Andando em amor

Postado em
0


por Douglas Ferraz

(Diretor do Centro de Treinamento Bíblico Rhema Sede em Campina Grande)

Andar no estilo de vida que Deus deu através de Cristo Jesus é andar de acordo com o que Deus planejou para aqueles que o amam. O andar em amor traz bons frutos.  Na carta de I João, o escritor identificou o estado da igreja em Éfeso e como havia tantas falsas doutrinas. E um desses sintomas era a falta de amor entre os irmãos e a falta de andar no Espírito (discernindo todas as coisas). A igreja estava com alguns sintomas de doença e isso era percebido quando os irmãos não se entendiam entre eles mesmos. O escritor trouxe a mesma solução para dois tipos de problemas: conduta errada (falta da prática do amor) e falsas doutrinas (ensino distorcido). A solução é andar no Espírito e andar em amor.

A carta é conhecida como a carta do amor e nela contém correções para que o amor fosse, de fato, praticado, algo real na vida do cristão. Nos capítulos 1 e 2, pode ser percebido que os cristãos haviam sido expostos a um ensino enganoso e, por isso, João precisava combater e trazer as correções corretas para que houvesse uma conduta ajustada. 

O que era desde o princípio, o que ouvimos, o que vimos com os nossos olhos, o que temos contemplado, e as nossas mãos tocaram da Palavra da vida” (I João 1.1).

Estar salvo no espírito não quer dizer que está livre quanto aos desejos ruins que possam surgir. Porém, a graça não dá motivos para vivermos de qualquer jeito a vida que Jesus já conquistou. Pois a capacidade já está dentro de cada filho de Deus. A graça é para viver a vida que Deus deseja, como está em Gálatas 5.16“Digo, porém: Andai em Espírito, e não cumprireis a concupiscência da carne”.

A igreja daquela época estava confundindo graça com a liberdade para pecar, e distorcendo o real amor ensinado por Jesus Cristo. Quando se vive como filho de Deus, e esse filho entende sua posição conquistada em Cristo, a Palavra fala sobre a liberdade de decidir e viver a vida plena em Deus, sem ter o prazer no pecado. Aquele que é filho de Deus não anda mais na prática do pecado e as algemas, que poderiam aprisioná-lo, já não o aprisionam mais.

Tenha cuidado com ensinos que não falam sobre o viver em santidade. O modo de vida do cristão deve estar de acordo com a nova realidade em Cristo. Uma criança, quando a mãe dá banho e coloca uma roupa cheirosa não deseja que o filho vá ao barro, logo em seguida, e se suje novamente. O mundo sempre tentará trazer aos filhos de Deus a sensação de que sua fé e vida de santidade é algo inferior, porém, a santidade que liberta os filhos de Deus é a própria capacidade para viver uma vida superior e cheio da graça de Deus.

João combate as falsas doutrinas, afirmando que Jesus veio em carne e que Ele se tornou homem para ser o exemplo perfeito, como diz em Filipenses 2.8“E, achado na forma de homem, humilhou-se a si mesmo, sendo obediente até à morte, e morte de cruz”.

Jesus veio em carne e a sua morte e ressurreição foram a porta para a nova vida. E a comunhão se estabelece quando os filhos de Deus entendem o relacionamento real e profundo com Deus através do sangue do Cordeiro. O sangue de Cristo também quebrou toda inimizade que poderia haver entre os irmãos, mentiras ou opiniões diferentes e o amor ultrapassa todas essas questões, pois o filho de Deus precisa entender o nível dessa aliança com Deus. 

O Verso 5, de I João 1, ensina que aquilo que se ouve deve ser anunciado e praticado. E, nesta prática do amor e por causa do relacionamento com Deus, todo mal cai por terra. Esse é o viver em santidade, não para ser salvo, mas andar em santidade porque é salvo. 

Paulo fala, em I Tessalonicenses 5, que os filhos de Deus são filhos da luz. Quando praticam o amor, eles andam na luz. Um vida de santidade e de amor são os requisitos principais para todo filho de Deus. Enquanto se anda em santidade, o amor também é desenvolvido a partir daquilo que já foi depositado dentro de cada um.

Um hábito ruim só é substituído quando outro hábito bom é colocado no lugar.

Para todo pecado há perdão e o posicionamento de arrependimento e santidade deve ser constante na vida do cristão, quando este se alimenta da Palavra e do Espírito. A satisfação na Palavra de Deus e o fato de entender que todo filho dele está em uma aliança superior devem condizer com o guardar os mandamentos de Deus, vivendo em santidade, andando no amor e no Espírito. O andar em amor dá substância para a obediência a Deus. 

Mudar a confissão daquilo que se fala é um dos primeiros passos para viver uma vida que agrada a Deus de fato. 

Não amem o mundo nem o que nele há. Se alguém amar o mundo, o amor do Pai não está nele” (I João 2.15).

Não ouça os conselhos dos ímpios. Como diz em Salmos 1.1“Bem-aventurado o homem que não anda segundo o conselho dos ímpios, nem se detém no caminho dos pecadores, nem se assenta na roda dos escarnecedores”. Aquele que faz o que a Palavra de Deus diz, permanece para sempre. O que para o mundo hoje está certo, amanhã pode não parecer mais certo, porém, aquele que tem a Palavra como base para sua vida será firme. O mundo sempre terá opiniões, mas a Palavra de Deus permanece para sempre.

Sutilmente, as coisas do mundo vêm com aparência de bom, mas o veneno vem de forma mascarada e o filho de Deus precisa discernir isso e não abrir mão do estilo de vida que Deus tem para cada um de seus filhos. Cuidado com as sutilezas, porque satanás nunca irá apresentar um “queijo” ruim, mas com aparência de que parece bom. E o veneno vai começando a contaminar de forma que nem se percebe, em qualquer área da vida. Mantenha-se firme na convicção daquilo que Deus planejou para você! Guarde a Palavra no coração e pratique aquilo que Deus orienta em sua Palavra!

Permanecer firme não está relacionado apenas com o pecado, em manter-se longe dele, mas em permanecer em amor e não na falta de perdão. O amor precisa ser não apenas no vertical (com Deus) e sim no horizontal (com os irmãos). Ninguém é igual. Todos têm educação diferente, formas diferentes de ver, porém isso não dá motivos para que comentários e sementes do mal sejam espalhadas uns contra os outros. Quantos abrem lugar no coração para o ódio apenas por comentários ruins? Esse não é o desejo de Deus.

Deixa ali diante do altar a tua oferta, e vai reconciliar-te primeiro com teu irmão e, depois, vem e apresenta a tua oferta” (Mateus 5.24).

Deus não “pingou” gotas de amor, ele o derramou nos corações dos seus filhos e isso mostra que n’Ele temos a condição de sermos suportes uns para com os outros, erguendo em amor e ajudando naquilo que o outro precisa crescer. A responsabilidade de amar uns aos outros não corresponde apenas aos líderes, mas a todo filho de Deus. O que você tem feito em amor? Amar uns aos outros não é fazer “vista grossa a erros”, mas estender a mão e levantar o outro. Não espalhando ofensas, mas oferecendo perdão, amor não com superioridade, mas com coração aberto e sensível ao Espírito Santo.

Tanto para combater o ensino errado quanto para combater sentimentos errados, a resposta é uma só: “Andando no Espírito, andando em amor”. Essa é a base do evangelho. As críticas, as oposições não devem afetar o coração. A justiça de Deus não tem a ver com a espada como Pedro tentou fazer quando atacaram Jesus, mas tem a ver com o amor quando Jesus demonstrou a Judas, mesmo na mesa de ceia, e ainda o chamou de amigo. No reino de Deus não existe concorrência, cada um precisa compreender seu lugar em Deus e fluir. 

João ensina os procedimentos verdadeiros. I João 2.24 diz: “Portanto, o que desde o princípio ouvistes permaneça em vós. Se em vós permanecer o que desde o princípio ouvistes, também permanecereis no Filho e no Pai”. Escolha andar uma segunda milha, dar chances ao outro, perdoar sempre que for preciso mesmo que o outro julgue. 

Em Mateus 7.2, diz: “Pois da mesma forma que julgarem, vocês serão julgados; e a medida que usarem, também será usada para medir vocês”. Na medida que você julgar, será julgado também. A importância de agir em amor está relacionado em refrear a língua e entender que é possível não se sujar com a lama do pecado chamada falta de amor.

Declare: Eu sou santo, eu ando no Espírito, eu ando em amor!

 

*Texto extraído do Site da Igreja Sede em Campina Grande-PB

 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA