A bondade do Pai

Postado em
1

por Rodolfo Abrantes
(pastor na igreja MEVAM – Missões Evangelísticas Vinde Amados Meus, missionário e ministro de louvor)

Você faz ideia do que aconteceu quando você foi salvo? Deus se alegra por ter seu filho de volta. Davi vivia na presença de Deus ao ponto de que tudo para ele virava uma canção. 

“Esperei confiantemente pelo SENHOR; ele se inclinou para mim e me ouviu quando clamei por socorro. Tirou-me de um poço de perdição, de um tremedal de lama; colocou-me os pés sobre uma rocha e me firmou os passos. E me pôs nos lábios um novo cântico, um hino de louvor ao nosso Deus; muitos verão essas coisas, temerão e confiarão no SENHOR” (Salmo 40. 1-3)
 

Quando Davi disse que estava esperando com paciência no Senhor, estava numa situação horrível. Num momento difícil, seu instinto é se salvar disto. Depositar toda a sua confiança no Senhor é seu instinto e é essencial.

Se você confia totalmente no Senhor, Ele se inclina ao Seu favor. 

A presença de Deus me define. Nela, nasce quem eu sou. Ele está procurando os verdadeiros adoradores. Este é um um convite de Deus para que você se aproxime e Ele vai se achegar a você.

Nosso chamado aparece neste lugar de adoração. A verdade ao teu respeito, o som de quem você é, é revelado a você mesmo neste lugar. No momento de  adoração ao Senhor, você é salvo de situações difíceis e, se você é inteligente, não se volta mais para fora da adoração.

Quando saímos do lamaçal, não queremos mais voltar para lá. Não fique com saudade da sua velha vida. Aprenda a se mover nesse novo lugar, a se mover na luz para onde Ele te trouxe. A tua nova natureza flui agora para frutos de justiça!

Quem é a Rocha? Jesus! Ele firma nossos passos neste lugar da Sua presença e nele nos movemos. Neste novo lugar tem um novo som. O som de salvação!

“Então, ele disse: Rogo-te que me mostres a tua glória. Respondeu-lhe: Farei passar toda a minha bondade diante de ti e te proclamarei o nome do SENHOR; terei misericórdia de quem eu tiver misericórdia e me compadecerei de quem eu me compadecer” (Êxodo 33.18)

Tudo o que Deus faz, produz um som. Ele diz: “Farei passar diante de ti toda a minha bondade e proclamarei o meu nome”. Misericórdia e compaixão acompanham você depois que você se volta para a bondade de Deus. O filho pródigo teve uma revelação da bondade de pai antes de voltar para sua casa. Ele pensou: “Na casa do meu pai, até os trabalhadores têm fartura” (Lucas 15.17). Quando ele voltou, teve a confirmação dessa bondade, pois foi acolhido com muito mais amor do que esperava. Quando você está na casa do Pai, você tem a confirmação dessa bondade e desfruta dela. 

Na passagem do cego de nascença (João 9. 1-7), as pessoas não sabiam quem Jesus era. Para alguns ele era João Batista, ou era endemoniado, ou um multiplicador de comida, no entanto eles gritavam o nome “Jesus de Nazaré”. O cego ouviu aquilo e disse “Filho de Davi, tem misericórdia de mim”. Ele viu o Rei, viu o Senhor, viu o que ninguém via. Porque ele ouviu o nome do Senhor e discerniu isso, ele pediu algo: misericórdia e compaixão. Ele estava discernindo a bondade de Deus e pedindo para Jesus manifestá-la nele. Já que o cego estava o vendo como Rei, ao invés de ir até Ele, Jesus o convidou para vir, para se aproximar, como um convite de intimidade para com ele. O cego foi curado!

Outro caso que podemos citar é o da mulher do fluxo de sangue (Lucas 8. 43-48). Ela também discerniu a bondade de Deus. Nas duas situações, movido pela fé dessas pessoas, Jesus parou tudo para alcançar essas pessoas. 

Você é uma expressão da bondade de Deus para que as pessoas vejam que se a Sua bondade alcançou você, pode alcançar elas também.

A bondade de Deus te cerca por todos os lados!

*Trechos da mensagem de Rodolfo Abrantes no dia 21 de Abril de 2019 durante a Conferência Synergia

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA