Os sentimentos como catalisadores – Parte I

Postado em
1

Thiago Garcia

Como você está se sentindo hoje?

Talvez você esteja se sentindo cansado após um fim de uma semana de trabalho. É interessante observar que a Palavra de Deus propõe para nós um estilo de vida que não ignora o que nós sentimos, mas que também não é conduzido por aquilo que nós sentimos. A Palavra de Deus propõe para nós um estilo de vida que o nosso sentimento, aquilo que sentimos tem um papel e muitas vezes nós acabamos fazendo a necessária oposição entre a fé e o sentimento quando o sentimento passa a se tornar uma coisa (quase) negativa, diabólica e algumas vezes, seria até cabível a pergunta se foi de fato, Deus quem criou os nossos sentimentos, porque muitas vezes nos colocamos em uma posição em que aparentemente, os nossos sentimentos estão aqui para nos sabotar, derrubar, ou para nos colocar para um lugar longe da vontade de Deus. Quando na verdade, não precisa ser assim.

Os nossos sentimentos têm sim um papel importante em nossa vida, inclusive em nossa vida cristã e na nossa vida de fé. Eles só precisam ser bem ajustados e trabalhados por nós para que eles nos ajudem a avançar e não nos façam recuar. E foi com ele, e seguia-o uma grande multidão, que o apertava. E certa mulher que, havia doze anos, tinha um fluxo de sangue, E que havia padecido muito com muitos médicos, e despendido tudo quanto tinha, nada lhe aproveitando isso, antes indo a pior; Ouvindo falar de Jesus, veio por detrás, entre a multidão, e tocou na sua veste. Porque dizia: Se tão-somente tocar nas suas vestes, sararei. E logo se lhe secou a fonte do seu sangue; e sentiu no seu corpo estar já curada daquele mal. E logo Jesus, conhecendo que a virtude de si mesmo saíra, voltou-se para a multidão, e disse: Quem tocou nas minhas vestes? E disseram-lhe os seus discípulos: Vês que a multidão te aperta, e dizes: Quem me tocou? E ele olhava em redor, para ver a que isto fizera. Então a mulher, que sabia o que lhe tinha acontecido, temendo e tremendo, aproximou-se, e prostrou-se diante dele, e disse-lhe toda a verdade. E ele lhe disse: Filha, a tua fé te salvou; vai em paz, e sê curada deste teu mal.” Marcos 5:24-34

Nós conhecemos bem essa história, essa mulher sofria há 12 anos de uma hemorragia. Pelas expressões usadas na Bíblia nós entendemos que essa hemorragia poderia ter uma ligação com o ciclo da mulher. Possivelmente não era uma hemorragia de um tiro ou facada, já que se fosse esse o caso, ela não resistiria 12 anos dessa forma. Então, poderia ter alguma ligação com a irregularidade do ciclo menstrual dela.

Você, mulher, certamente deve ter uma compaixão dela por perceber que ela passou 12 anos nessa condição. Como você acha que ela se sentia dia a dia com essa hemorragia procurando tratamento? Procurando alguém que a ajudasse, mas a Bíblia diz que a condição dela não melhorava, pelo contrário, ela ia piorando.

Ao final da sua jornada de 12 anos talvez ela tivesse ainda mais saturada dessa condição, já que era algo desagradável e multiplicada 365X12 (anos) não tenho o número final, mas a Bíblia diz que ela despendeu tudo quanto possuía ao final dos 12 anos, ela não era somente uma mulher com hemorragia, mas uma mulher pobre. E a história nos dar a entender que no começo da jornada ela tinha certa condição, em busca da sua saúde perfeita já que uma pessoa pobre não conseguiria passar 12 anos lutando com uma doença e gastando o que tinha com médicos, não sabemos precisar o patrimônio dela no inicio da jornada, mas o narrador nos leva a entender que ela tinha algum dinheiro e ele foi perdido ao longo da caminhada.

Esse dinheiro não foi capaz de trazer para ela a resolução do seu problema.

Por alguns instantes gostaria que você ousasse entrar na mente dessa mulher para perceber como deveria ser o estado de ânimo dela quando acordava, como deveria ser a disposição dela para as atividades cotidianas, como poderia ser a irritabilidade dela, como estaria a vida dessa mulher na arena dos sentimentos.

Quando o marido ou um filho ou o chefe lhe pedia algo que lhe irritava, como ela se sentia para reagir? Possivelmente essa mulher era fragilizada também nos sentimentos e devia sofrer ataques nessa área. Como ela vivia? Ela era prejudicada n contexto familiar, social e sentimental. Mas se prestarmos a atenção em como ela conduziu a situações veremos que ela deixou que todo sentimento desfavorável que se aproximava dela fosse como um catalisador que a impulsionasse para a solução que ela queria.

Possivelmente muitas das vezes que ela se sentiu desconfortável, ela usava esse desconforto para lembrá-la de dizer a si mesma: “Se eu somente tocar nas suas vestes eu ficarei curada”. Ela não permitia que pensamentos negativos se instalasse na sua mente e se isso viesse ela reagia: “Se eu somente tocar nas suas vestes eu ficarei curada”. Os nossos sentimentos devem ter esse papel de serem catalisadores para nos levar as condições que nós queremos. Não para deixar as condições que nós vivemos mais difíceis mais penosas e chatas.

Falaremos mais sobre isso em breve.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA