Conectados sim! Paralisados, jamais!

Postado em
0

por Dione Alexsandra

“Abandonei a igreja durante algum tempo, porque encontrei bem pouca graça ali. Voltei porque não descobri graça em nenhum outro lugar.” Philip Yancey

Essa citação nos mostra que para o cristão o melhor lugar para se estar é na igreja. Podemos dizer que 2020 é o ano em que a Igreja veio para a palma da sua mão. 

Este ano nos mostrou uma nova forma de pregar a Palavra. O universo on-line nunca esteve tão ativo como nos últimos seis meses devido à pandemia instalada no mundo pelo COVID-19. As plataformas digitais se tornaram a principal ferramenta de propagação da Palavra de Deus. E sim, nós nos conectamos e crescemos durante esses meses, nos adaptamos a esse novo formato de divulgação da Palavra da Fé e nos alegramos pelos incontáveis frutos de tantas sementes que foram plantadas, seja nos cultos on-line transmitidos pelo YouTube, seja nas lives feitas através do Instagram, seja no nosso canal no Telegram.

Foi impressionante ver pastores e ministros enfrentando as câmeras por amor ao Senhor e ao Seu povo, foi maravilhoso. Cada um com uma unção específica trazendo alimento sólido para o povo que enfrentava um inimigo invisível, mas enfrentando-o em fé e sem perder o ânimo em Deus e na sua Palavra.

Os nossos líderes nos mostraram que nos reinventamos e Jesus nunca foi tão divulgado antes. Ver TV era um hábito extremamente conservado por muitos nas décadas passadas, mas o mundo mudou, a tecnologia alcançou dimensões que uniu centenas de países através da internet. A comunicação adquiriu novos formatos com muito mais velocidade. A palavra pregada na nossa igreja foi vista por pessoas de diversas nações. Elas estavam conectadas com o que acontecia em Campina Grande (PB) como se o pastor Thiago Borba estivesse pregando na sala de suas casas. Elas estavam tão conectadas que registravam os momentos dos cultos e compartilhavam as imagens desses momentos em família.

Sim, certamente, as notícias da TV traziam números de infectados e mortos pelo COVID-19. Essa dura realidade foi confrontada pela Palavra, pela fé e pela confissão daqueles que resolveram dar uma atenção maior às boas novas do Evangelho. As famílias se uniram mais em suas casas. Era necessário estar juntos por mais tempo. Alguns desejavam esse tempo com seus cônjuges e filhos.

Durante esses meses, no qual muitos precisaram trabalhar em home office, a rotina foi radicalmente mudada. Enquanto, para alguns, não ir à igreja presencialmente parecia ser motivo de lamentar, para outros não houve lamentação nenhuma. Eles fizeram “do limão uma limonada” e se tornaram fiéis assíduos em nossos cultos transmitidos AO VIVO.

A equipe de Comunicação na qual faço parte se desdobrou para fazer o melhor trabalho de transmissão que já foi visto e tudo isso com a enorme excelência que tanto prezamos. De fato, para que tudo fosse possível, as equipes de: Comunicação, Louvor, Som, Iluminação, Secretaria, entre outras, se dedicaram em servir ao Senhor. O fruto foi a excelência no conteúdo disponibilizado para que nossos membros continuassem bem alimentados.

No período de pandemia, também é impossível esquecer da tarde histórica com o nosso primeiro Culto Drive-In, no estacionamento, diante de um pôr do sol extraordinário, as famílias em seus carros e uma atmosfera de muita alegria e paz. Ali ficou claro que estávamos separados, momentaneamente, mas inabaláveis em nossa fé e unidade. O corpo de Cristo não parou! Estão de parabéns todos que participaram deste culto. Só pode ter sido Deus para dar essa ideia maravilhosa, parabéns pela sensibilidade no espírito para receber essa estratégia. Eu amei. Acompanhei tudo pelo Youtube aqui de Paulista (PE)”, disse J. Freitas.

O tempo passou, os meses se seguiram com os membros em casa, no conforto do seus lares. Eles  receberam uma palavra genuína, pura, preciosa e salvadora. Os membros locais e até de outras congregações foram alimentados, espiritualmente, pelo meio virtual que em nada deixou a desejar. Todos foram inspirados, ensinados, corrigidos, influenciados e amados pelos ministros e pastores que se revezaram, diuturnamente, em pregações, louvores e ensinamentos preciosos.

A Igreja saiu das quatro paredes para fazer a diferença, nesse tempo, e fez! Quantas famílias alcançadas e ministros alimentados espiritualmente? Quantas pessoas salvas de crises emocionais instaladas nesse período com maior intensidade? Os relatos e testemunhos  são diversos. Conectamos pessoas ao redor do mundo e vimos a velocidade da propagação do evangelho nestes últimos meses. A pandemia não parou a Igreja. Deus mostrou que continua sendo Deus antes durante e depois da pandemia.

A Igreja  Verbo da Vida Sede da qual faço parte, parou os seus cultos presenciais no dia 17 de março (terça-feira) e só retornou no dia 21 de junho (domingo). Foram 97 dias com a Igreja de portas fechadas!

Mas, a igreja nunca cresceu tanto de portas fechadas como agora. Deus continua sendo Deus antes, durante e depois da pandemia!

Acredito que, assim como eu, você cansou de ouvir FIQUE EM CASA! Mas, para nos preservar e preservar nossa família, amigos e as outras pessoas, ficamos em casa, dias, semanas, meses… porém chegou a hora de sair. Então, que saíamos melhores disso tudo!

Mais humanos, mais fervorosos, mais atentos às questões das pessoas, olhando menos para nós mesmos, não atentando para as coisas temporárias, mas atentando para as coisas eternas, porque elas não mudam. 

“Não atentando nós nas coisas que se vêem, mas nas que se não vêem; porque as que se vêem são temporais, e as que se não vêem são eternas” (II Coríntios 4.18).

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA