Não tem nada a ver

Postado em
1

Por Rozilon Lourenço

O irmão Kenneth E. Hagin no livro Cinco Impedimentos para o Crescimento da Graça” nos fala sobre um tempo de leveza no mundo e, consequentemente, sobre a igreja, no qual muitas pessoas tratam as coisas com leviandade.

Muitas pessoas estão se acostumando com a ideia de que a verdade é subjetiva, e de que cada um pode ter a sua própria verdade. Para ser mais preciso, a nossa geração parece descrer da verdade. Parece que cada um está baseando-se na sua experiência.

A coisa é mais ou menos assim: cada um decide o que é bom. Cada um escolhe o que mais lhe agrada e ninguém pode interferir nessa escolha. Vivemos em um mundo plural, com muitas ideias, conceitos e valores. A ética me parece que é privativa, ou seja, eu faço as minhas escolhas e ninguém tem o direito de dizer se elas são certas ou erradas. Até mesmo porque as pessoas estão confusas sobre a linha divisória que separa a verdade do erro (devo confessar que é bem tênue, muitas vezes).

Nesse emaranhado de ideias, as pessoas que são confrontadas em sua forma de pensar ou agir, respondem, de imediato:  ISSO NÃO TEM NADA A VER”.

Alguém me disse algum tempo atrás: “o problema Rozilon, é que você é um crente quadrado“. Eu respondi:  “ainda bem, porque crente redondo vai rolando para o inferno”

Comecei a pensar o que na verdade está por trás dessa frase: “não tem nada a ver”? O que ela realmente significa? O que ela quer nos induzir? 

  • Primeiro, quer “empurrar” as pessoas incautas para um conformismo cego com as aberrações ditadas pelo mundo. O mundo é um sistema que não leva em conta a verdade de Deus. O mundo tem a sua própria maneira de ver a vida. O mundo está posto no maligno e, o maligno é o espírito que atua nos filhos da desobediência. Ser amigo do mundo é tornar-se inimigo de Deus. Amar o mundo, é desprezar a Deus. Conformar-se com o mundo, é inconformar-se com Deus. O mundo escarnece dos princípios da Palavra de Deus. De acordo com os ditames do mundo, uma pessoa pode ser infiel ao seu cônjuge; os jovens podem ter sexo antes do casamento; as pessoas podem entupir suas mentes com filmes indecentes; todas essas, são apenas “coisas” que os crentes podem curtir sem nenhum conflito. 
  • Segundo, essa frase enfraquece na mente dos crentes a ideia do certo e do errado. Ela induz as pessoas a pensarem que não existe uma verdade absoluta e que cada um pode fazer suas próprias opções; ainda que na contra mão do bom senso, da lógica e da verdade e, ainda assim, não estar em desacordo com os princípios de Deus. Precisamos entender que existe luz e trevas, certo e errado, verdade e mentira. O crente precisa posicionar-se. Ele não pode conformar-se com o erro. Ele não pode ser um seguidor da mentira. Ele é filho da luz. Ele precisa repudiar as obras do mal. Ele não pode ser massa de manobra e produto do meio. Ele precisa apresentar-se a Deus, inconformar-se com o mundo e transformar-se pela renovação da sua mente. O crente não pode ficar em cima do muro. Os covardes não entrarão no Reino de Deus.
  • Terceiro, “Isso não tem nada a ver”, apaga no coração do crente a ideia da santidade de Deus. Ele é santo e não pode contemplar o mal. Deus é luz e não tem comunhão com as trevas. Deus abomina o pecado. Ele exerceu juízo contra o pecado e demonstrou infinito amor pelo pecador ao mandar o Seu Filho ao mundo para morrer em nosso lugar. Amar o pecado é ultrajar o sangue de Cristo. Deleitar-se no pecado, é uma ofensa ao amor de Deus. Viver no pecado, é colocar-se debaixo do juízo de Deus. Tentar agradar a Deus e ao mundo, procurando explorar o melhor das duas realidades, é enganar-se a si mesmo. Deus não inocenta o culpado. Até posso ouvir a voz do Pr. Bud dizendo: “isso é carne irmão”.

Talvez, você pense: “será que é possível ser fiel nesse mundo? Será que possível ser santo? Ser um homem de Deus, ser uma mulher de Deus?”

A Bíblia diz que sim. O Ap. Bud nos mostrou que sim. A nossa liderança tem nos mostrado que sim.

Isso é dizer que é perfeito, que nunca vai cometer erros? NÃO! Mas, podemos ser aperfeiçoados a cada dia, crescendo nas coisas de Deus e vivendo de modo digno para Ele. Em vez de nos curvarmos a essa ideia do “não tem nada a ver”, devemos nos submeter a eterna e poderosa Palavra de Deus.

1 COMENTÁRIO

  1. Graça e paz, teacher Rozilon. isso mesmo. ”Não tem nada a ver”, O Absoluto com o relativo,
    o certo com o errado, luz com treva, verdade e mentira, Deus e o diabo. Ambos são opostos e nunca jamais farão acordo. meu abraço extensivo a todos da família cristã.

DEIXE UMA RESPOSTA