Quem envia os missionários?

Postado em
3

De quem é a responsabilidade de enviar um missionário para o campo? Será da igreja local, da liderança do ministério, da agência missionária ou da escola de missões? Essas são perguntas que me fazem constantemente.

 Podem ser dados muitos exemplos de diferentes casos de envios de missionários para o campo, alguns bem sucedidos e outros não, em todos os ministérios. Ao longo da história da igreja, muitas tentativas foram feitas para que a Palavra de Deus fosse pregada no mundo através dos missionários. Foi por este motivo que as agências missionárias surgiram.

 Em primeiro lugar, o cristão chamado para a obra missionária deve entender que o chamado, a vocação, vem de Deus. Não vem da sua família ou da sua liderança. Não é porque uma pessoa serve fielmente na igreja que ele tem um chamado para o ministério e tampouco para cumpri-lo em outra nação.

 O missionário precisa ter esta convicção em seu espírito, que foi Deus quem, primeiramente, o chamou, mesmo que ele ainda não entenda completamente tal chamado, precisa ter uma convicção por dentro de que o tem.

 Em Atos 13.1-3, vemos o Espírito de Deus separando e enviando Saulo e Barnabé. Mas, também vemos as autoridades da igreja impondo as mãos sobre eles e os despedindo. Então, entendemos que a igreja tem uma participação neste envio, junto com o Espírito de Deus.

 A obra missionária é uma parceria íntima de todo o Corpo de Cristo, não apenas de uma só pessoa. É impossível fazer a obra de Deus sozinho, pois precisamos uns dos outros. O corpo precisa trabalhar junto.

 Alguém que entende ser chamado por Deus para o campo missionário deve se preparar, e tal preparo não deve ser uma responsabilidade do pastor. O pastor vai apenas ajudá-lo nesta preparação; ensinando-o, corrigindo-o, orientando-o, mostrando ao missionário os erros mais comuns no ministério para que ele não venha a cometê-los.

 Contudo, o missionário deve se mostrar interessado em aprender, se esforçar para estudar a Palavra de Deus, aprender como funciona os bastidores de uma igreja local, como iniciar uma obra, desenvolver um bom caráter, aprender a viver pela fé e a ser guiado pelo Espírito de Deus em todas as áreas da sua vida, antes de ir para o campo. Sendo assim, o pastor tem apenas uma parte de responsabilidade e participação neste treinamento.

 Nós somos quem aceleramos ou retardamos o cumprimento do chamado em nossa vida com as respostas que damos ao que temos aprendido, não é Deus e nem o pastor.

 E a agência? A maioria das agências de missões no mundo são interdenominacionais, ou seja, não estão diretamente ligadas à uma denominação. Elas trabalham com missionários de igrejas diferentes e eles pagam um determinado valor para serem assistidos por elas.

 O Papel da Agência de Missões Verbo da Vida (AGMVV) não é esse. Nós somos uma agência denominacional, então, trabalhamos somente com missionários do Ministério Verbo da Vida. A AGMVV é um departamento do MVV que acompanha os trabalhos missionários do ministério, como também as famílias que estão no campo.

 A AGMVV não recebe nenhuma porcentagem dos missionários, como é comum nas agências interdenominacionais, ela se mantém com recursos do próprio MVV. Sendo assim, a AGMVV não possui fins lucrativos. Ela existe para ajudar as Igrejas Verbo da Vida a recrutar, treinar, enviar e sustentar os seus missionários.

 Não pagamos, como agência, salários aos missionários. Mas, nós instruímos nossas igrejas a promover formas de arrecadações financeira, pelas quais venham a manter de forma parcial ou integral os missionários por elas enviados.

 Somos facilitadores para que os missionários cumpram de forma efetiva o chamado e o ministério que o Senhor Jesus Cristo os concedeu, intermediando o relacionamento daqueles que estão no campo com os que ficam na Igreja local, através de uma comunicação contínua e atualizada. Nós trabalhamos para que esses homens e mulheres cheios de fé e guiados pelo Espírito de Deus sejam bem sucedidos. Trabalhamos para suportá-los no campo; supervisionando e divulgando o que tem sido por eles realizado.

 E a Escola Rhema de Missões Mundiais? A ERMM sim é interdenominacional. Pessoas de qualquer denominação, desde que graduadas no Rhema Brasil ou em outra instituição reconhecida pelo MVV, que entendem ser chamadas por Deus, podem estudar. A escola é um projeto da AGMVV visando auxiliar os pastores no treinamento missionário, capacitando obreiros para o trabalho no campo.

 A escola não envia nenhum missionário, apenas auxilia no preparo. Deus tem levantado muitos ceifeiros para o campo e, muitas vezes, os pastores não têm como dar treinamento específico para todos, sendo assim, a ERMM dá este suporte mais específico para as igrejas locais, através de uma dinâmica capacitação para o campo missionário.

 A ERMM trabalha utilizando as habilidades naturais dos homens, somando-as ao poder sobrenatural de Deus, criando neles, uma força missionária explosiva para alcançar o mundo. Assim, esta escola está para servir à igreja do nosso Senhor Jesus Cristo.

 Deus chama, Deus capacita e Deus envia. Mas, é responsabilidade da igreja local auxiliar o missionário no treinamento, no envio e no campo, podendo, para isto, contar com a ajuda da escola e da agência no que estiver ao nosso alcance e dentro das normas estabelecidas na visão que nos foi dada.

 

3 COMENTÁRIOS

  1. estas são respostas muito importantes, gostei e agradeço pois no regimento interno temos visto isso mais não todos os dias que vemos isto, enfim parabéns…

DEIXE UMA RESPOSTA