O Deus Limitado

Postado em
0

por: Marcos Honório Jr.

(Trecho do livro Soberania ou Livre Arbítrio?)

No capítulo 01, apresentamos a soberania de Deus, e vimos também a sua providência, mostrando que Ele não apenas fez todas as coisas, como também as sustenta, e com elas interage. O profeta Isaías já alertava sobre um Deus inigualável, que se importa e que interage com o seu povo. Apresentamos a soberania como uma qualidade, na qual Deus não se submete a ninguém, que não seja Ele mesmo; e tudo o que faz é pelo beneplácito da Sua vontade.

Bom, aqui está o grande limite de Deus – Ele mesmo! Nada externo a Deus, em hipótese alguma, o limita, ou determina sua ação; mas Deus pode ser limitado pela sua própria natureza, ou mais especificamente, por seu caráter. Não estou dizendo que a natureza de Deus é limitada, pois um de seus atributos é ser infinito (Deus não tem limites em seu ser). Mas a questão é: soberania e poder não são os únicos atributos, ou características de Deus.

O Deus soberano também é santo, o Todo-poderoso também é justo, o Deus eterno e infinito também é amor, e o Onisciente também é o justo juíz. A soberania de Deus não é limitada por nada, a não ser por Ele mesmo, e jamais viola seu amor e santidade. Em outras palavras, cada atributo de Deus serve de regulador para sua atuação. O fato d’Ele ter o poder de fazer tudo, não quer dizer que o fará, pois determinadas ações podem violar Sua santidade, Sua sabedoria e Sua justiça. Dessa forma, podemos entender que o Deus aparentemente ilimitado, pode se limitar em Suas ações, não pela vontade e desejo humano, mas por si mesmo.

É indiscutível o fato de Deus ter o poder de fazer todos O obedecerem irrestritamente, mas será que isso seria santo e amoroso? Não se discute a soberania de Deus, mas será que teria sentido um Deus tão bom decretar o mal e o pecado? Tudo o que Deus faz é de acordo com o beneplácito da Sua vontade, mas será que Ele quer algo que não é bom?

Quando olhamos para a natureza de Deus, vemos que sua capacidade é ilimitada. Deus tem todo o poder, sabe de todas as coisas, está em todo lugar, é perfeito, infinito e soberano. Mas ao olhar para o Seu caráter, descobrimos os reguladores da atuação divina, pois Deus é amor, santo, justo, fiel e bom.

Uma forma de apresentar a possibilidade de limites em Deus, princípio que confunde muita gente, é através de duas perguntas lógicas:

  1. Deus pode criar um círculo quadrado?
  2. Deus pode criar uma pedra tão pesada que nem Ele mesmo consiga levantar?

Pode ser, que como cristãos que amam a Deus e admiram o seu poder, instintivamente queiramos responder positivamente às duas perguntas, sem parar pra pensar. Porém, as respostas à essas perguntas não são essas; a resposta da primeira pergunta é NEGATIVA, porque Deus não pode criar um círculo quadrado, pois iria contra todo o sistema que Ele mesmo criou. Não é possível criar um círculo quadrado, pois uma forma exclui a possibilidade da outra. Ou uma coisa é um círculo, ou é quadrado! Sobre criar uma pedra tão pesada que nem Ele mesmo consiga levantar a resposta é POSITIVA, mas não pelo motivo que talvez imaginemos. O paradoxo da segunda pergunta é: se Deus é capaz de criar algo tão pesado que Ele não consiga carregar, Ele passa a ser incapaz de carregar algo. Se Ele é incapaz de criar essa pedra, aí está estabelecido um limite para Seu poder. No caso, Deus criou essa “pedra”! Essa “pedra” é o Seu caráter, Sua Palavra e o limite imposto por Ele mesmo, a Ele mesmo!

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA