Faça o melhor em seu lar

Postado em
0

por Renato Gaudard

 

Quantos de vocês foram jovens solteiros na igreja? Hoje você está casado? Você que conheceu a Palavra antes do seu casamento, deve ter feito algo parecido com o que eu fiz. Quando pensava na pessoa com quem iria dividir a vida, você chegou a colocar no papel as coisas que queria encontrar na pessoa? Não é errado você criar expectativas, critérios e procurar valores, virtudes, que você reconhece como bons. Agora, eu já vi pessoas que colocaram nessa listinha um padrão tão alto. Fico pensando se essa pessoa consegue oferecer de volta também a mesma coisa.

Quando os filhos nascem vivemos algo bem parecido. Temos expectativa de como nossos filhos vão ser, o comportamento deles, como vai ser a personalidade deles, pra que time de futebol eles vão torcer. Existem algumas características que esperamos ver neles. Às vezes, até os filhos tem um sentimento de desejar que os seus pais fossem de determinadas maneiras.

Temos uma grande capacidade de gerar expectativas em relação ao comportamento das outras pessoas. Expectativas em relação a quem estas pessoas vão ser para nós. Quando um jovem solteiro se projeta num casamento, tem as melhores expectativas em relação a como a sua esposa vai lhe atender. Estamos sempre aguardando um tipo de resposta dentro de casa.

Queridos, quando colocamos uma grande expectativa no outro – na esposa e nos filhos – depositando a minha confiança sobre o que determinará o sucesso da minha família no outro, estou tirando o foco de mim mesmo. 

A única pessoa que você realmente é capaz de mudar é a si mesmo.

Seja para o outro. Não é você que torna o outro como quer, mas você pode se tornar quem precisa. Temos casamentos que passam por muitas dificuldades por causa das grandes expectativas que são geradas no outro e não são atendidas. Eu não posso fazer da minha esposa o que eu quero, mas eu posso ser para ela. Quando eu entendo isso, abre-se uma perspectiva maravilhosa acerca do futuro.

Ame e confie, entendendo que na força do seu braço tem coisas que não vai conseguir fazer. Não podemos viver uma vida de insatisfação por causa de expectativas que temos e não foram correspondidas. Devemos mudar o foco para nós mesmos. Enquanto olhamos para o outros não vamos conseguir entender no que podemos mudar.

Deus lhe chamou para ser feliz no casamento. Essa felicidade não tem que, necessariamente, depender do que o outro está fazendo. Tem mais a ver com as  decisões que você toma em relação a si mesmo. Quando você faz o seu melhor, 50% do todo já foi resolvido. Entender que você é responsável pelas suas mudanças pode livrar você de alguns tipos de sentimentos, como ter pena de si mesmo. Isso é porque não veem o outro se comportando como espera e então pensam: “Poxa, mas eu não merecia isso”. Isso acontece quando colocamos nossa expectativa somente no outro. É possível que algumas pessoas tenham que fazer realmente algo diferente por você ou ter um novo comportamento, mas se você não pode mudar isso e afetar diretamente no comportamento do outro, só nos cabe descansar e se livrar de um sentimento de pena de si mesmo. Esse sentimento vai deixá-lo paralisado e limitado, quando Deus o quer livre para viver uma vida cristã madura, a plenitude do que Ele tem para sua vida. Para exercer confiança n’Ele e amar as outras pessoas. O amor não depende de reciprocidade. Se fosse assim estaríamos numa encrenca. Deus nos entregou Seu filho quando ainda éramos pecadores e não por merecimento.

O que eu faço pelo meu cônjuge ou pelos meus filhos não é questão de merecimento. Fala daquilo que eu tenho dentro de mim, daquilo que é minha natureza e eu aprendi com meu Pai celeste.

Ele me amou e quando eu amo a Deus e não amo o meu irmão eu sou um mentiroso. A forma como eu me relaciono com o outro fala de como eu me relaciono com Deus. Se eu tenho dificuldade de fazer o melhor para minha esposa a quem posso ver, é muito provável que eu não consiga fazer o melhor para Deus, que eu não vejo. Chega de ficar sentindo pena de si mesmo e achar que as coisas estão atropelando você sem que você mereça. Não interessa se você merece ou não, mas o que você vai fazer diante do que está acontecendo. 

Um psicólogo judeu que esteve preso nos campos de concentração disse que “Pode se tirar tudo de um homem, exceto uma coisa, a última das liberdades humanas: escolher a própria atitude em qualquer circunstância, escolher o próprio caminho.

O bem que você tem como responsabilidade de fazer em sua casa, não depende do que eles fazem em relação a você. 

Está na hora de você começar a determinar porque você sabe que tipo de comportamento deve ter em sua casa. Jesus era movido de íntima compaixão. 

“Indo Jesus para os lados de Cesareia de Filipe, perguntou a seus discípulos: Quem diz o povo ser o Filho do Homem? E eles responderam: Uns dizem: João Batista; outros: Elias; e outros: Jeremias ou algum dos profetas. Mas vós, continuou ele, quem dizeis que eu sou? Respondendo Simão Pedro, disse: Tu és o Cristo, o Filho do Deus vivo. Então, Jesus lhe afirmou: Bem-aventurado és, Simão Barjonas, porque não foi carne e sangue que to revelaram, mas meu Pai, que está nos céus. Também eu te digo que tu és Pedro, e sobre esta pedra edificarei a minha igreja, e as portas do inferno não prevalecerão contra ela. Dar-te-ei as chaves do reino dos céus; o que ligares na terra terá sido ligado nos céus; e o que desligares na terra terá sido desligado nos céus. Então, advertiu os discípulos de que a ninguém dissessem ser ele o Cristo. Desde esse tempo, começou Jesus Cristo a mostrar a seus discípulos que lhe era necessário seguir para Jerusalém e sofrer muitas coisas dos anciãos, dos principais sacerdotes e dos escribas, ser morto e ressuscitado no terceiro dia. E Pedro, chamando-o à parte, começou a reprová-lo, dizendo: Tem compaixão de ti, Senhor; isso de modo algum te acontecerá. Mas Jesus, voltando-se, disse a Pedro: Arreda, Satanás! Tu és para mim pedra de tropeço, porque não cogitas das coisas de Deus, e sim das dos homens” (Mateus 16.21).

Pedro reprovou o sacrifício anunciado por Jesus, quando falou para ter compaixão de si mesmo. Mas Jesus o repreendeu. Veja como Cristo se comportou quando alguém sugeriu que Ele tivesse pena de si mesmo. Jesus falava dos planos de Deus para Ele e se acolhesse a sugestão de Pedro, teria ficado pelo caminho do plano do Pai para Ele. 

Deus não quer que você tenha pena de si mesmo porque vai interromper o plano d’Ele para sua vida. Jesus não deu margem porque sabia de onde estava vindo aquela sugestão. Talvez seja o próprio diabo para que vocês se sintam vitimizados e penalizados. Isso porque esse sentimento o deixa paralisado, enquanto observar a necessidade dos outros, ter compaixão e fazer algo para socorrer, o outro vai colocar você em movimento. 

Deus sabe que a vida d’Ele em você é capaz de levantá-lo e fazer o que precisa ser feito porque alguém precisa. O Senhor tem expectativa de que onde você está plantado, faça a diferença, antes que alguém faça algo por você. 

Está na hora de deixar de lado as coisas que porventura fizeram contra você e levantam no seu coração um sentimento de injustiça. Você não é vítima, você é filho de Deus. Existem sementes da Palavra em você e um vigor do Espírito dentro de você para que seja luz e sal onde estiver.

O seu melhor só depende de você e deve estar disponível para seu marido, para sua esposa, para seus filhos. Deus quer ver você firme constante e inabalável naquilo que Ele tem expectativa de que você faça. Tome posição e veja as circunstâncias mudarem. Chega de ficar suscetível, volúvel ou variando. Uma hora está bem e outra hora está mal. Chega disso! 

A vida que Deus lhe chamou para viver é de constância. 

Quando você vem de uma vida de murmurar por causa das coisas que acontecem a sua volta, você expressa falta de confiança em Deus. Se você entende que Ele é a sua justiça, vai estar pronto para entregar para Ele o que não é capaz de fazer. Quando você confia, nada pode roubar sua alegria. 

Peça sabedoria a Deus com fé n’Ele e em nada duvidando (Tiago 1.6). Viver insatisfeito vai produzir uma pessoa inconstante, que começa e não termina, que uma hora está avivado e em outra frio, alguém em que não se pode depositar confiança. Esse é o resultado de quem não está confiando em Deus, não lançando para Ele suas ansiedades e alimentando a expectativa somente no outro. Chega de expressar insatisfação, porque quem reclama não confia e está com algum problema de fé. Quem está com alguma deficiência na fé, vai deixar de receber de Deus o que Ele tem. 

Não fique esperando apenas nos outros. Deixe Deus resolver. Não se economize, dê o seu melhor e seja o melhor para sua casa, casamento, filhos. Declaro planos completos sobre a sua vida, uma nova disposição, um novo olhar, espírito iluminado sobre sua vida, você se vendo de uma outra forma e mudando o ambiente na sua casa e relacionamento. Você carrega esse poder dentro de você!

*Trechos da mensagem durante a “Semana da Família” em Campo Grande (RJ)

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA