A Igreja em todas as esferas da sociedade

Postado em
0

Por Manoel Dias

*Trechos da mensagem do dia 30 de Setembro de 2018 na Igreja Sede em Campina Grande 

Quando a Palavra de Deus diz que somos sal e luz desta terra, está falando sobre a nossa responsabilidade como cristãos na sociedade. Pedro, de uma forma sábia, fala que somos pedras vivas e casa espiritual (1 Pedro 2.5). Isso faz referência a nossa responsabilidade de orar por nossa nação.

A nossa identidade, como nascidos de novo, vai além de sermos corpo de Cristo. Temos a missão de anunciar as boas-novas, as verdades de Deus. Ele deseja tratar todas as nossas esferas de relacionamentos. Deus tem levantado cristãos em todos os setores da sociedade. Nosso alvo deve ser proclamar as suas verdades, testemunhar e refletir a Sua glória em todas as esferas nas quais estamos atuando na sociedade.

Vejamos quais são essas esferas:

Esfera individual – diz respeito a como lidar com o mundo e como lidar consigo mesmo. Refere-se a uma decisão acerca de andarmos no espírito. Deus, de uma forma paternal, nos instrui para escolhermos o caminho da vida (Deuteronômio 30. 8). Precisamos refletir para tomarmos decisões sábias, porque a Palavra de Deus nos instrui a isso.

Esfera familiar – precisamos entender que a  família é o projeto de Deus. Somos corpo de Cristo e a responsabilidade dessa verdade é nossa.

Esfera de governo – no contexto de sociedade, Deus estabeleceu os governos humanos em Gênesis 9. Até então, Deus era o juiz de toda a terra. No livro de Romanos 13. 2-7, Paulo aponta a necessidade de entendermos que temos de prestar contas ao nosso governo. Esse ano vamos ter eleições e precisamos escolher bem quem serão nossos representantes.

Ao nos submetemos a autoridades mundanas, devemos lembrar do que Jesus disse: “Dai, pois, a Cesar o que é de Cesar” (Mateus 22). Nesse contexto, Jesus estava reconhecendo um governo, a autoridade Romana da época. Não é diferente do que o que Paulo, propõe em Romanos 13, onde instrui a igreja a entender o conceito de autoridade. Estamos vivendo um período importante para nossa nação. Quem nós elegermos, determinará o governo que teremos.

É comum relacionamos a existência de espíritos enganadores e doutrinas de demônios à esfera individual, mas tais espíritos atuam em todas essas esferas, inclusive na esfera da sociedade. Devemos orar para sermos livres desse tipo de engano. Existem filosofias que estão cheias influencias desses espíritos enganadores. Precisamos estar atentos a isso.

Nós, como igreja, temos a identidade que protege a humanidade de perder os princípios de Deus.

A igreja deve apontar para os últimos dias, enquanto estamos aqui, temos o poder de influenciar e preservar. Assim como o sal não deixa a carne apodrecer, nós somos o povo que protege. Nesse período de eleições, precisamos de pessoas que inspiradas por Deus do governo, pessoas firmadas nos valores da Palavra. A igreja tem a vocação, tem o chamado de Deus para afetar o lugar onde ela está. Nós temos uma vocação, não só de cumprir algo dentro da igreja, mas de anunciar as boas-novas até os confins da terra (Mateus 5.13-16).

Podemos falar sobre “as sete montanhas” ou sete áreas da sociedade, são elas: arte e entretenimento; mídia e a comunicação; governo e política; economia e negócios; educação e ciência; família, igreja e religião. O Senhor tem levantado, vocacionado, pessoas inspiradas em cada um desses setores. Isso faz parte da responsabilidade da igreja.

Além de proclamar o evangelho, nós precisamos levantar pessoas vocacionadas a serem juízes, professores, médicos, cientistas entre tantas profissões. Há um propósito. Deus levanta essas pessoas para que Ele seja sustentado em todas essas áreas da sociedade.

No momento que temos vivido em  nossa nação, devemos orar para que homens maus não entrem no governo. O nosso sistema de governo é a democracia, então podemos orar para ter clareza nas decisões certas. O voto é o nosso poder de colocar pessoas no governo. Depois de eleitos, devemos orar por eles.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA