Alegria é maturidade

Postado em
0

por Thiago Borba

“Eu, irmãos, quando fui ter convosco, anunciando-vos o testemunho de Deus, não o fiz com ostentação de linguagem ou de sabedoria. Porque decidi nada saber entre vós, senão a Jesus Cristo e este crucificado. E foi em fraqueza, temor e grande tremor que eu estive entre vós. A minha palavra e a minha pregação não consistiram em linguagem persuasiva de sabedoria, mas em demonstração do Espírito e de poder, para que a vossa fé não se apoiasse em sabedoria humana, e sim no poder de Deus.  Entretanto, expomos sabedoria entre os experimentados; não, porém, a sabedoria deste século, nem a dos poderosos desta época, que se reduzem a nada; mas falamos a sabedoria de Deus em mistério, outrora oculta, a qual Deus preordenou desde a eternidade para a nossa glória;” (I Coríntios 2.1‭-7)

Era comum naquela época, principalmente na Grécia, existir a fama muito forte para os grandes oradores ou pessoas que tinham uma considerável habilidade na fala. Eles se reuniam em pátios e praças e começavam a falar e isso atraía as pessoas. Eram como “pop stars” para aquela época. Paulo em seus posicionamentos, sempre dizia que não era mais um desses, mas alguém que era inspirado pelo próprio Deus em suas falas e posicionamentos.

“Disto também falamos, não em palavras ensinadas pela sabedoria humana, mas ensinadas pelo Espírito, conferindo coisas espirituais com espirituais. Ora, o homem natural não aceita as coisas do Espírito de Deus, porque lhe são loucura; e não pode entendê-las, porque elas se discernem espiritualmente. Porém o homem espiritual julga todas as coisas, mas ele mesmo não é julgado por ninguém”(I Coríntios 2.13‭-15).

“Eu, porém, irmãos, não vos pude falar como a espirituais, e sim como a carnais, como a crianças em Cristo” (I Coríntios 3.1).

Paulo diz que pessoas maduras receberão coisas da parte de Deus que as imaturas não receberão. Em muitos lugares, muita coisa do que se atribui aos ensinamentos da mente, hoje em dia, tem uma parcela grande de carnalidade. A expressão “almático (a)” não existe na Bíblia, isso é carnalidade.

Quando paramos de praticar o que é espiritual, vamos alimentar a carnalidade. Se deixamos de malhar um músculo, no contexto de academia, ele começará a regredir.
Eu acredito que existam algumas práticas do Fruto do Espírito que se não praticarmos é completamente prejudicial a nossa vida.

“Alegrai-vos sempre no Senhor; outra vez digo: alegrai-vos. Seja a vossa moderação conhecida de todos os homens. Perto está o Senhor. Não andeis ansiosos de coisa alguma; em tudo, porém, sejam conhecidas, diante de Deus, as vossas petições, pela oração e pela súplica, com ações de graças. E a paz de Deus, que excede todo o entendimento, guardará o vosso coração e a vossa mente em Cristo Jesus.  Finalmente, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é respeitável, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se alguma virtude há e se algum louvor existe, seja isso o que ocupe o vosso pensamento.

O que também aprendestes, e recebestes, e ouvistes, e vistes em mim, isso praticai; e o Deus da paz será convosco.  Alegrei-me, sobremaneira, no Senhor porque, agora, uma vez mais, renovastes a meu favor o vosso cuidado; o qual também já tínheis antes, mas vos faltava oportunidade. Digo isto, não por causa da pobreza, porque aprendi a viver contente em toda e qualquer situação” (Filipenses 4.4‭-11).

Nós ficamos contentes independente da situação que nos encontramos. A nossa alegria não vem de fora para dentro, mas de dentro para fora. Nós somos alegres. Paulo aprendeu a viver alegre e precisou se desenvolver para chegar a essa maturidade. Paulo cresceu espiritualmente nessa área da alegria porque se expôs verdadeiramente a esse ambiente. Quando você não pratica a alegria, você é carnal.

“Alegrai-vos” é uma ordem, não uma escolha. Nós praticamos e exercemos porque simplesmente é o certo a se fazer. Você terá paz quando você precisar ter paz, e isso não vai partir de fora pra dentro. O Fruto do Espírito é colocado em prática não quando a gente quiser praticar, mas quando precisamos!

“Seja a sua gentileza conhecida de todo o mundo.”

Você vai ser gentil com as pessoas não porque elas merecem, mas porque você precisa ser.
Quem domina a sua língua, domina todo o seu corpo. Precisamos nos vigiar para que não venhamos a parar de exercer o Fruto do Espírito, porque a partir do momento que paramos de exercê-lo nos tornaremos carnais. Quem é carnal, não escutará instruções específicas da parte de Deus.

Tenha certeza de que todo dia quando você se levantar da cama, não esteja com a cara emburrada para trabalhar, porque isso é carnalidade. Precisamos nos esforçar para não baixar a guarda e não deixar de exercer aquilo que devemos fazer.

Deus tem muitas responsabilidades para compartilhar com você, mas ele não vai te entregar enquanto você não for maduro espiritualmente. Crescer espiritualmente só depende de nós.

Você cria o ambiente que você está! Seja alegre e se exponha ao ambiente de maturidade!

*Trechos da mensagem de Thiago Borba em Campina Grande (PB) em setembro de 2019.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA