Missão Coca-Cola

Postado em
0

por Simon Potter

Gostaria de falar de uma organização missionária que considero a mais bem-sucedida da atualidade. Sabe qual é? A Coca-Cola.

Quando eu era um menino, de nove anos, no Reino Unido, havíamos conseguido comprar nossa primeira televisão em cores. Esse era um grande feito para nossa família! Poderíamos assistir a qualquer coisa naquela televisão, não importava se era entediante ou até mesmo um programa repetido, mas era em cores! Lembro-me de um que falava sobre a fábrica da Coca-Cola que ficava na região mais ao extremo sul do mundo. Assisti maravilhado àquele programa. Nos confins da terra, na “Terra do Fogo”, em uma cidade chamada Ushuaia, na Argentina, estava a fábrica da Coca-Cola, no mais extremo sul do planeta. Escrevi o nome daquela intrigante cidade na tampa de um brinquedo: Ushuaia!

Quando digo que a Coca-Cola é a organização missionária mais bem-sucedida da atualidade não me refiro ao futuro, pois a Igreja está chegando lá! No entanto, atualmente, eles estão à nossa frente. Bem à frente. E isso me deixa chateado! Algo dentro de mim me diz que isso não está certo, pois eles se apossaram de princípios da Bíblia, princípios ensinados por Jesus. E está funcionando!

Você pode imaginar esse cenário? Um executivo da Coca-Cola chega para um encontro de diretores e diz: “Encontrei um lugar em que a Coca-Cola não está sendo consumida. É um país com trinta milhões de habitantes, e ninguém bebe Coca-Cola. Acredito que devemos ir até lá e introduzir nosso produto”. Então, executivos e diretores diriam: “O quê?”, com cara de reprovação. “Há pessoas em nosso país que ainda não estão bebendo Coca-Cola! Olhe para as nossas estatísticas! Não podemos dizer que todos bebem Coca-Cola! Por que precisamos ir para outro país antes de alcançarmos todos aqui?”. Será que os executivos da Coca-Cola dizem isso? Os filhos do mundo são mais sábios que os filhos da luz em muitos aspectos.

Eu já viajei para a antiga União Soviética. Quando a “cortina de ferro” caiu, a Coca-Cola estava pronta para entrar. Eles tinham um plano traçado a ser executado no momento certo. Certa vez, eu estava em uma nação islâmica, na Ásia central, e vi grandes caminhões com a marca “Coca-Cola” escrita nas laterais. Estava conversando com um amigo de lá, e ele me disse: “Você deveria ter visto como eles fizeram. Quando chegaram ao nosso país pela primeira vez, trouxeram a Coca-Cola já pronta. Eles não a fizeram aqui. Eles a importaram. Não tínhamos muito dinheiro na época, nem temos dinheiro hoje. Não podíamos pagar muito pela Coca-Cola; então, eles traziam o refrigerante de fora e vendiam para nós”. Eles estavam perdendo dinheiro; não havia lucro. Gastavam mais com importação do que com o valor arrecadado com as vendas. Talvez os executivos e os diretores da empresa, depois de um ano, olhassem as estatísticas de vendas, como algumas pessoas dentro da igreja fazem, e dissessem: “Gastamos essa quantia toda, e olhe o quanto conseguimos! Estamos trabalhando naquela nação há um ano apenas para isso?”. Eles não pensam assim! Os executivos da Coca-Cola olham para o futuro, para os confins da terra. Eles têm uma visão ampliada!

É necessário investir. É como uma bomba d’água em que se coloca muito esforço inicialmente. “Tome Coca-Cola! É muito barato!”. Então, o povo da região começa a consumir o produto.

E o apetite começa a crescer! Eles trazem mais e mais Coca-Cola. E o preço sobe um pouco mais. Por fim, eles chegam até os governantes: “Seu povo realmente gosta do nosso produto. Seria um benefício para sua nação se vocês nos permitirem comprar um pedaço de terra para construirmos uma fábrica e produzirmos a Coca-Cola aqui”. Há sabedoria nesse pensamento! Todo o povo já está consumindo o produto; então, eles criam fábricas naquela nação para não precisar importar e a Coca-Cola pode ser produzida internamente no país. O negócio pode trazer lucro a partir de agora naquela nação. Não há mais necessidade de se gastar um excedente de dinheiro, pois a fábrica já pode se autofinanciar. Isso não acontece da noite para o dia, mas progressivamente.

Certa vez, eu estava em um país comunista, na Ásia, dirigindo uma moto pela cidade quando passei por uma enorme fábrica da Coca-Cola. Em um país comunista! Eles são sábios! Usam o método de Deus, de Jesus, de Paulo, da Bíblia; o método de enviar alguém com uma mensagem – provai e vede que o Senhor é bom. “Prove e veja! Você vai gostar!”.

Por algum tempo você terá de dar suporte, investindo continuamente até o ponto em que uma fábrica pode ser construída naquele país. Até o momento em que o negócio seja autossustentável. Essa é a “Missão Coca-Cola” retirada da Bíblia. É o método de Deus. Quando vamos parar de querer usar outros métodos em vez de utilizar o método de Deus, fazendo da maneira dele? E qual é a maneira de Deus?  A Bíblia nos ensina, e o método funciona.


*Trecho retirado do livro “Ushuaia: Até os Confins da Terra“, de Simon Potter.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA