Rir é o melhor remédio

Postado em
0

Certa vez um homem recebeu um diagnóstico que estava com uma doença gravíssima na coluna, a qual o deixaria paralítico e com dores horríveis, o levando a morte, e enquanto estivesse vivo seria mantido por remédios. Já imaginou se você recebesse um diagnóstico terrível, como reagiria? Esse senhor, Norman Cousins, não apenas deixaria de andar, dirigir, brincar com seus filhos como antes, mas sentiria dores agudas que o deixariam prostrado, impossibilitando-o de fazer suas atividades de rotina.

Mas, algo aconteceu! Este homem respondeu de maneira inusitada e contrariou tudo o que seus médicos diziam. Resolveu ir para um hotel e lá ficar fechado por seis meses, não para se lamentar, mas para rir. Isso mesmo! Ele pegou vários filmes de comédia e passava o dia se divertindo, não aceitava visitas de quem não fosse lhe contar pelo menos uma piada. Pessoas com pena dele, tristes e com más notícias estavam proibidas de visitá-lo.

Norman Cousins aplicou um princípio da Palavra de Deus em sua vida e foi completamente curado. Em Provérbios 17.22, lemos: “O coração alegre serve de bom remédio, mas o espírito abatido virá a secar os ossos”.

O resultado foi espantoso para os médicos, pois descobriram que para cada 10 minutos de risos, o paciente ficava duas horas sem dor e dormia tranqüilo. Os estudos descobriram mais: o riso estimula a produção de endorfinas, analgésicos naturais do corpo e agentes da sensação de bem-estar que ajudam a aliviar o estresse e a curar doenças.

Esse caso despertou a ciência a estudar o riso e a alegria. Pesquisas e experiências descobriram que a alegria é contagiante. Se você está perto de alguém feliz e sorridente a tendência é que isso lhe “pegue”. Sabe aqueles e-mails com bebezinhos lindos e com sorrisos sem alguns dentes? Impossível não dar um risada. Ou seja, até imagens refletem algo para nós.

Se a alegria é contagiante, a tristeza também é. Certo? Estar perto de alguém mal humorado murmurando o dia todo nos contamina sem ao menos percebermos. Más notícias, imagens de violência, acidentes ou assaltos vão despertar sentimentos equivalentes, como medo e angústia.

Por isso que grupos tem se reunido simplesmente para rir. A terapia do riso está cada vez mais divulgada, na qual um grupo de pessoas se reúne para rir, começam sem vontade, mas terminam às gargalhadas, isso por no máximo 45 minutos. Com isso, conseguem trabalhar o emocional, diminuir o stress, facilitar o surgimento de novas estratégias para os problemas, diminuir dores através da liberação de endorfina no organismo, fortalecer o sistema imunológico, equilibrar a produção de hormônios, melhorar a respiração, estimular a digestão e combater problemas de sono e depressão. E, como se não bastasse, os participantes ainda queimam calorias e trabalham o abdômen, às vezes, até mais do que em uma aula na academia!

A partir disso você já deve ter pensado que rir é o melhor remédio. Pensar nos problemas, imaginar o que o outro disse ou pensou não vai ajudar a resolver nada. Pelo contrario, vai deixá-la ainda mais receosa e armada. Se a pessoa envolvida no problema der qualquer sinal como, dependendo do caso, simplesmente não dizer bom dia, é o suficiente para iniciar uma discussão ou gerar um clima ruim, já que no dia anterior você havia pensado em tudo, com suas estratégias e suposições negativas.

A medicina também comprova que as pessoas negativas, tristes ou desconfiadas têm tendência a adoecer com freqüência, ter quadros depressivos e morrer cedo, ao contrário das pessoas felizes, as quais vivem por mais tempo.

Você pode pensar que para determinado problema não se aplica pensar positivo ou sentir alegria, pois a solução do mesmo não depende de você ou tem sido um grande peso. Mas, e se eu reafirmar que funciona e lhe desafiar a fazer um teste?

Certa vez, eu estava vivendo uma situação de angústia e resolvi me atentar para o texto de Filipenses 4.8:“Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento”.

Se você meditar sobre isso, vai perceber que Paulo falava exatamente sobre manter o pensamento na idéia certa, a que vai dar certo, que é possível, alegrando-se mesmo quando aparentemente não haja motivo e não pensando em todas as possibilidades de tudo dar errado.

A ciência comprova o que Deus nos fala através da Sua Palavra: bons sentimentos modificam a reação do organismo frente ao stress, e vai além disto, a alegria é contagiante, você pode contagiar as pessoas ao seu redor, mudar o ambiente em que você está e vencer os desafios.

Use e abuse desse remédio que não tem contra indicações, pelo contrário, vai lhe rejuvenescer e fortalecer para enfrentar as aflições que possam surgir no dia-a-dia.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA