Deixar de seguir

Postado em
0
200

por Dione Alexsandra

*Trecho do Livro Jornada para a Liberdade 

Como já percebeu, eu gosto de analogias e elas costumam me ensinar muito. Por isso, vamos aprender um pouco mais com outra:

Quem possui conta no Facebook, deve conhecer bem a ferramenta “deixar de seguir”. Trata-se de uma opção que está disponível nas configurações e, clicando nela, você seleciona determinado amigo no seu grupo para deixar de segui-lo. Ele permanece sendo seu “amigo”, mas você não vê mais as suas publicações.

No seu grupo de amigos, certamente há uma diversidade de pessoas com diferentes hábitos. Existem os que postam coisas edificantes, expressam gratidão pelas coisas simples da vida e sempre têm uma boa informação que, muitas vezes, nos instrui, edifica, consola, socorre… Mas, existem aqueles que só murmuram, reclamam da família, dos amigos, do governo, da vida, reclamam de tudo. Tem aqueles que postam muita violência, sejam crimes de noticiários, acidentes, etc. Existem os intolerantes que entram em todas as discussões políticas, religiosas, até futebol discutem. Postagens assim, às vezes, nos cansam. Em casos assim, eu não hesito em ir nas configurações e clicar na opção “deixar de seguir”. Pronto, parece que nessa hora você pensa: “Ufa! Meus problemas acabaram…”

Ainda existem amigos distintos, os que você não possui afinidades, aqueles “amigos” que nem são mais seus amigos de verdade, mas como você não tem coragem de excluir, apenas clica em “deixar de seguir” e acha que está tudo bem. O problema é que esses “amigos” que se tornaram desafetos por alguma razão, e você “deixou de seguir” virtualmente, podem esbarrar com você no dia a dia, seja no trabalho, na rua, na fila da padaria e até na igreja? Misericórdia! “Dione, isso não existe”. Será? Mas, a questão é: quando isso ocorre, como você faz? Como reage? Sim, porque é fácil “deixar de seguir” na internet, mas a vida não é uma rede social, ela é real e tem situações reais a serem resolvidas.

No universo online tudo é muito mais simples. Quando alguém não lhe agrada, você simplesmente exclui da sua lista de contatos ou “deixa de seguir” com apenas um clique, em questão de segundos. E na vida? Como você faz? Sabe que na vida real as coisas não são tão simples assim e não se resolvem em um clique? Algumas levam tempo… Exigem determinação, sabedoria e tolerância, Além do amor e perdão, claro.

Talvez, você pense: “Aonde ela que chegar com tudo isso?”

Enquanto pensava sobre isso, lembrei-me de um fato na Bíblia e a analogia surgiu. Foi da história de Pedro.

Pedro era amigo e discípulo de Jesus. Andaram juntos por alguns anos, vivenciaram profundas experiências no ministério. Ele testemunhou salvação, cura e libertação através do mestre. Pedro conhecia o Cristo. Mas, dia antes de ir para a cruz, Jesus sinalizou que alguém iria negá-lo, mas Pedro não entendeu os sinais…

No fatídico dia, Jesus foi preso e pessoas, ao verem Pedro, pressionaram-no a negá-Lo e dizer que O conhecia. O que Pedro fez? Clicou na opção “deixar de seguir”. Por medo ou qualquer outro sentimento, ele simplesmente disse: “Não o conheço”. Se existisse o universo virtual naquela época seria exatamente isso que ele teria feito: “deixado de seguir”. Com isso, ele se afastou dos demais discípulos. Sabemos que, no decorrer da história, Jesus foi crucificado e 3 dias depois conhecemos o resultado: Ele ressuscitou! Mas, Pedro, como tinha “deixado de seguir”, preferiu, talvez por decepção consigo mesmo, voltar à sua profissão de pescador, e como tinha “deixado de seguir” não estava sabendo dos últimos acontecimentos de Jesus. Ele não o seguia mais, lembra?

A melhor parte da história vem agora. Ao ressuscitar, Jesus mandou avisar aos discípulos e a PEDRO (aquele que tinha deixado de segui-Lo). Ele queria Pedro de volta, perto d’Ele de novo, o Mestre não só o perdoou, mas o amou e o chamou para perto.

Se você conseguiu ler esse texto até aqui, vai entender agora a analogia. Talvez, por pecados, erros, decepções, frustrações, escolhas erradas, você clicou na opção “deixar de seguir” Jesus para seguir o seu próprio caminho, não O acompanhando mais, e por isso, não sabe o que Ele anda fazendo. Mas, o Mestre lhe chama pelo nome, Ele lhe ama e lhe quer de volta. Não importa se você um dia, por qualquer razão, “deixou de segui-Lo”. Volte!

Assim como Pedro, sem Jesus, você não vai muito longe. Volte a segui-Lo, veja o que Ele tem feito, junte-se a Ele para mudar a sua história e a de muitos ao seu redor. Mais do que isso, volte a amá-Lo, porque Ele lhe ama do mesmo jeito do começo. Ele tem as melhores notícias, as boas novas de salvação para a sua vida.

As pessoas no Facebook não costumam saber que você deixou de segui-las, mas Jesus sabe quando você deixou de segui-Lo.

Volte, Ele te ama!

Eu não sei em que condições você está nesse momento e nem sei como deseja estar amanhã. Mas se você deseja mudar a sua forma de viver, se crê que existe mais da parte de Deus para provar e que precisa conhecê-Lo para desenvolver um relacionamento de filho e Pai, recomendo que leia esse livro até o final. Algumas de suas inquietações poderão ser respondidas. Deus é o maior interessado na sua vida. Acredite, Ele quer levá-lo a um outro estilo de vida. Deixe a Palavra alcançar a sua vida e permita-se mudar a forma de pensar sobre Deus, sobre si mesmo e sobre as pessoas que o rodeiam.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA