Comparação, aprovação e aceitação

Postado em
0

por Luana Mayara

A comparação, a aprovação e a aceitação são três palavras que minam o crescimento espiritual e atrapalham o potencial de uma pessoa. A comparação, aquele sentimento que cresce quando não estamos conscientes, ou andando nas verdades de “Quem somos em Cristo Jesus” é um tipo de atitude que se desenvolve a partir de uma observação e uma sugestão maligna.

Você admirar alguém, até aí está tudo bem, a questão é quando acolhemos uma sugestão  do tipo: “Você não é tão bom quanto essa pessoa, olha o que ela está fazendo, seus resultados, e os seus estão aquém?”.

Se estamos fortes na convicção que somos filhos de Deus, amados pelo Pai, imediatamente iremos rejeitar esse pensamento. Não daremos atenção. Agora se estamos vacilantes com certeza iremos acolher. No momento que acatamos, paralisamos, primeiro porque não consideramos a vida de Deus que está dentro de nós. Em segundo lugar, nos tornamos pessoas desanimadas, sem senso de valor, reclamando, ou com sentimento de intimidação. Estacionamos no tempo.

Falando sobre aprovação e aceitação, todos nós de fato desejamos essas duas palavras, é inerente ao ser humano. Em nossa família temos expectativas de aprovação por quem somos e fazemos por eles. O mesmo em nosso trabalho, no ministério. Nada de errado ter expectativa de forma equilibrada.

Mas, depender da aceitação e da aprovação humana nos coloca no palco da insatisfação. Porque é impossível agradar todas as pessoas, que todos estejam felizes, agradados com os nossos resultados. Além disso, como já mencionamos é desconsiderar o nosso verdadeiro valor em Cristo. Demonstra também uma atitude de orgulho. Se a nossa alegria está em aceitação e aprovação humana é porque vivemos na bolha da autoconsciência, nosso coração está envaidecido, orgulhoso por aquilo que fazemos.

Essa necessidade de aplauso se chama orgulho ou falta de amadurecimento, e de compreensão do propósito que fomos chamados para realizar aqui na terra. Que nada tem a ver com o nosso nome, mas, sim ANUNCIAR quem JESUS É E TODA SUA BONDADE.

As três atitudes andam juntas, são obras da carne, são malignas, distrações que paralisam o nosso chamado. Quem se compara deseja ser aprovado e aceito pelas pessoas. E fica bem frustrado quando isso não acontece! Essas três situações já aconteceram comigo. De forma resumida, descobri meu chamado aos onze anos de idade. Lá pelos 12 anos já estava pregando, o tempo foi passando e sempre procurei ser fiel. Mas, algumas portas de pregação não se abriam para mim e pra outras pessoas sim.

A princípio eu não tinha consciência dessas coisas, mas, levemente, as sugestões malignas foram batendo na minha porta, e por falta de maturidade eu abri. Além de situações negativas que vivi, quando muito cedo se descobre o chamado é possível que a gente sofra com ciúmes, invejas, resistências de pessoas. Aqui não daria para contar tudo, mas não foi fácil! Pelo menos na minha experiência, talvez, com você seja diferente, estou compartilhando apenas o que vivi. Passei a me comparar com algumas pessoas, o resultado é que passei a desvalorizar a vida e o chamado divino na minha vida. E também fiquei frustrada e desanimada. Enfim, meus olhos foram abertos, e aprendi algumas coisas que me ajudaram muito, todas baseadas na Palavra de Deus. Quero compartilhar para ajudá-lo.

  1. Seu valor é o Sangue de Jesus

Andar em liberdade é não depender de elogios, aplausos, reconhecimentos. Nem se permitir ser atingidos com críticas destrutivas, reprovação. É, verdadeiramente, uma vida livre da comparação, aceitação e aprovação. Uma vida acima dos valores terrenos só é possível se meditarmos no que a Palavra diz sobre nosso valor em Cristo. Uma meditação diária sobre o amor de Deus. Quando o amor governa, o medo se dissipa. Minha vida melhorou completamente quando comecei a declarar, constantemente, quem eu sou em Cristo Jesus!

Seja disciplinado para confessar diariamente: “Sou aceito pelo Amado, meu valor é o Sangue de Jesus; Sou filho (a) de Deus, o Pai tem uma história de paz e prosperidade para mim!” Confissões simples, como essa, mudam sua perspectiva de vida, porque ao invés de pensarmos em nós de forma egoísta, como se o mundo tivesse que girar a nossa volta, e todos tivessem obrigação de gostar de nós, mudamos o foco, encontrando nosso lugar em Cristo e pensando de forma equilibrada sobre nosso valor. É uma mudança tão radical que nosso desejo é passar a ser governado pelo amor de Deus que tem prazer no servir sem esperar nada em troca. 

  1. O poder da gratidão

Quando somos, diariamente, gratos pela salvação em Cristo, nosso coração sempre vai transbordar de alegria. De modo, que não teremos tempo para olhar para a vida do vizinho. Não iremos dar atenção as situações de rejeição, mesmo que aconteça. A gratidão é a memória do coração. O tipo de memória que gera convicções do quanto somos amados, justificados em Cristo Jesus. Seja diariamente grato e nenhuma comparação terá lugar no seu coração. Quanto mais gratos, mais desejosos de agradar a Deus nos tornamos!

  1. Consciência do Propósito

Todos nós fomos criados para realizar alguma coisa que magnifique o nome do Senhor. Uns para ensinar, outros para trabalhar no Departamento Infantil, outros com a restauração de família, também para serem médicos, advogados e etc. Talvez, não tenhamos consciência do nosso propósito específico e a falta de clareza pode nos levar para um lugar de se comparar com quem já sabe e está realizando.

Entender a nossa vocação é uma construção de comunhão com o Pai e crescimento espiritual. A cada passo da caminhada, entendemos uma faceta desse plano. Agora, é possível que por não entender o que Deus tem para sua vida, um sentimento de apatia, uma frieza espiritual venha sobre você. O que fazer? Andar naquilo que está escrito na Palavra. Com toda certeza, fomos chamados para servir e para ministrar a salvação ao mundo perdido. Fazendo essas duas coisas você vai entender, pela inspiração divina, o que você nasceu para realizar aqui na terra. Seja frutífero, sirva na sua igreja local e exerça o ministério da reconciliação evangelizando, pregando as boas novas!

Alguns textos para você meditar sobre quem você é em Cristo, bem como, sobre o seu propósito.

“Porque SOMOS FEITURA sua, criados em Cristo Jesus para as boas obras, as quais Deus preparou para que andássemos nelas” (Efésios 2.10).

“Mas vós sois a GERAÇÃO ELEITA, O SACERDÓCIO REAL, A NAÇÃO SANTA, O POVO ADQUIRIDO, para que anuncieis as virtudes daquele que vos chamou das trevas para a sua maravilhosa luz” (1 Pedro 2.9).

“Assim que, se alguém está em Cristo, NOVA CRIATURA é; as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo. E tudo isto provém de Deus, que nos reconciliou consigo mesmo por Jesus Cristo, e nos deu O MINISTÉRIO DA RECONCILIAÇÃO” (2 Coríntios 5.17,18).

“PORTANTO IDE, FAZEI DISCÍPULOS DE TODAS AS NAÇÕES, batizando-os em nome do Pai, e do Filho, e do Espírito Santo; Ensinando-os a guardar todas as coisas que eu vos tenho mandado; e eis que eu estou convosco todos os dias, até a consumação dos séculos. Amém” Mateus (28.19,20).

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA