A proteção do amor

Postado em
0

por Thiago Borba

Em tempos de pressão é bom revermos nossos alicerces, para que a gente aguente a pressão e possamos sair melhores do que começamos. Andar em amor é um princípio da vida cristã. Em João 13.33-35 diz: Filhinhos, ainda por um pouco estou convosco; buscar-me-eis, e o que eu disse aos judeus também agora vos digo a vós outros: para onde eu vou, vós não podeis ir. Novo mandamento vos dou: que vos ameis uns aos outros; assim como eu vos amei, que também vos ameis uns aos outros. Nisto conhecerão todos que sois meus discípulos: se tiverdes amor uns aos outros”.

O novo mandamento é amar ao próximo como Jesus nos amou. Vamos fundamentar em João 14.15, que diz: Se me amais, guardareis os meus mandamentos”. Ele volta a repetir a mesma ideia nos versículos 21-23: Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda, esse é o que me ama; e aquele que me ama será amado por meu Pai, e eu também o amarei e me manifestarei a ele. Disse-lhe Judas, não o Iscariotes: Donde procede, Senhor, que estás para manifestar-te a nós e não ao mundo? Respondeu Jesus: Se alguém me ama, guardará a minha palavra; e meu Pai o amará, e viremos para ele e faremos nele morada”.

Eu quero que você entenda sobre andar em amor. O apóstolo Guto disse algo que me chamou atenção: “O amor não é um sentimento, mas um comportamento”. Precisamos entender isso à luz da Palavra de Deus. Amor não é a forma como me sinto, mas como eu ajo de acordo com o que a Palavra de Deus diz.

Amar oo Senhor tem a ver com guardar os Seus mandamentos. Amar não é a forma como você se sente em relação a Deus, mas às instruções que Ele lhe deu.

Amar é muito mais que um sentimento, é se comportar como a Palavra diz. Em I João 2.4, lemos que amar a Deus tem tudo a ver com obedecer aos Seus mandamentos. Envolve instruções com uma vida de amor descrito em I Coríntios 13 e Gálatas 5. Amar a Deus é se comportar como Ele espera que eu me comporte. Deus só vai poder se manifestar Seu poder, a Sua bondade, para aqueles que obedecem as suas instruções. Em Marcos 11.24 a Bíblia afirma que Deus não pode atender as nossas orações se não estivermos andando em amor. 

Em II João 1.6, João resume tudo isso que estou falando: E o amor é este: que andemos segundo os seus mandamentos. Este mandamento, como ouvistes desde o princípio, é que andeis nesse amor”. Parece que é um círculo vicioso para o bem. Precisamos amar e entender que é parte de quem nós somos, parte de sermos filhos de Deus.

A Bíblia diz, em I Timóteo 3.16, que os filhos de Deus estão se educando sobre como devemos nos comportar nesse mundo e como nos relacionar uns com os outros. Não devemos nos comportar como o mundo diz, porque temos a natureza diferente, somos coparticipantes da natureza divina, como fala em I João 4.7. O amor é a natureza de Deus, é o caráter de Deus manifesto. Não andar em amor é agir contra a nossa natureza. Nosso comportamento não é ditado pelo que acontece na nossa vida, mas pelo nosso caráter. Nossa natureza é amar, não importa como as pessoas nos tratam, nós sempre vamos amar. Para o mundo é diferente, o amor é relativo, porque o mundo lhe ensina que se a pessoa o trata bem, você a trata bem, mas se ela não tratá-lo, você não precisa tratá-la bem. Jesus nos ensina a amar os nossos inimigos.

O amor de Deus é diferente, a gente vai na contramão das instruções do mundo, a gente faz o contrário do que a nossa carne quer.

Em Efésios 5 diz que devemos ser imitadores de Cristo, ter esse comportamento de amor. Andar em amor é andar no Espírito. Quem anda contra a natureza daquilo que ele é por dentro, vai sofrer prejuízo. Quero alertá-lo e deixar uma instrução para você nesse tempo de pandemia. Devemos vigiar nossos fundamentos, precisamos cercar nossa vida de cuidados, dos alicerces principais, de como andar em amor. 

Em Tiago 5.13-15, a Bíblia conecta a morte ao pecado. A doença é um processo de morte iniciado na vida de alguém. Nem toda doença é por causa de pecado e andar na carne, mas sempre que você andar na carne você vai ter problemas por isso, não porque Deus quer, mas porque você está agindo contra a sua natureza.

Vemos em Salmos 23.4 que: Ainda que eu ande pelo vale da sombra da morte, não temerei mal nenhum, porque tu estás comigo; o teu bordão e o teu cajado me consolam”. O vale é um lugar de aparente perigo, temor, mas ainda que andemos por um lugar assim, ou um tempo assim como estamos vivendo, não precisamos temer mal algum. Temos um supremo pastor, Jesus Cristo, não precisamos temer nada porque Ele está conosco.

Eu quero falar com você sobre a diferença entre o cajado e a vara/bordão. Eles tinham utilidades bem diferentes. O cajado era usado para guiar as ovelhas, para puxar mais para perto sem machucá-la, mas a vara era para dar pancada. Essa pancada não era na ovelha, mas nos animais que viriam contra ela. Esse era um material de defesa, para espantar o mal e proteger as ovelhas. Quando eu descobri essas coisas, nunca fiquei tão desejoso para ter a vara do Senhor na minha vida.

A vara é para nos proteger e o cajado nos traz instrução.

Mesmo que a gente passe um tempo de pressão como esse que estamos vivendo, Ele está conosco, a sua vara de proteção e o seu cajado de instrução nos consolam. Tem muita gente que está querendo os benefícios da vara, mas não quer estar debaixo da influência do cajado. Quem não está debaixo da influência do cajado não tem o pastor por perto. Uma ovelha sem pastor tem o que temer, pois quando o animal fica sozinho, é uma presa fácil. Precisamos nos esforçar para andarmos em amor. 

O amor é o cajado de Deus demonstrado em nossa vida. Se não estamos andando em amor, não podemos esperar que a vara seja eficaz na nossa vida. Não existe meio termo. Quando não andamos no Espírito, andamos na carne. Quem anda pela carne se inclina para a morte, mas quem anda pelo Espírito vai viver e não será como uma ovelha desgarrada. Temos um bom pastor que cuida de nós, mas precisamos nos sujeitar ao Seu cajado. Ou somos espirituais ou somos carnais.  Não seja carnal, essa não é a sua verdadeira natureza. Deus é amor, eu e você precisamos andar em amor. Não queira andar longe do cajado e da vara d’Ele.

Quando andamos em amor, temos confiança que não estamos abrindo brecha para qualquer doença. Ande em Espírito, ande em amor!

Em I Coríntios 11.18, 27-30 vemos que não andar em amor abre uma brecha para doenças em nossa vida. Não discernir o corpo é não entender que fazemos parte de um corpo. Precisamos da manutenção dos nossos fundamentos. Como crentes maduros, precisamos andar em amor. Não andar em amor com os da sua casa, pode abrir uma brecha em sua vida, mas você já passou dessa fase, deixou as coisas de menino, avançando para a perfeita varonilidade. Precisamos ser imitadores de Deus como filhos amados. Andar em amor vai preservar a nossa vida em um tempo como esse. Ande em amor com os da sua casa, com os seus inimigos. Se tem alguém que você não gosta, ore por ele, ore para que aconteça algo que você gostaria que acontecesse com você. Você vai deixar de criticar as pessoas e elas vão deixar de ser suas inimigas. O amor não fica desabafando porcarias, ele suporta todas as coisas e, muitas vezes, calado.

Tolerar não é amar, o mundo tem ensinado a tolerar o pecado, mas amamos as pessoas e não amamos o estilo de vida que o mundo diz que deve ser tolerado. Amar é guardar os mandamentos!

Fonte: Verbo da Vida Sede

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA