8 DE AGOSTO – Suas próprias palavras

Postado em
0

 

[…] aquele que, mesmo que jure com dano seu, não muda. SALMO 15.4

Embora eu tivesse-me colocado fora da perfeita vontade de Deus quando expus a minha porção de lã, fiquei firme naquela igreja durante um ano, porque assim havia combi­nado com eles. Agüentei firme. Sou um homem de palavra.

Uma das características do peregrino espiritual é jurar, embora advenha dano próprio, não se retratando. Em outras palavras, o cristão genuíno deve cumprir as suas promessas.

Se você não aprender a ser uma pessoa de palavra, sua fé jamais terá valor. Por quê? Porque, para fazer sua fé operar, você precisa crer nas suas palavras, além de crer no seu coração: Qualquer que disser a este monte: Ergue-te e lança-te no mar, e não duvidar em seu coração, mas crer que se fará aquilo que diz, tudo o que disser lhe será feito (Mc 11.23 RC).

Aquilo que você diz são as suas palavras. E você cer­tamente não crerá que as suas palavras se cumprirão, sabendo-se não ser uma pessoa de palavra!

Cumprirei a minha palavra. De outra forma, a plenitude da minha vida espiritual será afetada. Digo a verdade em todas as ocasiões. Não direi a alguém que tenho prazer em vê-lo se assim não sinto. Encontrarei uma maneira de falar algo, sem violar minha consciência. Não vou mentir, porque isso afetaria a minha fé.

Alguém poderia argumentar: “Mas é simplesmente uma questão de ser cortês”. Mas, na verdade, não é. A mentira é algo diabólico (Jo 8.44).

Confissão: “Sou uma pessoa de palavra”.

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA