Dicas para ministros itinerantes 4

Postado em
4

Ética Ministerial

Na nossa última postagem sob o título Dicas para Ministros Itinerantes 3 começamos a falar sobre a ética no contexto ministerial, vimos sobre como a nossa conduta deve ser para aceitarmos convites para ministrar e também expressarmos boas maneiras quando estivermos no púlpito. Em continuação a isto, gostaria hoje de continuar tratando sobre outros temas importantes para a nossa boa conduta.

ACONSELHAMENTO

Quando um ministro itinerante está no seu campo de atuação é comum ter pessoas procurando-o, porque se identificam com a unção de Deus na sua vida. As pessoas podem até dizer que se identificam melhor com você do que com o próprio pastor delas.

Mas, é importante lembrar que as pessoas para quem você está ministrando já tem um pastor! Deus constituiu o pastor na Igreja local, e por mais ungido que você seja o pastor local será sempre a autoridade que Deus honrará e respeitará neste caso. É o pastor que tem a unção, a graça e a qualificação para lidar com as suas ovelhas.

É possível um ministro itinerante entrar no erro de tentar “pastorear” pessoas que querem aconselhamentos e querem uma opinião sobre os fatos. Mas, o ministro itinerante não tem acesso a toda a verdade, às vezes o que temos é apenas um lado da história. Não estou dizendo que a pessoa que te procurará estará mentindo, mas ninguém pode ajudar uma situação conhecendo e sabendo apenas uma versão da história sem que se saiba exatamente tudo que está envolvido. Não “tome partido” ou “escolha lado” de pessoas que você não tem o conhecimento total. Seja prudente e escolha o lado da sabedoria. Apazigue e dê conselhos que vão promover o crescimento da Igreja local e não a divisão.

“O homem iracundo suscita contendas, mas o longânimo apaziguará a luta”. (Provérbios 15.18  )

“O furor do rei é mensageiro da morte, mas o homem sábio o apaziguará”. (Provérbios 16.14)

RELACIONAMENTOS E AMIZADES 

Não desenvolva amizades com membros de Igrejas sem o conhecimento do pastor. Não se hospede na casa de membros da Igreja na cidade onde você já esteve sem o conhecimento do pastor local. É comum pessoas oferecerem gentilmente estadia para você voltar de férias ou algo deste tipo. Mas, nunca faça isto sem o conhecimento prévio do pastor local. É falta de ética você frequentar ou se hospedar na casa de um membro da Igreja quando o pastor local não sabe.

O ministro itinerante foi levantado por Deus para somar e acrescentar à Igreja local e não trazer problemas ou divisões. Quando um ministro itinerante age sem ética ele acaba ofendendo a autoridade local que é o pastor e também fere todo o Corpo, isto causa danos que são difíceis de ser reparados. Vamos analisar o texto bíblico abaixo.

“Também Absalão se levantou pela manhã, e parava a um lado do caminho da porta. E sucedia que a todo o homem que tinha alguma demanda para vir ao rei a juízo, o chamava Absalão a si, e lhe dizia: De que cidade és tu? E, dizendo ele: De uma das tribos de Israel é teu servo; Então Absalão lhe dizia: Olha, os teus negócios são bons e retos, porém não tens quem te ouça da parte do rei. Dizia mais Absalão: Ah, quem me dera ser juiz na terra, para que viesse a mim todo o homem que tivesse demanda ou questão, para que lhe fizesse justiça! Sucedia também que, quando alguém se chegava a ele para se inclinar diante dele, ele estendia a sua mão, e pegava dele, e o beijava. E desta maneira fazia Absalão a todo o Israel que vinha ao rei para juízo; assim furtava Absalão o coração dos homens de Israel”. ( II Samuel 15.2-6 )

Nestes versículos acima nós vemos como Absalão roubava o coração do povo a seu favor. Ele dizia ao povo como as coisas seriam diferentes se ele fosse o rei, como as causas do povo seriam resolvidas se ele estivesse na liderança. O comportamento de Absalão foi reprovável, porque ele não era ungido para ser o rei! Seu pai era! E mesmo não sendo ungido para ser o rei, ele tentava disputar um lugar de confiança e colocava o povo contra o reinado do seu pai.

Lembre-se sempre: O pastor local foi a “sua porta de entrada” ou a sua “ponte”. Você só foi ministrar naquela cidade e conheceu pessoas novas por causa do convite do pastor. Então, entre naquela cidade pela “porta de entrada”, use a “ponte” certa. O pastor ou líder te deu o privilégio e honra de ter acesso ao seu povo para abençoá-lo. Ele confiou na sua integridade e no dom de Deus que há em você. Seja fiel e honre a Deus nisto.

No nosso próximo encontro terminaremos esta série com este título Dicas para Ministros Itinerantes finalizando com algumas outras informações necessárias e interessantes como língua estrangeira e alimentação.

Aguardo você!

4 COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA