Os meios, os fins e as recompensas

Postado em
0

por Thiago Garcia

*Trechos da ministração do Thiago Garcia na Conferência de Ministros no Sudeste 2017.

 

Tanta gente poderia fazer melhor aquilo que eu estou fazendo hoje, tanta gente poderia ser escolhida para o ministério, tanta gente poderia ser chamada por Deus para desempenhar o serviço ministerial…mas, sabe de uma coisa, Deus escolheu você. Cada um de nós foi escolhido, não por nós mesmo, talvez, muitos de nós nem estaríamos onde estamos se pudéssemos escolher. Porém, foi o Senhor quem nos escolheu e nos capacitou.

Às vezes, nós olhamos para Paulo e pensamos que ele era perfeito, mas ele mesmo diz que não era, mas reconhecia que foi escolhido por Deus. Quando contratamos alguém para um tipo de trabalho, a gente busca alguém que dê conta do serviço, alguém que seja capaz e, Deus quando pensou no serviço aqui na Terra, Ele pensou em você, Ele enxergou em você capacidade. Deus sabe que você pode fazer, ainda que você não saiba fazer.

Deus sabia que Paulo era insolente, blasfemador, mas foi nessa condição que Deus olhou para ele e viu o futuro, viu quem ele seria.

Existe uma graça de Deus disponível para você, hoje, amanhã e sempre. O que você faria se não fosse a graça de Deus sobre a sua vida?

Paulo diz que o Senhor o considerou fiel a ponto de o designar para o serviço do ministério. E, é essa a característica que Deus está em busca para o serviço no ministério. A Fidelidade é o que abre as portas.

Eu gosto de pensar sempre na fidelidade como uma passagem de um ônibus. Você apresenta a fidelidade e pode embarcar. E essa viagem do ministério, é uma viagem longa. Existem certos momentos na estrada que entra um fiscal da companhia de ônibus e pede o seu ticket para saber se você está capacitado para prosseguir na viagem. E se você ainda está com o seu ticket você pode prosseguir.

Às vezes, pensamos que as qualificações para o ministério são observadas no período de licenciamento e ordenação e, depois elas são esquecidas. Mas, aquilo que lhe capacitou no início é o que vai lhe manter até o final.

Eu costumo pensar como eu estou e me analisar: “Senhor eu estou relaxado, displicente? Eu sei para onde estou indo?”.

Ministério não é coisa que acontece por acaso, é algo que acontece de propósito.

A fidelidade é uma das responsabilidades do ministério.

Existem três coisas importantes que precisamos compreender: Fins, meios e recompensas.

Fins são aquelas coisas essenciais, são o motivo pelo qual fazemos o que fazemos.

Os meios são os recursos usados, as formas, as maneiras. O próprio ministério é um meio e, não um fim. A bíblia diz que levantou apóstolos, profetas, mestres, evangelistas e pastores, e isso nos mostra que os dons são um meio, pois foram levantados para um fim: “para o aperfeiçoamento dos santos”.

Os recursos, mídias, são meios. Dinheiro não é a finalidade do ministério, é apenas um meio.

E existem também as recompensas. Um bom exemplo de recompensa é a satisfação, a alegria, a realização que se tem quando se está fazendo a vontade de Deus.

Ministério é lugar de satisfação, é lugar de alegria, de realização.

As recompensas também podem ser os galardões na eternidade. Não podemos viver como se essa vida fosse a única que temos. Há uma eternidade.

“Se você busca os meios e as recompensas como finalidade, eu lhe digo com toda certeza: ministério não é o seu lugar”.

No ministério empregamos a nossa energia para o cumprir o propósito daquilo que Deus confiou a cada um de nós.

Ministério existe através de relacionamentos. Relacionamentos só existem por causa de pessoas. Pessoas são trabalhosas. Se a gente elimina a finalidade do ministério que são as pessoas, todo o meio é extinto. Se o povo fosse tão perfeito, para que precisaria do aperfeiçoamento dos santos? Se não precisa do aperfeiçoamento, vamos todos embora! Mas, foi por isso que Deus confiou esse trabalho tão grande às nossas mãos.

Não olhe para os meios, olhe para os fins. Você está no ministério para olhar para as pessoas.

Há um componente de paternidade no ministério.

Ministério é lugar de proximidade. Ministério é lugar de dar a vida. Vocês está pronto para dar a vida?

Deus não lhe colocou no ministério para você ser conduzido pelas pessoas, mas sim, para você ajudar a conduzi-las. Se firma, assuma o papel que Deus lhe confiou, de dar a direção para as pessoas. Eu não estou falando do pastor, estou falando do ministro.

Guto uma vez disse o seguinte: “quem não sabe para onde quer ir, vai para qualquer lugar, e ainda acha que está certo”. As pessoas precisam de direção.

Você que é pai muitas vezes deixa de fazer algumas coisa, mesmo que seja lícito, como assistir um filme policial por exemplo, para que isso não interfira no desenvolvimento do seu filho e o influencie negativamente. No ministério é do mesmo jeito. Existem momentos que vamos precisar fazer renúncias em nome da palavra que estamos carregando.

Existem algumas coisas que não combinam mais com a nossa escolha.

Se você não está disposto a assumir e a manter as responsabilidades para o ministério, talvez, seja melhor não ser pai ainda.

Ministério é lugar de responsabilidade. Às vezes, é duro, solitário, vai lhe trazer algumas dores, mas também trará uma alegria que você não teria em nenhum outro lugar. É um lugar de responsabilidades, mas é o lugar que Deus lhe chamou para estar.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA