As crianças de ontem – Ep.2

Postado em
0


Olá pessoal,

Prosseguimos com a nossa série, hoje teremos mais três histórias das “Crianças de Ontem”: Matheus Tavares, Vinicius MisaelDiogo Garcia. Creio que vocês serão abençoados com a permanência e firmeza desses jovens de hoje.

Olá Gente, graça e paz! Meu nome é Matheus Tavares, sou filho de pastor Francimar Silva e Edna Tavares do Verbo da Vida em Monteiro (PB), tenho 22 anos, sou estudante de Medicina e participo do grupo de música da nossa igreja. Sempre sou grato a Deus por nascer em um lar evangélico, ter o privilégio de participar e receber vários ensinamentos bíblicos no Departamento Infantil desde os meus dois anos de idade até meados da minha adolescência. Portanto, sempre soube que um dia iria deixar o Departamento Infantil e que seria necessário levar comigo tudo o que outrora tinha aprendido.

Quando esse dia chegou sabia que novas responsabilidades, tanto no trabalho da igreja quando na minha vida espiritual, se aproximavam e seria necessária uma postura de maturidade diante das coisas do Reino.

Por fim, o Departamento Infantil foi uma forte fundamentação para me ajudar a permanecer nos caminhos do Senhor e me encontrar no meu chamado, pois, por mais que algumas tribulações se levantassem sobre minha vida, o Espírito Santo sempre me trazia a memória àquilo que me dava esperança. E com essa convicção, posso falar que esse Departamento não apenas transforma a vida das crianças, mas as capacita para um propósito. Ademais, só tenho a agradecer a cada professor que dedicou parte de sua vida para transmitir conhecimentos da Palavra para mim e sempre estiveram dispostos a exortar com amor.


Meu nome é Vinícius Misael, tenho 31 anos e sou natural de Campina Grande (PB). Me mudei aos 15 anos para Campo Grande no Mato Grosso do Sul, onde vivo até hoje. Sou casado com Ariane, temos duas filhas Eliza e Eloah (em memória) e um filho Emanuel, a caminho. Sou filho de Josimar e Linda Lima e atualmente trabalho como economista concursado na Empresa Brasileira de Serviços Hospitalares (Ebserh), estatal vinculada ao Ministério da Educação. Além disso, desempenho a função de chefe da Unidade de Pagamento das Despesas. Na igreja, sou pastor presidente do Verbo da Vida em Campo Grande (MS), professor do Rhema e auxilio a Coordenação Doutrinária do Ministério Verbo da Vida.

Fui criado na igreja, então, desde que me entendo por gente participo do  departamento de crianças. Meus pais eram de outra igreja e foram para o Verbo em 1995, na época eu tinha 7 anos de idade, mas lembro das aulinhas, versículo, galardão, lembro dos fantoches,  lembro de você, Tia socorro, e de Sandrinha nas EBF’s que eram legais e divertidas. 

Sempre que ministro para os professores aqui na igreja em treinamentos falo que eu sou fruto do Departamento de Crianças, porque meus pais sempre levaram a gente pra igreja desde pequeno e eu não lembro um domingo que a gente ficou em casa, os meus pais acreditavam que o ambiente da igreja trazia boas influencias sobre as crianças pela atmosfera, pelas lições e experiências que aprendemos lá, por isso é muito importante os pais levarem os filhos pra igreja porque são semeadas palavras e ensinados princípios bíblicos. Eu sei que a gente carrega influências e aprendizados que definem a pessoa que somos hoje.

Gostaria de dizer aos professores que continuem, não desistam, incentivem e acreditem  no seu chamado, podemos não ver resultados a curto prazo, mas essas sementes vão germinar e no futuro você vai olhar para aquele jovem e dizer com orgulho que ele foi seu aluno, tenho certeza que se algum professor me ver agora vai sentir-se orgulhoso pela pessoa que sou hoje e pensar  “Eu fui seu professor”. Crianças são esponjas que absorvem tudo que a gente ensina para elas  eu tenho visto isso de perto agora com minha filha, Eliza, ela aprende tudo que ensinamos, por isso semear a Palavra de Deus no coração dessas crianças sempre vale a pena.


Olá, eu sou Diogo Garcia, filho de Amauri e Marizete, irmão de Thiago e Rafaela. Nasci em Campina Grande (PB) no ano de 1990, junto com o meu nascimento os meus pais se converteram e logo chegaram ao Verbo da Vida. Participava do departamento infantil assiduamente, confesso que nessa época eu era bem traquino, mas as tias sempre sabiam como tratar. Depois, nossa família migrou para a capital da Paraíba com fins ministeriais onde conclui minha infância, adolescência e ingressei na juventude. Terminei o ensino médio e avancei para uma faculdade de direito, que conclui já numa terceira fase em São Paulo. Fiz cursos na área de comunicação e audiovisual, e hoje estou terminando especialização em gestão comercial e marketing digital. Atuo como advogado, porém essa passou a ser uma atividade acessória, porque a comunicação criativa se tornou minha profissão principal.

Na  época do departamento infantil no Verbo da Vida na Prata, em Campina, lembro  que foi uma época alegre, sem preocupações, mas que pilares foram construídos dentro da gente. As  aulinha preparadas com carinho. Tínhamos fantoche, flanelógrafo e até projetos de slide. Mas, o mais importante é que as historinhas eram contadas e a essência fixada passando valores inegociáveis que foram construídos ainda na fase de criança. Esse trabalho é muito importante.

Tem uma história que me marcou. Tínhamos aprendido sobre plantar e colher, a lei da semeadura. Engraçado que eu tinha aprendido e já queria usufruir disso. A salvinha estava passando e quando coloquei minhas moedinhas tirei outras. Depois minha mãe explicou e me fez devolver tudo. 

Sempre fui muito intenso com o trabalho na obra local. Mas, como todo mundo, hora mais motivado, outras nem tanto. Porém, acho que o essencial é manter o foco que seu trabalho não é para homens, apesar de repercutir neles também. Mas, ter a consciência de que seu propósito é agradar a Deus em tudo. Nada do que a gente faça chegará perto do sacrifício que Ele fez por nós. Então, mãos à obra! 

Hoje, lidero o departamento de comunicação no Verbo em Pinheiros, São Paulo. Despertei para o serviço na igreja muito jovem e isso trouxe muitas conquistas, inclusive repercutindo no âmbito profissional. Sem dúvida o departamento infantil tem parte nisso, pois ali no começo nós víamos os resultados do serviço ao Reino frutificando na vida dos nossos pais, na nossa casa. O nosso comportamento melhorando à medida que ouvíamos a Palavra de Deus na mesma intensidade que os nossos pais, só que numa linguagem acessível pra gente. Então, eu sempre soube que qualquer coisa diferente daquilo que estávamos aprendendo, talvez não me desse os resultados que víamos nas histórias bíblicas e que agora também acontecia na nossa casa.

Uma vida de entrega, de adoração, sempre vai redundar no cumprimento de promessas. As promessas são excelentes, mas possui requisitos e precisamos ser cuidadosos para estar aptos e o departamento infantil foi e é uma construtor nesse quesito.

O  departamento infantil pode mudar a vida de uma criança? Claro que sim! A criança é um ser em formação e quando você tem esse auxílio para crescer dentro dos princípios bíblicos isso pode mudar não só uma vida, mas uma família, relacionamentos e etc. Tive amigos que são exemplo disso. Em João Pessoa, tinha um colega da salinha que morava na rua da igreja. Ele vinha para escola dominical sozinho e com resultados da exposição à Palavra, seus familiares foram se achegando a família de Deus um a um. A Palavra transforma. Eu só tenho que agradecer aos professores do departamento infantil, por investirem tempo, talento e paciência comigo. 

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA