Bíblia, comentando sobre o que ele leu e até mesmo praticando a Palavra você o parabeniza, dá um afago e se alegra com ele. Esse exercício fará com que ele tenha prazer no Senhor.
É errado nós querermos que as pessoas repitam um bom comportamento sempre as criticando, como: “ah! finalmente hoje você fez! ”, ou “ podia ter sido melhor, mas…” ou ainda “fulano faz melhor que você, mas é melhor do que não fazer”. Elas podem até aprender algo, mas não farão questão de repetir ou de aprender mais nessa área.
 
Premiá-las sempre com presentes ou dinheiro também não trará em um longo prazo o efeito que desejamos, pois bens materiais envelhecem e perdem o valor inicial. Mas, elogiar, dar atenção, carinho, amor e valorização é o melhor caminho para, através do estímulo, buscarmos a resposta que desejamos.
Há também a possibilidade de ajudarmos quem amamos a mudar os comportamentos que não estão em linha com a Palavra de Deus, os quais nós sabemos que poderão terminar em maus resultados.  Basta você entender que é possível aprender, crescer e também mudar. Somos dotados de uma inteligência que nós mesmos desconhecemos.
Existem coisas na nossa vida que seguem um rumo natural de crescimento e amadurecimento, mas, mesmo sabendo que elas acontecerão, nós precisamos proporcionar uma atmosfera favorável para que aconteça. Para outras, precisamos estimular a fim de que aconteçam na fase certa ou até antes do esperado.
Deus também nos dá oportunidade de crescer. Ele colabora conosco dentro do nosso nível de maturidade, interesse e fé. Ele tem nos proporcionado um ambiente favorável e estrutura na Palavra, mas precisamos nos impulsionar para crescer.
Estimule as pessoas, mas não se esqueça de buscar estímulo na sua própria vida para viver e ser o que Deus planejou para você.
 
“Consideremo-nos uns aos outros, para nos ESTIMULARMOS ao amor e às boas obras” (Hebreus 10.24)

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA