Quando os planos de Deus interrompem os seus

Postado em
0

por Tony Cooke

Você já teve uma ideia preconcebida do que pensava que iria fazer, apenas para que Deus interviesse com um plano diferente – o plano d’Ele – em sua agenda? Como você lidou com isso? Você foi flexível e fez voluntariamente os ajustes necessários? Todos os grandes heróis bíblicos experimentaram e responderam, favoravelmente, a uma interrupção divina. Deus interrompeu suas rotinas regulares de uma maneira grandiosa.

  • Abrão estava confortável em Ur dos Caldeus, mas Deus o chamou para uma jornada de fé.
  • Moisés estava confortável em pastorear ovelhas no deserto, mas o povo de Deus precisava de um libertador.
  • Jonas estava confortável em pregar em Israel, mas Nínive precisava ouvir sobre Deus.
  • Neemias estava confortável como copeiro do rei, mas os muros de Jerusalém precisavam ser reconstruídos.
  • Maria estava confortável vivendo sua vida jovem e simples, mas o anjo Gabriel lhe trouxe uma mensagem que mudou sua vida.
  • Pedro estava confortável como pescador, mas Jesus viu outro propósito para sua vida.
  • Paulo estava confortável como fariseu, mas Deus precisava de um grande implantador de igrejas.

Com exceção de Paulo, não é que o que eles estivessem fazendo fosse errado; era apenas que Deus tinha um plano diferente, um propósito diferente para eles cumprirem. Isso me lembra um conselho sábio dado no Antigo Testamento.

Provérbios 16.9 (ARA)        

“9 O coração do homem traça o seu caminho, mas o Senhor lhe dirige os passos.”

Provérbios 19.21 (ARA)      

“21 Muitos propósitos há no coração do homem, mas o desígnio do Senhor permanecerá”.

Planejar é algo bom, mas devemos sempre permanecer flexíveis e permitir que Deus ajuste ou até mude radicalmente o que tínhamos em mente. As pessoas fazem seus próprios planos com base no que estão vendo naquele momento e, geralmente, esses planos são bons. Entretanto, Deus às vezes nos mostra mais coisas com o passar do tempo e, então, nossos planos precisam ser substituídos por Seus planos.

Muitos nunca progridem na vontade de Deus para suas vidas porque nunca se libertam de suas ideias preconcebidas ou saem de suas zonas de conforto. Como seres humanos, tendemos a ser criaturas de hábitos. Gostamos de certeza, previsibilidade e controle. Porém, se não tomarmos cuidado, nos apegaremos tenazmente ao que “pensamos” e ao que estamos confortáveis e isso pode nos fazer perder a vontade de Deus.

Um grande retrocesso?

Enquanto Filipe estava tendo grande sucesso liderando um avivamento em toda a cidade em Samaria, Deus pediu que ele fizesse algo que parecia um grande retrocesso – deixar um grande número de pessoas e ir para o deserto. Para a mente natural, o que Deus pediu a ele não fazia sentido.

Atos 8.26-29 (NTLH)

“26 Um anjo do Senhor disse a Filipe: “Apronte-se e vá para o Sul, pelo caminho que vai de Jerusalém até a cidade de Gaza. 27 Filipe se aprontou e foi. No caminho ele viu um enuco da Etiópia, que estava voltando para o seu país. Esse homem era alto funcionário, tesoureiro e administrador das finanças da rainha da Etiópia. Ele tinha ido a Jerusalém para adorar a Deus. 28 Na volta, sentado na sua carruagem, ele estava lendo o livro do profeta Isaías. 29 Então o Espírito Santo disse a Filipe: “Chegue perto dessa carruagem e acompanhe-a”.  

Tenho certeza de que você se lembra do resto da história. Ele acabou levando o eunuco etíope à fé em Jesus e depois o batizou. Não conhecemos totalmente a extensão da estratégia de Deus em direcionar Filipe dessa maneira, mas sabemos que Deus ama cada indivíduo o suficiente para enviar alguém ao deserto para alcançá-lo, se for necessário. Lembre-se do princípio 99/1 que Jesus ensinou (Mateus 18:12-14).

Naturalmente, Filipe deveria ter ficado onde havia um grande número de pessoas, mas Deus interrompeu os planos de Filipe com os Seus próprios planos. Essa mudança de direção não mudou o chamado de Filipe, mas mudou sua tarefa. Isso nos leva a um ponto importante: acredito que pode haver uma diferença entre um chamado e uma tarefa.

Em certo sentido, temos um chamado. É de Deus e para Deus. No entanto, podemos ter muitas tarefas na vida. Por exemplo, fui chamado por Deus uma vez, mas esse chamado tem envolvido diversas tarefas: servir como pastor assistente de 1980 a 1983, servir no Rhema de 1983 a 2002 e viajar / escrever livros para fortalecer igrejas e líderes de 2002-presente. Deus pode nos interromper algumas vezes, mudando nossas tarefas como bem entender, mas a essência do nosso chamado não muda.

Persistindo até acertar

Algumas vezes, as pessoas estão indo na direção certa de forma geral, mas elas carecem de clareza específica. Por exemplo, Paulo sabia que ele deveria pregar aos gentios, mas quais gentios? Ele estava se esforçando para seguir uma certa direção, mas o Espírito Santo continuava corrigindo-o.

Atos 16.6-10 (NTLH)

“6 Como o Espírito Santo não deixou que anunciassem a palavra na província da Ásia, eles atravessaram a região da Frígia-Galácia. 7 Quando chegaram perto do distrito da Mísia, tentaram ir para a província da Bitínia, mas o Espírito de Jesus não deixou. 8 Então atravessaram a Mísia e chegaram à cidade de Trôade. 9 Naquela noite Paulo teve uma visão. Ele viu um homem da província da Macedônia, que estava de pé e lhe pedia: “Venha para a Macedônia e nos ajude!” 10 Logo depois dessa visão, nós resolvemos partir logo para a Macedônia, pois estávamos certos de que Deus nos havia chamado para anunciar o evangelho ao povo dali.”

Paul estava tentando seguir as direções certas, mas seus planos foram interrompidos mais de uma vez. Uma das lições que tiramos disso é que Paulo era espiritualmente sensível o suficiente para não seguir adiante com seus próprios planos, mediante o testemunho contrário do Espírito Santo. Segundo, o tempo era um problema aqui. O versículo 6 diz que Paulo não tinha permissão para pregar na província da Ásia naquele momento. Paulo ministraria na Ásia com grandes resultados posteriormente, mas agora não era o momento. Terceiro, aprendemos dessa história algo sobre “o processo de eliminação”. Nesta fase de sua jornada, Paulo descobriu qual não era a vontade de Deus, antes de descobrir qual era. Às vezes, você ouvirá “não” algumas vezes antes de ouvir “sim”.


Você quer que eu faça o que?

Algumas vezes, as interrupções de Deus são um choque significativo que nos atrai para fora da nossa zona de conforto. O apóstolo Pedro experimentou esse tipo de situação em Atos 10. Pedro estava em Jope, tendo acabado de ressuscitar Dorcas dentre os mortos. Ele estava cuidando de suas próprias coisas, esperando o almoço, quando entrou em transe e teve uma visão (três vezes) de um lençol descendo do céu, contendo todos os tipos de animais impuros. Ele ouviu uma voz instruindo-o: “Levanta-te, Pedro; mate e coma ”(Atos 10.13).

Peter protestou com base em sua pureza judaica e ritualística, mas logo percebeu que a questão não era comida, mas pessoas. Deus não queria que Pedro considerasse os gentios impuros! Deus estava prestes a enviar Pedro para a casa de Cornélio, um centurião romano. Pedro iria pregar o Evangelho e Cornélio e os outros gentios que estavam com ele seriam gloriosamente salvos e cheios do Espírito Santo!

Entrar na casa de um gentio para compartilhar do Evangelho era algo que Pedro nunca teria feito até que Deus interrompesse seu itinerário e sua maneira de pensar! Quando Pedro voltou a Jerusalém, ele foi confrontado por causa do que fez. Atos 11.2-3 (NTLH) diz: “Quando Pedro voltou para Jerusalém, aqueles que queriam que os que não judeus fossem circuncidados o criticaram, dizendo: ‘Você ficou hospedado na casa de homens que não são circuncidados e até tomou refeições com eles!’” É importante entendermos que, quando Deus nos interrompe, isso não apenas interrompe o que tínhamos em mente, mas também pode trazer algumas perturbações e desconforto para outros.

Por que devemos acolher as interrupções divinas?

Por mais que nossa carne ame o ‘status quo’ e desfrute da “zona de conforto”, devemos sempre receber quando Deus interrompe nossos planos com os Seus. Aqui estão três razões rápidas:

  • Os caminhos e pensamentos de Deus são mais altos e melhores do que os nossos caminhos e pensamentos (Isaías 55.8-9).
  • Sabemos apenas de uma parte, mas Deus sabe de tudo (1 Coríntios 13.9).
  • Deus é capaz de fazer de forma muito mais abundante acima de tudo o que pedimos ou pensamos (Efésios 3.20).

 

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA