Assassinos de influência

Postado em
6

por Dione Alexsandra e convidados

“E aconteceu que, estando ele só, orando, estavam com ele os discípulos; e perguntou-lhes, dizendo: Quem diz a multidão que eu sou? E, respondendo eles, disseram: João o Batista; outros, Elias, e outros que um dos antigos profetas ressuscitou. E disse-lhes: E vós, quem dizeis que eu sou? E, respondendo Pedro, disse: O Cristo de Deus.” (Lucas 9:18-20)

Nesse texto é interessante perceber que Jesus tinha interesse de saber o que pensavam sobre ele. O mestre queria saber o que as pessoas pensavam… Enquanto lia esse texto algo saltou em meu coração. Precisamos saber o que as pessoas pensam sobre alguns temas e, baseada nisso, estarei postando uma série de textos com temas diversos e convidarei alguns amigos para participar dessa série. Alguns temas me chegaram através de uma pesquisa e irei destacando aos poucos cada um.

Inicialmente falaremos sobre Assassinos de influência. Sim, o tema é forte, mas pertinente. Porque as pessoas exercem influência sobre a nossa vida e alguns têm sido extremamente prejudicados pelas palavras que outros estão proferindo sobre eles, existem coisas que falamos que têm matado a influência dessas pessoas em nosso meio. Precisamos ser cuidadosos na forma que descrevemos as pessoas. Os nossos conceitos podem não apenas agredir as pessoas, mas verdadeiramente assassinar sua influência  para outras pessoas, e isso é muito sério. Muitos olham para os nossos líderes, por exemplo, pela nossa ótica, pela forma que falamos sobre eles. Pelos sentimentos que nutrimos e que são expressos em nossas palavras e até em gestos, sim, porque o corpo fala, e sua linguagem imprime conceitos e definem pessoas. 

Jesus é o nosso exemplo e Ele, em momento algum, queimou ou matou a influência de ninguém, nem mesmo de Judas que o trairia. Esse ele chamou de amigo e acreditou nele até o fim, mesmo Judas tendo feito a pior escolha da sua vida. Que sejamos aqueles que promovem o nosso irmão. Que as nossas palavras abençoem e tragam vida e não morte para as pessoas.

Nesse post trarei alguns amigos do ministério para dizerem o que eles pensam sobre o tema:

É muito fácil assassinarmos a influência de outros com palavras. Muitas vezes, basta somente uma opinião emitida para que a influência de outro seja afetada. Precisamos ter cuidado com o que falamos sobre as pessoas, principalmente quando o comentário parte de alguém que exerce influência. Lembro de ter lido em um dos livros do irmão Hagin, onde ele conta que estava em uma sala com outras pessoas, quando alguém não falou muito bem sobre um irmão da igreja e outros também comentaram, então, o irmão Hagin falou: “ele tinha lindos olhos azuis”. Acredito que muitos de nós devemos nos esforçar para vermos o melhor que os outros têm.

Suellen Emery (Coordenadora da Agência de Missões Verbo da Vida)

 

Pode-se matar a influência de uma pessoa, mesmo que não diga nada contrário sobre ela. Temos a influência, porque temos a confiança das pessoas. Quando eu mato a sua influência isso não só quebra a sua influência, mas eu lhe paraliso, impeço-a de agir, de influenciar outras pessoas. Quando matamos a influência de alguém também estamos construindo a nossa má influência. Eu estou levantando pessoas e discípulos a serem também matadores de influências. Em Gênesis a Bíblia relata que tudo o que foi criado se reproduz segundo a sua espécie. Então, eu vou reproduzir pessoas segundo a minha espécie, a forma como sou, será o que reproduzirei. Se zelo pela integridade e influência na vida dos outros, as pessoas que me seguem serão da mesma forma, mesmo que eu não diga abertamente isso para elas, porque a influência é algo invisível e pode ser reproduzida de várias formas. Não apenas com palavras, mas ações, atitudes, até no seu silêncio você transmite influência. Às vezes criamos um bloqueio na vida de outras pessoas, simplesmente porque discordamos de coisas pequenas nelas que soam diferente das nossas. Às vezes, o que  aquela pessoa tinha para fazer era tão grande e nós fomos responsáveis por construir aquela opinião negativa sobre ela. Eu não preciso proteger a minha influência se eu não desprotejo a influência dos outros. Aquilo que eu sou vai reproduzir os ecos que eu emito das minhas vozes, do que sai de mim ainda que silenciosamente. Um líder precisa ter cuidado com o que ele expressa sobre as pessoas não apenas nas palavras, mas até fisicamente com suas expressões faciais, um braço cruzado, um rosto virado, porque o nosso corpo fala. Isso respinga sobre as pessoas. Se eu quiser criar pessoas frias e indiferentes, nem preciso falar isso para elas, apenas me comportar de forma fria e indiferente e  as pessoas vão aprender aquilo de mim. E quantas pessoas não vão ser barradas por causa dessa minha atitude? A nossa influência na vida das pessoas vai além do púlpito.

Sylvia Lima (Supervisora das Escolas de Ministros Rhema)

Infelizmente, hoje em dia, vemos muitos assassinos de influência pelo simples fato das pessoas não terem critérios no ouvir informações e compartilha-las de várias maneiras, inclusive pela internet! Não buscam a origem das informações, e nem se preocupam com a veracidade das delas!  Comentários ignorantes e desprovidos de amor têm matado principalmente a influência de líderes por causa de pessoas insatisfeitas que não sabem o que acontece nos bastidores, desconhecem a visão, o propósito e a realidade na vida de outras que muitas vezes só quem conhece verdadeiramente é o seu líder!

 Sâmia Rocha (Professora do Rhema )

 

Quando eu ingressei no Rhema eu não conhecia o Ministério Verbo da Vida. Na verdade, nem mesmo tinha ouvido falar em Rhema. Estava muito feliz com o conhecimento que eu estava recebendo. Mas prontamente pessoas que também não conheciam o Rhema se aproximaram para me advertir sobre o “espírito da serpente”. Falavam coisas e mostravam postagens na Internet difamando o irmão Kenneth  E.Hagin. ali já via os assassinos de influência em atuação. Lembro de ter ido a um evento com um profeta e todas aquelas manifestações eram novas para mim. Comecei a ficar convencida de que deveria me afastar. Graças a Deus o Espírito Santo me segurou um tempo. Foi quando recebemos a visita do apóstolo Guto que de forma muito mansa compartilhou sua própria experiência com a Palavra Revelada e explicou as manifestações que eu não entendia. Foi Deus falando comigo. Estou há 12 anos no Ministério Verbo da Vida e só me arrependo de não ter conhecido antes. Não gosto nem de pensar o que poderia ter acontecido comigo e minha família se eu não tivesse agarrado essa Palavra. Mas palavras levianas de pessoas que de fato nem sabiam o que estavam falando por pouco quase me afastaram dessa visão.

Lenise Freitas (Líder do Ministério Graça e Verdade)

 

A maneira como pensamos, sentimos ou agimos, geralmente está ligada a palavra PERCEPÇÃO, que corresponde a nossa forma de ver e perceber pessoas, coisas e situações e é baseada nas nossas experiências. Mas, precisamos ter em mente que são percepções limitadas, parciais e individuais (cada pessoa tem a sua diante de uma mesma situação), não podendo, portanto, servir como parâmetro para descrever alguém. O que acontece com os ASSASSINOS DE INFLUÊNCIA é que eles têm sua percepção – que pode ser real ou não – a respeito de uma situação ou pessoa baseada no que viveram e procuram passá-la para outra, a qual pode deixar de ser alcançada ou suprida em suas necessidades através da vida de alguém, porque a influência desse alguém foi morta. Nesse sentido, cabe lembrar que um ser humano, um “irmão, É muito mais que a PERCEPÇÃO que temos sobre ele e que o bem que queremos que nos façam, devemos fazer nós por todos, conforme Jesus disse em Mateus 7.12.Catharina Torquato Foronda (Psicóloga e ministra do Ministério Verbo da Vida)

Os assassinos de influência se valem de situações pontuais para tecer comentários que não revelam o grande fundamento existente de amor, compaixão, misericórdia, longanimidade, perseverança. Até por que a influência é resultado de relacionamento e não de uma situação.
Os assassinos de influência acreditam em um mundo completamente escasso, que para que a minha influência cresça a sua precisa diminuir.

Karoline Vieira – Maximize e Coach

 

O não verbal na quebra da influência é algo muito presente. Você já presenciou alguém perguntando sobre outra pessoa? E a resposta foi com uma pequena pausa acompanhada de  um olhar um pouco para cima e na sequência a expressão verbal: “é, fulano é uma benção” e o semblante afirmando: “esse aí não presta”. Pessoas podem passar a oferecer um nível de resistência muito grande para com outras tão somente porque ouviram sem ouvir ou disse, sem uma palavra que aquela outra não é digna de confiança. Nas relações humanas tudo em nós comunica algo.

Cristiano Arcoverde (Pastor da Igreja em Recife-PE)

 

Lembro-me que certa vez o Pastor Bud me disse: “Se sua influência acabou, sua vida não tem sentido”. Acho que esse é o perigo deste personagem, o assassino de influência, tornar existências sem sentido, pois, uma vez destruída a sua influência, é destruída a capacidade de afetar outra pessoa. Acredito que o maior cuidado não deva ser tentar eliminá-los, mas não se tornar um. É muito fácil atacar o que não nos agrada, difícil é não revidar com ultraje e entregar àquele que julga retamente.

 Marcos Honório Jr. (Coordenação Doutrinária do Ministério Verbo da Vida)

 

De muitos tenho ouvido a respeito desse homem e de quantos males tem feito aos santos em Jerusalém’, foi o que disse Ananias para o Senhor acerca daquele que viria a ser um grande apóstolo e escritor de grande parte do que temos, hoje, como Novo Testamento. A resposta de Deus foi: ‘Para mim, ele é um instrumento escolhido’. Ananias estava até se baseando em fatos verídicos do passado, mas Deus estava olhando para o futuro. O maior perigo de rotularmos pessoas e espalharmos fatos (ou, talvez, ainda pior, mentiras) sobre elas, é que podemos estar vendo-as como Saulo, quando Deus já as vê como Paulo.  

Perilo Borba (Coordenador de Comunicação do Ministério Verbo da Vida

 

Todo cristão tem um passado. Todo nascido de novo tem alguma luta, alguma tentação, alguma dificuldade – já superada ou sendo superada. A beleza do Evangelho é ver Cristo sendo formado em cada um, inclusive em nós mesmos, mais e mais, ‘como a luz da aurora’. E como se dá esse processo? Com a influência do Evangelho sendo derramada sobre cada um, e de cada um fluindo como um rio, crescendo e se multiplicando sobre a Terra. Se desqualificamos um cristão pelos seus erros, pelas máculas que o mundo caído imprimiu nele, na verdade estamos escolhendo olhar para as coisas da Terra, e não para as de cima (Cl 3.2). Estamos escolhendo glorificar a obra do diabo, em vez de glorificar o que o Senhor tem edificado. Quando assassinamos a influência de alguém, indiretamente impedimos a influência de Cristo, sobre aquela pessoa e sobre quem ela puder vir a tocar. Paulo Pimenta (Pastor da Igreja em Montes Claros-MG)

 

Que haja em nós maturidade e sabedoria para influenciar as pessoas corretamente com as nossas palavras, ações e sentimentos. Mais vida e menos morte em nossas palavras. Seguimos crescendo e aprendendo…

 

 

6 COMENTÁRIOS

  1. Já passei ,a pessoa cotamina outras pessoas a seu respeito,terrível e pior pessoas que são lideres.e não é baseado em fatos simplesmente opinião. Muito bom o tema

DEIXE UMA RESPOSTA