Jesus morreu a minha morte

Postado em
0

por Eliezer Rodrigues

O preço da redenção e remissão dos nossos pecados não foi finalizado apenas na morte física de Jesus. Sim, ele levou em seu corpo as nossas dores e enfermidades, nossas maldições e todos os nossos pecados. Porém para que, de fato, a morte espiritual fosse vencida, foi necessário que Jesus mergulhasse no nosso tipo de morte, a morte espiritual, para que, depois de Jesus ser vivificado no espírito se erguesse como primogênito (o primeiro de muitos) e através desse novo e vivo caminho pudéssemos ser vivificados com Ele pela fé.

O cálice amargo que Jesus tomou trouxe a separação de Deus. Foi por causa da nossa morte! Na cruz Jesus falou:

“À hora nona, clamou Jesus em alta voz: Eloí, Eloí, lamá sabactâni? Que quer dizer: Deus meu, Deus meu, por que me desamparaste?” (Marcos 15:34).

A palavra “desamparastes” aqui é a palavra grega “egkataleipo” que significa “totalmente abandonado, completamente desamparado”. Essa era a nossa condição espiritual antes de Cristo, nós estávamos destituídos da glória de Deus, da sua vida abundante, da sua natureza. Mas, graças a Deus por Jesus Cristo, que foi obediente até a morte, tomou o cálice amargo, morreu a nossa morte, se fez pecado, pobre, doente, aflito, maldito, para que, através do seu sacrifício, fôssemos ressuscitado juntamente com ele e pudéssemos estar assentados com Ele, com Cristo, nos lugares celestiais, reinando em vida.

“Mas de fato Cristo ressuscitou dentre os mortos, sendo ele as primícias dentre aqueles que dormiram. Visto que a morte (primeiro espiritual e depois física) veio por meio de um só homem, também a ressurreição dos mortos veio por meio de um só homem. Pois da mesma forma como em Adão todos morrem (espiritualmente), em Cristo todos serão vivificados” (1 Coríntios 15.20-22) NVI.

Precisamos entender que neste texto há um trocadilho da palavra morte. Embora no português a palavra morte é a mesma, no grego há interpretações diferentes. Nesse texto de 1 Coríntios 15.20-23, por exemplo, há palavras gregas para morte com significados diferentes como: “nekros“, “thanatos” e “apothnesko”.

Jesus provou todos esses tipos de morte assim como o primeiro que Adão provou. Adão provou a morte espiritual e depois veio a morte física. Na cruz, Jesus, o último Adão, prova da morte física e espiritual para resgatar o homem da condição espiritual decaída e também do processo de morte física (como doenças, por exemplo).

O sacrifício de Cristo foi perfeito e pleno, uma obra sobrenatural e extraordinária que afetou o nosso espírito, alma e corpo. Primeiro o nosso espírito, porque fossos vivificados com Ele. Depois alma, porque estamos provando de salvação através da sua Palavra revelada. E também em nosso corpo, onde provamos de saúde divina e receberemos um corpo glorificado, igual ao corpo de Jesus hoje nos céus.

Jesus fez tudo isso por amor a você! Ele morreu a sua morte para que você pudesse viver a vida abundante dele. iva essa nova vida pela fé no filho de Deus!

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA