Não perca nenhum Natal

Postado em
0
283

por Edilson de Lira

Motivo de grandes discussões entre teólogos e historiadores, o Natal tem sido popularmente aceito como a data do nascimento de Jesus Cristo, e celebrado na maioria dos países de cultura católica e protestante no dia 25 de Dezembro. Curiosamente, os países de cristãos ortodoxos (como a Armênia) celebram o Natal no dia 7 de Janeiro, pois usam o calendário juliano, e não o nosso calendário gregoriano. Deixando de lado os diversos pormenores históricos, que podem ser detalhadamente pesquisados na internet, e os controversos símbolos natalinos e seus significados (árvores, papai Noel, etc.), vamos entender um pouco como essa data (precisa ou não) pode ser relevante e oportuna para nós, crentes contemporâneos.

A cultura judaico-cristã (inclusive o verdadeiro Natal) tem sido sistematicamente atacada nas últimas décadas, e eu considero três os fatores principais:

  1. O hedonismo desenfreado de nossa sociedade: Nunca na história da humanidade, o homem foi tão pleno materialmente. As classes médias na China, no Brasil e em diversos países da África, por exemplo, atingiram números sem precedentes. Um cidadão comum, hoje, tem acesso a comodidades e tecnologias que nem Salomão nem grandes imperadores de Roma tiveram em seus dias. Temos tudo o que o mundo diria que faz alguém feliz, mas ainda assim vivemos numa epidemia de depressão, suicídio e vazio existencial. E a busca pelo prazer sem limites nos torna cada vez mais egoístas e distantes dos valores e princípios cristãos.
  2. Os interesses das elites políticas e ideológicas que promovem o marxismo cultural na Europa e nas Américas: Os valores absolutos são substituídos por um relativismo moral; a força e autoridade final da família têm sido substituídas pela força do Estado; a mentalidade divina de prosperidade tem sido substituída pelo assistencialismo e desincentivo; e a liberdade individual (com responsabilidade) tem sido substituída pela mentalidade de vitimismo. O próprio conceito de gênero (macho e fêmea) tem sido distorcido, e era de se esperar que o mesmo acontecesse com as datas fundamentadas na cultura e valores cristãos.
  3. O espírito do anticristo dos últimos dias: Não podemos, como cristãos, desprezar os ardis de nosso adversário, Satanás, pois ele sabe que tem os dias contados na terra. Tampouco ignoramos os ataques do espírito do anticristo, que “se levanta contra tudo o que se chama Deus ou é objeto de culto” (2Ts 2:3-4). Sabemos que ele se manifestará plenamente depois do arrebatamento, mas seu espírito e suas artimanhas já operam em certa medida sobre a terra. A zombaria do cristianismo, que se vê por exemplo na mídia, não é algo de origem meramente humana, mas tem a clara influência do diabo, “deus deste século”, que tem cegado o entendimento de muitos, para que não vejam a luz do Evangelho.

Mas você deve estar pensando: “E o que o Natal tem a ver com tudo isso?”. O fato é que, não importa sua origem inicial, o Natal é visto hoje como uma data para se lembrar, e se falar, sobre Jesus Cristo! E são poucas as oportunidades que a nossa sociedade atual nos dá de falarmos abertamente o Evangelho sem sermos confrontados ou segregados. A Bíblia nos ensina que devemos pregar “a tempo e fora de tempo” (2Tm 4:2), “aproveitando bem cada oportunidade, porque os dias são maus” (Ef 5:16). E que oportunidade maravilhosa para exaltar o nome de Jesus é o Natal! Os corações estão abertos, a nossa cultura está aberta para ser influenciada, e até a mídia está aberta à exposição da luz de Cristo neste tempo. Então eu convoco você, cristão de qualquer denominação religiosa, a “temperar” o seu discurso com sal, e de uma forma agradável e sábia, influenciar os que estão de fora com os valores e a cultura do Reino de Deus. Isso não é ecumenismo. Isso é sabedoria bíblica:

Colossenses 4:3-6:

“Orando também juntamente por nós, para que Deus nos abra a porta da palavra, a fim de falarmos do mistério de Cristo, pelo qual estou também preso; Para que o manifeste, como me convém falar. ANDAI COM SABEDORIA PARA COM OS QUE ESTÃO DE FORA, remindo o tempo. A vossa palavra seja sempre agradável, temperada com sal, para que saibais como vos convém responder a cada um”.

Não olhe para o Natal apenas como uma “data pagã”. Não crie discussões tolas que não produzem edificação nem salvação de ninguém. Veja essa época como uma oportunidade: Deus nos abriu a porta da Palavra! Durante um tempo, nos EUA, até o Merry Christmas (“Feliz Natal”) estava sendo retirado das escolas e instituições. Não era o deus sol, os rituais pagãos, nem o papai Noel que estavam sendo atacados: era a essência do cristianismo! Essa data, hoje, dá glória e honra ao nosso Senhor Jesus Cristo!

Então celebre o Natal! Lembre seus vizinhos, parentes e amigos que, não importa a data, um dia nasceu um menino que mudou para sempre a história da humanidade!

Isaías 9:6-7:

“Porque um menino nos nasceu, um filho nos foi dado, e o governo está sobre os seus ombros. E ele será chamado Maravilhoso Conselheiro, Deus Poderoso, Pai Eterno, Príncipe da Paz. Ele estenderá o seu domínio, e haverá paz sem fimsobre o trono de Davi e sobre o seu reino, estabelecido e mantido com justiça e retidão, desde agora e para sempre. O zelo do Senhor dos Exércitos fará isso”.

Por fim, vale lembrar que, no primeiro natal, as pessoas estavam tão ocupadas com as festividades daqueles dias, que não deram lugar para o personagem principal daquela data: Jesus!

Lucas 2:6-7:

“Enquanto estavam lá, chegou o tempo de nascer o bebê, e ela deu à luz o seu primogênito. Envolveu-o em panos e o colocou numa manjedoura, porque não havia lugar para eles na hospedaria”.

E na sua casa? Além das árvores, enfeites, comidas, presentes, amigos e músicas, existe lugar para o personagem principal ficar hospedado? Dê o lugar principal a Jesus Cristo, e todo o resto da festa vai fazer sentido!

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA