Crianças são discípulos

Postado em
0

por Dayane Rocha
(Professora do Centro de Treinamento Bíblico Rhema)

Nós não vamos falar somente da responsabilidade que os pais têm de se doar, mas vamos falar da responsabilidade que a Igreja tem de discipular as crianças.

Satanás tem investido pesado nas nossas crianças e adolescentes e não é mais de forma sutil, subliminar. Os índices de suicídio têm aumentado de forma alarmante entre as crianças e os adolescentes. Os pais não sabem o que fazer, as escolas não sabem o que fazer, os governantes não sabem o que fazer, mas a Igreja precisa saber o que fazer. O que eles não sabem, nós sabemos, o que eles não têm, nós temos. Mas, às vezes, a gente não se importa muito, porque dizemos que crianças e adolescentes não são a “nossa praia”.

Finalmente apareceu aos onze, estando eles assentados juntamente, e lançou-lhes em rosto a sua incredulidade e dureza de coração, por não haverem crido nos que o tinham visto já ressuscitado. E disse-lhes: Ide por todo o mundo, pregai o evangelho a toda criatura” (Marcos 16.14-15)

Será que criança é criatura? Ou ela nem chegou no nível de ser criatura? Porque às vezes, as crianças nem são contadas no número de membros da igreja. Essa não é a visão que Deus tem, quando Deus olha para o povo e para a Igreja, as crianças são parte do corpo, e nós precisamos entender a importância delas.

O nosso olhar para a criança precisa mudar.

Jesus disse para deixar vir a Ele os pequeninos. Um olhar de reprovação seu para a criança, porque ela está incomodando de alguma forma, pode impedi-la de voltar, fazer isso é impedi-la de ir até Jesus. Muitas vezes, eu e você somos impedimento para o que Deus quer fazer na vida da criança e da família dela. Nós não podemos fazer isso, criança é uma vida, uma vida preciosa. E lembre-se que criança cresce e pode ser que ela nunca mais chegue à igreja, se envolva nas drogas, se perca.

Mesmo os discípulos pensando que criança atrapalha, Jesus disse para deixar ir até a Ele e as abençoou (Mateus 19.14). Nós precisamos deixar as crianças virem até nós, ensiná-las, discipulá-las. Quando nós rejeitamos as crianças na igrejas, nós estamos dizendo: “Você não é bem-vindo nesse lugar”. Ela vai crescer com esse entendimento de que não é bem-vinda na igreja.

Criança é vulnerável. Ela precisa de proteção, cuidado, amor. Quando acontece alguma tragédia em que sabemos que crianças morreram, nosso coração aperta mais. Porque a gente sabe que existe uma fragilidade, porque ela por si só não tem muito o que fazer para se salvar. Existe uma compaixão no nosso coração, mas isso não pode ficar restrito às coisas naturais, às coisas físicas.

No século XVII, as crianças eram vistas como pequenos adultos. Não se entendia que criança tinha necessidades diferentes. As crianças, ao alcançar uma certa idade, eram enviadas para morar com outra família para aprender uma profissão. Mas, em algum momento, alguém começou a pensar que a criança é diferente do adulto, inclusive na roupa, ela precisava de roupa mais confortável pra correr, se esticar e não ficar presa o tempo todo. Isso foi um processo. Muito disso ficou em nós. Depois veio a época em que a igreja católica socorria os órfãos, crianças cujo os pais morriam na guerra, mas era apenas nesse âmbito assistencialista, com os cuidados básicos, isso era o necessário. Nós não podemos ficar nessa mentalidade. Criança pensa, tem desejos, tem sonhos. Por isso, por ignorarmos isso, tem muita criança frustrada, talvez, você seja frustado porque mataram os seus sonhos quando você era criança.

O povo perece por falta de conhecimento. Deus está jogando luz para você hoje.

Jogar no celular, ficar diante da televisão o tempo todo, não vai acrescentar nada de bom aos seus filhos. Você vai formar uma criança viciada, que quando casar vai dar um trabalhão para a esposa, porque só vai querer jogar. A gente não pode fazer isso. Eu sei que dá trabalho, mas precisamos ajudar as crianças a desenvolverem a habilidade que Deus deu a elas. Precisamos ter novas ideias.

Como Igreja precisamos nos posicionar. Eu acredito que todos aqui têm acesso a alguma criança, nem que seja o seu neto, sobrinho, nós precisamos ser canais de Deus. Há poder na vida de uma criança o qual nós não podemos subestimar. Precisamos investir tempo e pode ser que o tempo que você vai gastar seja só 1 ou 2min.

Não precisamos só dar sermão para as crianças, eles já estão cansados disso. Precisamos ouvi-los, assim poderemos ensinar a Palavra, entendo o mundo deles. Pode ser que você esteja discipulando e ensinando a criança e, parece que nada está acontecendo, mas não perde a visão de Deus por causa do momento. Pode ser que ela esteja desobedecendo, brigando, triste, mas pode ser só uma fase que ele está vivendo e precisamos entender, a semente da Palavra está sendo plantada.

Meu filho passou uma fase que não queria vir pra igreja de maneira alguma, isso me deixou arrasada porque eu fui uma menina que cresci na igreja. Deus falou comigo para ficar em paz, pois era só uma fase. Criança passa por fases também. Às vezes, a gente trata a criança sem respeito, manipulando elas, mas esquecemos que nós não queremos ser manipulados, crianças têm gostos, vontades, temos que respeitar.

As crianças que você possa ter contato, elas estão crescendo. Se você ajudar vai ser mais fácil. Você que é da área da educação e está nas escolas, Deus precisa de você para ser um socorro de Deus para as crianças e adolescentes. Entenda que você é Igreja onde você estiver, para alcançar a toda criatura.

E terás prazer e alegria, e muitos se alegrarão no seu nascimento, Porque será grande diante do Senhor, e não beberá vinho, nem bebida forte, e será cheio do Espírito Santo, já desde o ventre de sua mãe. E converterá muitos dos filhos de Israel ao Senhor seu Deus, E irá adiante dele no espírito e virtude de Elias, para converter os corações dos pais aos filhos, e os rebeldes à prudência dos justos, com o fim de preparar ao Senhor um povo bem disposto” (Lucas 1.14-17)

Isso foi dito sobre uma criança. Isso quer dizer que a qualquer hora uma criança pode passar por você, impor as mãos e você ser curado. Nós precisamos reconhecer que as crianças são chamadas por Deus, ungidas por Deus. Elas foram criadas com um chamado. Não é quando você faz o Rhema e Escola de Ministros que o seu chamado surge, Deus já lhe escolheu desde o ventre da sua mãe.

Eu e você, como Igreja, precisamos olhar para as nossas crianças e rejeitar as informações do mundo sobre elas de que são perdidos, desobedientes, não aceite isso! As crianças são nação santa, propriedade exclusiva do Senhor!

E todos os que as ouviam as conservavam em seus corações, dizendo: Quem será, pois, este menino? E a mão do Senhor estava com ele” (Lucas 1.66)

E tu, ó menino, serás chamado profeta do Altíssimo, Porque hás de ir ante a face do Senhor, a preparar os seus caminhos” (Lucas 1.76)

Olha que coisa tremenda para uma criança: preparar o caminho para Jesus. Nossas crianças precisam crescer e serem discipuladas para cumprirem o propósito de Deus para elas.

Eu nasci na igreja, mas quando eu tinha por volta de 11 ou 12 anos, vieram pensamentos de suicídio pra mim. Me disseram que se eu tomasse 2 compridos de um remédio eu morria, então eu achei ele na minha casa, tomei e deitei na cama para morrer. Eu já era crente, o que eu ia fazer? Porque a gente fala que precisa nascer de novo para essas coisas sumirem, mas o que eu ia fazer? A gente esquece que criança também sofre, também tem problemas, são abusadas e elas precisam de ajuda, porque não existe maturidade para resolver as coisas sozinhas.

Eu tomei os remédios, mas não morri. Um dia, eu estava indo para a oração que tinha às 16h e veio o pensamento: “por que você não se joga na frente do carro?”, mas eu pensava que eu iria para o inferno. Com medo, eu não fiz isso. Eu cheguei na igreja, orei. No fim do culto, conversei com uma pessoa que estava percebendo um espírito de morte me sondando, aquela mulher orou comigo e isso cessou. Tem muita criança perto de nós passando por isso e não tem ninguém falando nada. Eu e você precisamos interferir no plano do inferno e não deixar que ele seja executado.

E há de ser que, depois derramarei o meu Espírito sobre toda a carne, e vossos filhos e vossas filhas profetizarão, os vossos velhos terão sonhos, os vossos jovens terão visões. E também sobre os servos e sobre as servas naqueles dias derramarei o meu Espírito” (Joel 2.28-29)

A criança também precisa ser um alvo seu para falar a Palavra de Deus. O bom é que eles têm uma memória maravilhosa, eles vão lembrar daquilo que você falou. A Igreja precisa crer e falar, declarar a Palavra sobre eles. Nós estamos em tempo de avivamento.

Há uns dias atrás, tive uma visão de uma menina de 3 anos chorando por ter sido abusada, e Deus falou comigo “o clamor dos pequeninos chegou aos meus ouvidos”. Nós temos que fazer obras sociais, fazer coisas para alcançar as crianças, mas não pode ficar só nisso, se Satanás está querendo alcançar as crianças com uma facilidade tão grande, Deus também está disponível para impactar a vida das crianças com velocidade, através de nós.

Você pode até não ter chamado para trabalhar no Departamento de Crianças, mas você tem um chamado para reconciliar o mundo com Deus, e criança é gente.

Pastores que estão investindo em Departamento de Crianças, as suas igrejas estão prosperando, porque Deus está interessado nisso!

O clamor das crianças está chegando diante do Senhor e Ele está vindo com justiça e com o bálsamo para curar, sarar.

Nós estamos sendo despertados para irmos além do nível que estávamos. “Ah, mas criança dá muito trabalho”, você também dava trabalho. E, às vezes, ainda dá trabalho hoje. Pode ser que o problema esteja lá trás, em um trauma da sua infância.

Que você esteja afogueado para este tempo de avivamento, no qual crianças vão profetizar, vão dar testemunhos na escola e os amiguinhos serão curados, libertos, o poder de vida, que opera, está sobre elas também.

*Texto retirado do Site da Igreja Sede em Campina Grande-PB. 

SEM COMENTÁRIOS

DEIXE UMA RESPOSTA