Chegai-vos a Deus

1
523

fernadoFernandes Oliveira

Professor do Rhema

Antes do pecado original, Deus e o homem (macho e fêmea) viviam em comunhão um com o outro; após a queda, esse relacionamento foi desfeito. O primeiro pecado consistiu em o homem isolar-se e optar pela busca do seu próprio prazer e independência, sem considerar a vontade de Deus (Gênesis 3:3-6). Ele tornou-se insubmisso ao desobedecer à ordem dada pessoalmente por Deus, para não comer da árvore do conhecimento do bem e do mal gerando em si culpa, perdendo a conexão com o seu íntimo criador, fugindo da amizade até então existente.

Adão e Eva, após a queda, tentavam se livrar da culpa, atribuindo ao outro a responsabilidade do ato pecaminoso, pois suas consciências culpadas não lhes davam sossego. Ele disse para Deus, que Eva, a mulher que ele recebeu para auxiliá-lo, o levou ao pecado; ela em contra partida, acusou a serpente.

A culpa gerada pela queda resultou ao homem a condição de não ser mais inocente nem irrepreensível diante de Deus. Desta forma, não atendia mais as expectativas de Deus como criação e era merecedor do seu julgamento. Essa culpabilidade foi transmitida a toda raça humana. Paulo fala sobre isso na carta de Romanos:

Da mesma forma como o pecado ingressou no mundo por meio de um homem, e pelo pecado a morte, assim também a morte foi legada a todos os seres humanos, porquanto todos pecaram.” (5:12);

Por meio da desobediência de um só homem muitos se tornaram pecadores.” (5:19).

O pecado de Adão e Eva é causa e base da perversão, culpa e condenação de toda a sua posteridade, simplesmente por que eles e sua geração são um. Desta forma toda a raça humana ficou sujeita a escravidão do pecado:

Não estais informados de que ao vos entregardes a alguém como escravo para lhe obedecer, sois escravos deste a quem obedeceis, seja do pecado para morte, seja da obediência para à justiça.” (Rm 6:16)

No entanto Deus, através do grande amor com que nos amou (Ef 2:4) enviou o seu Filho Jesus ao mundo não para condenar o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por MEIO dele (Jo 3:17). O modo que Deus providenciou para nos resgatar (Mc 10:45) foi mediante a morte vicária (no lugar de outra pessoa) de Cristo na cruz:

Mas agora Ele manifestou-se de uma vez por todas, no final dos tempos, para aniquilar o pecado por intermédio do sacrifício de si mesmo.” (Hb 9:26)

Ele não morreu por Seu próprio pecado, pois não o tinha (1Jo 3:5), mas foi transpassado pelas nossas transgressões e moído pelas nossas iniquidades (Is 53:5-6). Jesus como inocente assumiu nossa culpa, para que nós como culpados, fossemos transformados em inocentes. O justo morreu pelos injustos para CONDUZI-LOS a Deus (1 Pe 3:18).

O preço pago para nos resgatar ou nos comprar da escravidão do pecado foi o precioso sangue de Jesus. Apocalipse 5: 9 diz que Ele foi morto e com o Seu sangue nos COMPROU para Deus! Ainda em Atos dos Apóstolos 20: 28 fala que Deus nos COMPROU com o sangue de seu Filho Unigênito! O conceito é de um escravo que foi liberto, pela quitação de uma dívida até então impagável. Pedro também expõe esse valor:

Porquanto, estais cientes de que não foi mediante valores perecíveis como a prata e o ouro que fostes resgatados do vosso modo de vida vazio e sem sentido, legado por vossos antepassados. Mas fostes resgatados pelo precioso sangue de Cristo, como de Cordeiro sem mácula ou defeito algum.” (1 Pe 1: 18.19)

No momento que recebemos a Jesus (Jo 1:12) nós é dado o direito de nos tornarmos filhos de Deus. Herdamos a filiação quando confessamos com nossa boca seu senhorio e cremos com o coração na sua ressurreição. Assim, somos salvos do pecado e da culpa que nos afastava de Deus.

Este ato de amor nos concedeu não somente a salvação, grande providência de Deus para livrar-nos da condenação eterna, mas o restabelecimento do relacionamento com o criador, do qual podemos desfrutar por meio do diálogo, como outrora no Éden.

Diante disto, termos confiança ao nos chegarmos a Deus:

Sendo assim, irmãos, temos plena confiança para entrar no Santo dos Santos mediante o sangue de Jesus, por um novo e vivo Caminho que Ele nos descortinou por intermédio do véu, isto é, seu próprio corpo…” (Hb 10: 19.20)

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA