Beleza Pura

Postado em
0

No início de Agosto, eu estive na Conferência de Ministros do Nordeste e pude ouvir ministrações maravilhosas. No Domino à noite, um ensinamento de Simon Potter me fez meditar em algo que nós, mulheres (e por que não também os homens?) passamos diariamente: a constante busca pela boa aparência.

 Não sei se você já prestou atenção, mas durante nossa vida desenvolvemos vários tipos de crenças. Veja bem, não falo a respeito da fé na Palavra de Deus apenas, mas coisas do tipo: “se comer manga com leite irá passar mal”; “se a barriga da grávida está redonda é sinal que é uma menina, mas se for pontuda é um menino”; “se a gestante tiver desejo de comer algo e não o fizer, o bebê nascerá com a cara do alimento”.

 Parece engraçado ou superstição, mas acabamos acreditando em coisas que não têm nenhuma comprovação científica.

 Outra crença que desenvolvemos é a respeito do ideal da aparência física. Agora me responda: quem sabe o que é bonito ou feio? Quem escolhe isso?

 Quem dita o formato do corpo ideal? Um artigo do “Jornal Time Ásia”, publicado em 2001, relata que as chinesas tem feito cirurgias plásticas para aumentar o tamanho de suas pernas. Mas, quem disse que pernas longas é que são bonitas? Outra pesquisa publicada em 2002 pelo “Jornal Britânico de Psiquiatria” fala que 63% das adolescentes das Ilhas Fiji depois de terem tido contato com televisão, fizeram algum tipo de dieta e mais de 10% desenvolveram bulimia.

 Diariamente somos bombardeadas por imagens do que seria o ideal de corpo e da moda. Essas imagens entram na nossa vida sem percebermos e, quando menos esperamos, nós estamos crendo que aquelas jovens magras, maquiadas e tendo seus corpos alterados por um programa de computador, são nossa meta de beleza, uma beleza artificial.

 Assim, uma figura é formada na nossa mente e todas as vezes que nos olhamos no espelho e percebemos que nosso corpo está diferente daquela imagem, entramos em sofrimento. Então criamos a chamada imagem corporal, que nada mais é do que a forma como vemos nosso corpo e como acreditamos que os outros nos vêem, mas tudo isso na nossa cabeça.

Para que você tenha uma idéia de como isso é sério e verdadeiro pessoas com algum membro amputado, uma perna, por exemplo, podem sentir dor ou coceira naquela perna que não está mais lá, mas a sensação é real! A questão é que o cérebro desta pessoa ainda não acostumou com a falta do membro, pois já está formada uma imagem corporal que precisará ser alterada para que não se tenha mais estas sensações.

 Uma pesquisa do instituto Central do Hospital de Clínicas em São Paulo realizou uma pesquisa com 346 adultos detectou que 17% deles têm algum prejuízo na vida social, nos relacionamentos e trabalho por não gostarem da sua aparência. 36% das mulheres não gostam de uma parte do corpo, 18% de duas partes e 4% de nenhuma parte. Foi comprovado que as mulheres têm uma tendência de achar que estão acima do peso quando na verdade seu peso está proporcional à sua altura. Isso é muito preocupante! Precisamos urgentemente mudar a imagem que temos de nós mesmas. Você pode estar vendo um defeito imaginário e ficando infeliz por causa disso.

 Logo que eu me casei, tinha muita vergonha de mostrar meu corpo para meu esposo, ficava com medo dele não gostar do que estava vendo. Para tentar disfarçar eu mesma me adiantava e dizia “é, parece que eu engordei”, “estou tão inchada hoje” ou “não gosto destas celulites”. Até que um dia ele falou que não estava percebendo todos os defeitos que eu vivia falando, mas se continuasse insistindo ele acreditaria! Sabe o que eu estava fazendo? Demonstrava minha insegurança e insatisfação comigo mesma para ele, despertando-o para algo que ele não percebia ou até que não estava tão evidente assim.

 Não existe um ideal de perfeição, mas a beleza está quando assumimos quem somos e não negligenciando nossa saúde. Se você não está contente com seu corpo faça algo para ser saudável. Escolha uma atividade física que goste e se determine a ficar bem consigo mesma. Procure um nutricionista ou endocrinologista e ouça a opinião dele, será que realmente precisa modificar tantas coisas? Adote uma dieta saudável, coma frutas, verduras, não coma tão tarde à noite. Adote práticas saudáveis para que você tenha mais disposição. Não fique de mau humor quando uma roupa não servir, sua alegria não deve depender deste tipo de circunstâncias.

 A Bíblia fala que um “coração alegre aformoseia o rosto” (Pv. 15.13), isso quer dizer que seu estado emocional vai refletir diretamente na sua beleza exterior. Podemos entender ainda que quando estamos bem, alegres e dispostas a permanecer assim, ficamos mais jovens, mais bonitas externamente. Não há nada de errado em cuidar dos cabelos ou fazer as unhas, pelo contrário! Se isso é importante para você e lhe faz bem, se organize e se cuide! Passe creme no corpo após o banho e se olhe no espelho, conheça sua verdadeira imagem. Admire seu corpo e a forma que Deus a criou, se ame.

 Simon Potter, na Conferência, disse: “você é tão infeliz com a forma que aparenta, mas esta infelicidade vem de dentro, concerte o lado de dentro e verá a beleza do lado de fora (…) muitos estão olhando para o bisturi dos homens para tirar uma infelicidade que o bisturi não pode alcançar. Deixe que a beleza não seja somente conforme a imagem que o mundo quer impor a você (…) não deixe esse sistema te dominar, redescubra a beleza que está dentro de você e deixe que ela exteriorize”.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA