Você compreende o que lê?

Postado em
0

MH-221Olá, em nosso último post, falamos um pouco sobre interpretação das Escrituras e quero andar um pouco mais nessa trilha com você.

No último post comentei que é muito comum ouvirmos, ou dizermos, frases como “eu fico com o que a Bíblia diz”, ou “eu sigo a bíblia e não teorias”. Alguns chegam a dizer que a Bíblia não precisa ser interpretada, ou que ela é muito simples. Bom pra essas pessoas sempre peço que leiam e me expliquem Apocalipse 17.8, depois dê uma passadinha lá e tire suas próprias conclusões sobre a “simplicidade” dessa passagem.

Em primeiro lugar, o simples fato de ler algum texto já é interpretá-lo e para isso é preciso ter conhecimento da língua na qual o texto foi escrito. Muitas vezes não percebemos isso pois estamos lendo em nossa língua materna e então realizamos o que chamamos de interpretação espontânea. Mas nem sempre á possível a interpretação espontânea, então se torna necessário a aplicação de regras de interpretação para se chegar ao sentido real do texto.

Aqui cabe mais uma observação, pois muitas vezes escutamos pessoas dizendo “o que esse texto significa pra mim?”, e por mais que essa atitude possa te abençoar em sua leitura devocional ela não tem a menor utilidade ao buscarmos a interpretação correta. Pois o sentido real do texto estará sempre com o autor do texto e não com o intérprete

Penso ser necessário desmistificar um pouco o processo de estudo e interpretação das escrituras. Se continuarmos pensando que a compreensão plena do texto bíblico será sempre automática, vamos ter problemas e perder muito das grandes verdades contidas na Palavra Escrita de Deus.

Existe uma passagem nas escrituras que expressa bem o que estou querendo expor aqui. Na referida passagem Felipe, o diácono que se tornou evangelista, é direcionado por Deus a abandonar a cidade de Samaria, onde estava se desenvolvendo um grande avivamento, para ir a um caminho que se achava deserto, o que simplesmente, aos olhos e compreensão humanos, não faz sentido.

Neste caminho deserto Filipe avista uma carruagem, e um eunuco, auto-oficial da Candace que era o título da rainha da Etiópia, (que na verdade é o Sudão, ou a antiga civilização de Cuxe) está sobre a carruagem lendo o profeta Isaías. Aparentemente esse eunuco deveria ter alguma ascendência judaica, ou ter se convertido ao judaísmo, pois havia ido a Jerusalém para adorar.

O Espírito de Deus dirige Filipe a se achegar a carruagem é quando Filipe percebe que o eunuco etíope está lendo a passagem de Isaías 53.7-8, ao ouvir a leitura, Filipe faz a pergunta chave: “Compreendes o que vens lendo?” ao que se desenrola a seguinte conversa:

Ele (o eunuco) respondeu: Como poderei entender, se alguém não me explicar? E convidou Filipe a subir e a sentar-se junto a ele… Então o eunuco disse a Filipe: Peço-te que me expliques a quem se refere o profeta. Fala de si mesmo ou de algum outro? – Ato 8.31, 34

Esse texto é realmente muito forte dentro do que estamos abordando aqui, veja que não se tratava apenas de conseguir ler, pois o eunuco estava lendo a passagem, é plausível pensarmos que, por estar indo adorar em Jerusalém, tivesse algum conhecimento sobre a tradição judaica e expectativa na vinda do Messias, mas ainda assim não podia compreender o texto que lia, além disso, sabemos, por suas credenciais, que não se trata de alguém com pouca instrução, só o fato de estar lendo (algo raro pra época) já mostra que se tratava de alguém com boa instrução. Atônito com sua incapacidade de compreender o que lê clama ao desconhecido Filipe que entre em sua carruagem para lhe explicar de quem, afinal de contas, o profeta está falando.

Percebe que todos os elementos para a interpretação espontânea estavam presentes, mas ainda assim ela não aconteceu. Ele sabia ler, conhecia o idioma em que estava escrito, tinha uma razoável capacidade cognitiva, sabia um pouco sobre a crença geral daquele profeta, mas não tinha a menor ideia do real sentido do que estava lendo. Mas ainda assim, faz a pergunta correta, ao procurar saber o que o profeta está querendo dizer, sem tentar “matar a xarada” se perguntando “o que eu entendo disso?”. Ele percebe que quem deve ter o sentido correto é o profeta e não o leitor.

Filipe, que conhecia o contexto e sabia de quem o profeta estava falando, começa a tirar o eunuco da escuridão e responde:

Então, Filipe explicou; e começando por esta passagem da Escritura, anunciou-lhe a Jesus – Atos 8.35

Vemos claramente que Filipe tinha ferramentas que o credenciavam a compreender um texto, que não obstante o eunuco ter a capacidade de lê-lo não podia entendê-lo.

Poderia enumerar aqui as ferramentas que estavam em Filipe, mas faltavam ao eunuco, mas quero deixar isso para o nosso próximo post.

Por enquanto fica apenas a pergunta:

“Você compreende o que lê?”

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA