A compaixão de Jesus

Postado em
0

por Filipe Real de Carvalho
*Pastor auxiliar na Igreja Verbo da Vida Campo Grande – Rio de Janeiro

Olhando uma matéria do site G1, saltou ao meu coração pensar sobre a compaixão de Jesus, porque via as multidões aflitas e cansadas, “como ovelhas que não têm pastor”.

“Vendo ele as multidões, compadeceu-se delas, porque estavam aflitas e exaustas como ovelhas que não têm pastor” (Mateus 9:36).

Para entender melhor o que é isso, seguem algumas atribuições do pastor de ovelhas:

– Dar alimentação adequada;

– Domesticar;

– Garantir a saúde e o bem estar, trazendo prevenção e medicação quando necessário;

– Providenciar lugar de proteção adequado para cada estação;

– Dar suporte para que a ovelha tenha seu melhor desenvolvimento e produza em si a melhor lã possível.

Um dado importante, o pastor precisa estar completamente conectado ao rebanho, pois só assim ele consegue identificar quando algo está errado ou quando correm algum tipo de perigo. Mais do que isso, o papel do pastor é de ser um parceiro e fiel protetor.

Quanto ao rebanho, é importante que cada ovelha se mantenha conectada ao seu pastor, para que cada uma consiga receber daquilo que precisa para ter uma vida saudável e produtiva. A conexão da ovelha com o rebanho também dificulta muito mais o ataque de possíveis predadores, pois em grupo se mostram mais fortes.

Uma ovelha quando escapa do rebanho passa a ter uma vida muito mais independente e isso, ao contrário do que pode se pensar, pode trazer muitos percalços. Uma ovelha solitária passar a se alimentar do que vier pela frente sem o devido cuidado do que lhe pode fazer mal e fica vulnerável ao ataque de predadores, pois não há ninguém por ela. A ovelha não possui renovação de lã, ela precisa ser tosquiada, para que o excesso de lã não cause superaquecimento, doenças, dificuldade na mobilidade, acúmulo de sujeira, dentre outros problemas, ou seja, a ovelha foi feita para ser cuidada, não para viver sozinha.

Ao ler sobre a compaixão de Jesus por aquelas multidões, vemos que Ele sabia do que estava falando, elas não sobreviveriam sem os cuidados de um pastor, pois determinados cuidados são impossíveis para quem vive sozinho.

O papel de uma ovelha é estar conectada ao seu pastor, e hoje vemos muitas pessoas com a convicção de que não precisam de ninguém para sobreviver, apenas de suas convicções. O que elas não entendem é que só pode ser melhor cuidada, alimentada, protegida e se tornar muito mais produtiva quando está dentro do rebanho, ouvindo a voz do seu pastor e a obedecendo.

Assim como andar em rebanho, congregar é muito mais que um simples ajuntamento, é andar protegido, sadio, bem alimentado, ser suporte e suportado, produtivo, ter o melhor de si extraído, é cumprir um propósito, é estar conectado com quem quer o melhor para você e, nos momentos de dor e aflição, não estar abandonado, mas saber que quem o conhece sabe como tratar. Quando estamos em rebanho estamos conectados com um Bom Pastor que não deixa nos faltar nada, e ainda mais, é ainda o que dá a vida pelas ovelhas, tamanho o zelo que tem por nossas vidas.

O Bom Pastor continua em busca das ovelhas perdidas, ele não abre mão de nenhuma e se alegra quando as acha. O Bom Pastor não as despreza, pelo contrário, ele vai tosquiar (com a Palavra), removendo o acúmulo de sujeira e espinhos (conceitos errados e sofismas), e tudo mais que for necessário, e quando menos se espera ela estará de volta ao rebanho (comunhão), reconectada e bem cuidada como antes, de volta a viver como nasceu para viver (em unidade, cumprindo o seu propósito).

Permita-se ser achado pelo Bom Pastor!

*Matéria citada: https://g1.globo.com/…/ovelha-perdida-reaparece-gigante-sem…  

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA