Ato Profético

Postado em
0

BANNER MARCELO SARAIVA_4“A respeito dos dons espirituais, não quero, irmãos, que sejais ignorantes” (I Coríntios 12.1)

 No texto acima citado, percebemos claramente o desejo de Deus quanto as manifestações do Espirito Santo: “não quero que sejais ignorantes”.

Eu sei que foi Paulo, inspirado pelo Espírito, quem escreveu isto. Mas, não foram apenas palavras de um homem, mas sim inspiradas pelo Espírito Santo, indicando claramente que este é o desejo do próprio Deus.

Sabemos que há uma ignorância dupla. Enquanto alguns crentes desconhecem os dons do Espirito Santo, existem outros que conhecem, porém não sabem se mover nos dons, e é sobre isso que eu quero falar.

Este também foi justamente o motivo pelo qual Paulo ensinou sobre os dons aos irmãos de Corinto, os quais “moviam-se”  de uma forma desordenada, desequilibrada, sem o entendimento necessário. Então o apóstolo escreveu trazendo equilíbrio a esses irmãos e também a nós.

Em outro capítulo da mesma carta o apostolo Paulo diz:

“Mas, o que profetiza fala aos homens, edificando, exortando e consolando” (I Coríntios 14.3)

Observe que no “simples” dom de profecia não existe predição, ou seja, não falar sobre o futuro, mas de acordo com 1 Coríntios 14.3 ela: Edifica, exorta e consola.

A profecia não é para casar ninguém, embora alguns queiram.

Sabemos também que por meio do veiculo de profecia pode manifestar também outros dons, como por exemplo, a palavra da sabedoria.

Alguns irmãos me perguntam: ‘E sobre atos proféticos o que você tem a dizer?’

Bem, a Bíblia não fala sobre atos proféticos e sim sobre a profecia, e a definição básica de profecia é:

Uma expressão vocal inspirada pelo Espírito Santo em um idioma conhecido.

Em outras palavra, alguém fala algo para a igreja ser edificada, exortada e consolada.

Outros ainda dizem: ‘E aquele texto de Atos quando um profeta fez “um ato profético” amarando seus pés’.

O texto mencionado está em Atos dos Apóstolos vejamos:

“Demorando-nos ali alguns dias, desceu da Judéia um profeta chamado Ágabo; e, vindo ter conosco, tomando o cinto de Paulo, ligando com ele os próprios pés e mãos, declarou: Isto diz o Espírito Santo: Assim os judeus, em Jerusalém, farão ao dono deste cinto e o entregarão nas mãos dos gentios. Quando ouvimos estas palavras, tanto nós como os daquele lugar, rogamos a Paulo que não subisse a Jerusalém. Então, ele respondeu: Que fazeis chorando e quebrantando-me o coração? Pois estou pronto não só para ser preso, mas até para morrer em Jerusalém pelo nome do Senhor Jesus. Como, porém, não o persuadimos, conformados, dissemos: Faça-se a vontade do Senhor!”  Atos 21.10-14

Observe que mesmo amarando os pés com o cinto, mesmo fazendo uma dramatização o profeta declarou algo.

Ele disse, ele pronunciou. Então podemos concluir que amarrando ou não ele teria que falar para expressar o acontecimento vindouro.

Além do mais o falar já é um ato.

Muitos cristãos trazem confusão ao corpo de Cristo quando aderem a esses “modismos espirituais” como ato profético, dança profética, grito profético e outras manifestações que não tem embasamento na palavra de Deus, às vezes aparenta até ser Bíblico, mas no final percebemos o quão distante fica da Palavra de Deus.

Portanto devemos ficar com o que é Bíblico, com as manifestações do Espirito Santo.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA