Como aumentar a produtividade

Postado em
0

por Humberto Albuquerque

“Todo ramo que, estando em mim, não der fruto, ele o corta; e todo o que dá fruto limpa, para que produza mais fruto ainda” (João 15.2).

Desfrutar de uma maior produtividade pode ser algo complicado em várias situações, porém gostaria de compartilhar um conceito que Jesus ensinou para uma maior produtividade ou crescimento. No versículo acima, Jesus compartilhou como a produção de longo prazo de uma videira é, na verdade, aumentada pela poda (corte) dos ramos. Por causa dessa poda, os ramos podem receber mais nutrição e força vindos das raízes, o que faz com que os frutos sejam produzidos em maior número e tamanho.

Haverá menos trabalho e mais resultados quando a liderança for do Espírito. Alguns ramos velhos e desnecessários devem ser cortados, o que aumentará e tornará mais intenso tanto o nosso comprometimento quanto a nossa responsabilidade no Reino de Deus. Nesta estação chamada crescimento, deve-se atentar aos detalhes.

As ferramentas (instruções) que utilizamos na fase passada não serão mais usadas. Ferramentas (instruções) para a fundação são diferentes das ferramentas (instruções) para o crescimento.

Crescimento não é exatamente um direito, mas um privilégio. Crescimento demanda atitude. O crescimento não é garantido; deve ser conquistado através de uma boa administração. Às vezes, nem sempre o maior é o melhor para obter produtividade com ampla lucratividade.

O Senhor nunca estabelece crescimento cancelando ou evitando o processo de formação de caráter (poda, corte). É esse processo que se desenvolve autodisciplina e integridade, criando um fundamento para suporte do crescimento.

“A organização e a ordem atraem o favor de Deus, bem como suas
bênçãos e seus recursos.” (Autor desconhecido)

“Ser honesto e ter pouco é melhor do que ter muito lucro com desonestidade” (Provérbios 16.8).

Um sintoma de má administração é não ter um planejamento financeiro. Gastos não planejados são sempre um forte indicador de que há uma influência errada sobre nós.

A prosperidade não depende de quanto você tem, mas da qualidade da sua administração em relação ao que lhe foi delegado por Deus.

“O que trabalha com mão remissa empobrece, mas a mão dos diligentes vem a enriquecer-se” (Provérbios 10.4).

O relaxamento sempre vai impedir e frear a produtividade. A diligência, por sua vez, sempre desencadeia uma unção de conquista, pois a ordem atrai o favor de Deus. Deus não move recursos como resultado de oração. A oração lhe dará sabedoria para você conseguir recursos, mas o mover de recursos da parte de Deus é resultado de uma administração eficiente.

“Pobreza é, em última instância, um produto de má administração.” (Autor desconhecido)

Com relação a finanças, o problema não é a quantidade de dinheiro disponível, mas a forma como ele é gasto. Comprar por impulso, sem respeitar as prioridades que estão no orçamento financeiro, planejado por inspiração do Senhor e não por medo, é irresponsabilidade e caracteriza má administração do dinheiro.

Quando Deus é sua fonte, o dinheiro passa a ser seu servo, para ser investido no Reino d’Ele. Devemos utilizar o dinheiro para servir a Deus, mas as pessoas estão sendo influenciadas a usar Deus para obter dinheiro. O dinheiro é uma arma e, dependendo de quem vai usá-la, produzirá vida ou morte.

Eu declaro que você é um centro de distribuição das bênçãos de Deus aqui na terra, para ativar propósitos e suprir necessidades para glória do Senhor.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA