As aparências enganam

Postado em
0

A chave das grandes coisas que podemos fazer no Reino de Deus está conectada ao nosso coração, a vida privada. Não adianta demonstrar tanta eminência espiritual para as pessoas, e ter uma atitude errada por dentro, nem tentar provar que tudo vai bem, quando você sabe que tudo vai de mal a pior.  É sobre esse assunto que iremos conversar no texto de hoje, a luz da história do Rei Davi (I Samuel 16).

Imagino como tenha sido aquela manhã para os irmãos de Davi, eles tinham o anseio de crescer na vida, de ocupar uma posição de autoridade. O mesmo desejo que temos, de crescer no ministério, na profissão, financeiramente. Creio que cada um deles ao se apresentar ao profeta, se esforçavam ao máximo para demonstrar suas habilidades.

Muitas vezes agimos dessa forma no Corpo de Cristo, fazemos questão de aparentar o quanto somos especiais, mas, por dentro estamos com a motivação errada. Mas, as aparências enganam a homens,  não a Deus que TUDO VÊ.

O melhor é que sejamos como Davi, nos bastidores ele era fervoroso de espírito, nos anos de preparação matou o leão, o urso, sem que ninguém o visse, e nem por isso deixou de continuar fazendo as mesmas coisas em obediência ao seu pai. E no tempo e modo certo, Deus que vê todas as coisas o tirou de detrás das malhadas.

Quanto mais nos preocuparmos em provar algo aos homens, longe da vontade de Deus estaremos, pois a nossa motivação estará comprometida. Então, não se preocupe em ser reconhecido, apenas honre ao Senhor de todo seu coração, e Ele recompensará sua fidelidade.

Do ponto de vista do Sacerdote, cada filho de Jessé que se apresentava, ele pensava consigo – “Está diante de mim o escolhido do Senhor, olha sua aparência!” Mas, Deus reprovou suas escolhas, e ensinou-lhe uma importante lição – “O homem vê a aparência, Eu vejo o coração!” Assim, quando o jovem Davi passou diante do profeta, Deus abriu seus olhos espirituais, e ele viu que diante dele estava o escolhido do Senhor.

É fato que devemos a amar todas as pessoas com o amor de Deus, independente de suas falhas. Ainda assim, a instrução que podemos aprender nessa passagem, é no que diz respeito a construção de relacionamentos, de levantar pessoas em posições de autoridade,além de analisarmos seus frutos, devemos ser guiados pelo espírito, e enxergá-las por dentro.  Aliás, tem muita gente boa, escondida por trás das malhadas,  e  nós,  fomos chamados por Deus para encontrá-las e ajudá-las a cumprir o propósito.

Sei que aprendemos que Deus vê o coração, e nós, enxergamos os frutos das pessoas, e isso é correto. Mas, além disso, quando somos guiados pelo Espírito da Verdade, iremos discernir a essência da aparência, saberemos pelo espírito quem sãos as pessoas que devem fazer parte do nosso círculo de amizade e etc.

Irmãos, cultivemos uma vida de essência, com a motivação certa diante do Senhor. Que a nossa aparência expresse o desejo que temos de agradar a Ele! Que tenhamos uma vida coerente com aquilo que pregamos. “Faça o que digo, mas, não faça o que eu faço” é um conceito do mundo, não se aplica a nós que nascemos de novo, e vivemos para Deus. Como crentes, somos como uma vitrine para o mundo, então, que a nossa aparência demonstre verdadeiramente a vida de Deus.

Querido, se você percebe que tem vivido uma vida de aparência, e não de essência, não se condene, estamos crescendo; em áreas diferentes, todos nós erramos e acertamos. Mas se arrependa, mude de atitude, apegue-se a palavra, encha-se do Espírito Santo, e seja ministrado diariamente com os valores que agradam a Deus. Decida viver uma vida de joelhos diante do Senhor, na vida privada e pública.

 

 

 

 

 

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA