Fique bem e transmita o bem

Postado em
0
496

por Perilo Borba

Como comunicólogo e admirador de boas sacadas no jornalismo e na publicidade, curti demais a ideia do novo comercial de TV de um medicamento. Assistam, abaixo:

Além de deixarem claro a principal função do medicamento de combater o vírus da gripe, eles foram muito felizes em transmitir outra mensagem, a de fazermos o bem uns aos outros.

Meu objetivo, porém, nesse texto, não é fazer propaganda de graça de um medicamento e nem somente enaltecer uma boa ideia comercial. Vou apenas usar o gancho da frase: “Quando você está bem, fica mais fácil transmitir (o bem)”, para refletirmos sobre como está o nosso coração e do que tanto temos, espiritualmente, transmitido para quem está à nossa volta.

Primeiro, vamos falar sobre um “vírus espiritual” que nos faz ser agentes contaminadores: a mágoa.

“Atentando, diligentemente, por que ninguém seja faltoso, separando-se da graça de Deus; nem haja alguma raiz de amargura que, brotando, vos perturbe, e, por meio dela, MUITOS SEJAM CONTAMINADOS”. (Hebreus 12.15)

Assim como uma virose, a mágoa nos perturba, enfraquece-nos e interfere diretamente na nossa rotina porque altera os nossos planos e pensamentos… Continuando com a analogia, em ambos os casos, a pessoa infectada, embora apresente sintomas, no início, pode não perceber ou até tentar negar que esteja doente.

Uma pessoa magoada irá ficar muitas vezes com o “semblante descaído” (Gênesis 4.5), insatisfeita, decepcionada e ressentida (sentindo de novo – devido trazer à lembrança constantemente – o que sentiu na hora em que um mal foi feito contra ela ou em que ficou sabendo do mesmo).

O pior é que uma raiz de amargura no coração de uma pessoa, da mesma forma de alguém que esteja gripado, pode fazê-la contaminar outros que tenham contato com ela. Afinal, a gente só pode transmitir o que a gente tem. “A boca fala do que está cheio o coração”. (Mateus 12.34).

Nossas palavras sobre a situação da qual fomos vítimas ou sobre quem nos magoou podem contaminar outros e também deixá-los infectados (magoados).

É interessante que uma pessoa gripada, mesmo que esteja se esforçando para manter a sua rotina e permaneça fazendo coisas boas para os outros, pode transmitir algo mal enquanto faz algo bom, sem querer. Não é diferente de alguém que esteja com mágoa, mas em vez de está se tratando, continue fazendo as mesmas coisas (coisas boas), mas enquanto faz, durante uma conversa ou outra, poderá contaminar outros. Já vi até pessoas magoadas contaminarem outros enquanto pregavam. Estavam fazendo um bem enorme que é propagar a Palavra de Deus, mas durante a mensagem elas deixaram de falar da Bíblia para desabafar um pouco. E tenho certeza de que isso foi sem querer! Mas, acabaram contaminando.

Por isso, se está magoado, é preciso primeiro ficar bem, antes de fazer o bem. Porque além de você se cansar de fazer o bem(Gl 6.9), poderá levar outros a fazer o mesmo. Como, de forma muito feliz, foi dito no comercial acima: “Quando se está bem, fica mais fácil transmitir o bem”.

Para ficar bem, perdoe! Livre-se dessa amargura. Tome o remédio do amor de Deus. É um processo, mas você ficará bem e totalmente livre desse vírus. Sobre isso, já escrevi em outro post, do qual indico a leitura: Mais 483 (Clique aqui para ler).

Quero lembrar-lhe também das palavras de Jesus em Mateus 7.1-5, sobre antes de querermos ajudar alguém (fazer o bem), retirando o cisco do seu olho, precisamos retirar a trave do nosso (estarmos bem). Ele disse o porquê: “para que estejamos vendo claramente”.

Como vamos ajudar a alguém se a nossa vista sobre aquela pessoa ou situação não está clara, ou se ela está parcial ou manchada por algum sentimento de mágoa? A raiz de amargura nos leva a julgar facilmente as outras pessoas e, por não termos antes nos julgado (tratado de nós mesmos), vamos acabar sendo julgados por Deus.

Quando Saul ficou magoado, “ele passou a não ver Davi com bons olhos” (I Sm 18.9). O resto da história, você já sabe: além de perder o reinado, Saul perdeu o seu foco, passou a viver em função de matar o outro, perturbado… Como já disse alguém muito sábio: “Está magoado é está tomando o veneno desejando que o outro morra”. E pode ter certeza disto: a mágoa mata!

A amargura também afeta a nossa visão sobre as outras pessoas e sobre as situações ocorridas. Livre-se da mágoa e você verá claramente, não irá ser um crítico e nem um juiz alheio, mas olhará para os outros na ótica de Deus, na ótica do amor.

Faço minhas as palavras de Paulo à Timóteo: “Tende cuidado de ti mesmo… Assim, salvarás tanto a ti mesmo como aos teus ouvintes” (I Timóteo 4.16).  

O BEM CONTAGIA 

Para concluir, quero incentivar-lhe a, uma vez tratado, contagiar a todos com o bem, com o amor, sendo a influência certa daqueles que estão à sua volta. Como Jesus, “ande por toda parte fazendo o bem” (Atos 10.38), ajudando o próximo, socorrendo os necessitados, pregando o Evangelho, agindo no dia a dia com generosidade, altruísmo e gentileza.

Recentemente, li uma matéria que me impactou bastante e, com certeza, também vai lhe abençoar e lhe despertar para o quanto podemos fazer o bem através de pequenas atitudes que produzirão resultados inimagináveis. Clique Aqui para ler 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA