Evangelho de Aparências ou de Transformação?

Postado em
0
308

por Manassés Guerra

Sob a opressão das frustrações, imperfeiçoes, incapacidades e circunstâncias mais diversas, nos deparamos com o olhar cheio de amor de Jesus, que olha bem nos nossos olhos e oferece socorro: “Venham a mim, todos os que estão cansados e sobrecarregados, e eu lhes darei descanso”. (Mateus 11.28). Jesus propõe uma troca – dê-me o seu fardo e eu lhe dou o meu. Veja bem, Jesus quer fazer uma troca – ele não quer colocar o fardo dele sobre o fardo que você já carrega. O que ele quer mesmo é substituir o seu fardo pesado pelo fardo dele. Ele explica: “Porque o meu jugo é suave, e o meu fardo é leve” (v.29).

O que Cristo oferece não é, e nunca foi, uma vida de aparências disfarçada de sucesso. O Mestre nos apresenta a libertação do pecado e da opressão, à medida que nos desfazemos de tudo que nos torna cansados, incompletos e infelizes: “E conhecerão a verdade, e a verdade os libertará… Se o Filho os libertar, vocês de fato serão livres.” (João 8.32,36). Jesus quer que você seja honesto e entregue a ele toda carga e peso que o tem impedido de externar uma vida realmente plena. Afinal, a vida cristã não é uma mera embalagem bonita, mas conteúdo vital da mais alta qualidade. Cristo quer, em lugar do fardo mundano que nos rouba as forças e a alegria de viver, nos encher com graça sobre graça (João 1.16).

Fazendo uso das palavras de João – “Todos recebemos da sua plenitude, graça sobre graça” – é como se Jesus estivesse dizendo: “Você está sobrecarregado com tantos problemas sobre problemas, atormentado com medo sobre medo, Insuficiência sobre insuficiência… Eu proponho encharcar você como graça sobre graça!” Porém, Jesus não pretende que você faça uso de truques ou ilusionismo para exibir ‘mudanças faz de conta’. De fato, a mensagem de Jesus não é uma espécie de ‘tapume’ que esconde misérias acalentadas. O que ele quer, de verdade, é reurbanizar a nossa vida e torna-la a cidade na qual Deus habita.

A redenção é um convite para a transformação. E o caminho da transformação é na direção do que a própria redenção conquista para os redimidos. Nesse caminho, conquistamos profundidade, rompendo a casca superficial que impede que a graça penetre e que o mal sejam desarraigados. A proposta de Jesus não é um disfarce, mas mudança de vida. E o mais importante é que a graça e o poder de Deus não são para esconder misérias íntimas, mas para nos encher com a plenitude que somente a presença de Deus concede. Você precisa, pela fé, permitir que Jesus opere nas áreas que você precisa da sua ajuda graciosa e da mudança que a graça produz.

Ao invés de buscar os aplausos e admiração do público, que está acostumado a aplaudir o êxito sem levar em conta a autenticidade, devemos buscar o triunfo sobre cada fraqueza, medo, instabilidade, impulsividade que à medida que são vencidos, nos torna sólidos e irrepreensíveis. A proposta de Jesus em Mateus 11.28, é semelhante ao socorro no trono da graça que encontramos em Hebreus 4.16: “Acheguemo-nos, portanto, confiadamente, junto ao trono da graça, a fim de recebermos misericórdia e acharmos graça para socorro em ocasião oportuna”. Quando encontramos uma necessidade específica, não é hora de escondê-la ou fingir que não existe. É hora sim, de buscar a ajuda apropriada, no trono, onde encontramos o poder que transforma fraqueza em virtude. “Você encontrará descanso para a sua alma” é a promessa de Jesus para quem ousar confiar nele para a liberdade (Mateus 11.29).

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA